CTLF Corpus de textes linguistiques fondamentaux • IMPRIMER • RETOUR ÉCRAN
CTLF - Menu général - Textes

Lobato, António. Arte da grammatica da lingua portugueza – T01

| Table des matières | Fiche | Texte |

Grammatica
portugueza

Proemio

§ I.
Da natureza, e partes da Grammatica
Portugueza.

A Grammatica Portugueza
he a Arte, que ensina a
fazer sem erros a oração
Portugueza. a1

Consta a Grammatica Portugueza de
quatro partes, que são: Ortografia, Prosodia,
Etymologia, e Syntaxe.1

A Etymologia, de que havemos de tratar
em primeiro lugar, a2 he a parte da
Grammatica, que ensina as diversas especies
de palavras, que entrão na oração
Portugueza, e as suas propriedades.

§.II.
Das partes da oração Portugueza, e
elementos, de que ellas se compoem.

Da oração Portugueza são partes as
palavras, ou vozes Portuguezas.

A palavra Portugueza he qualquer voz
significativa da lingua Portugueza, como
v.g. Ceo, Terra.

Compoem-se a palavra de syllabas,
como v.g. a palavra Livro, que se compoem
de duas syllabas, que são li, e vro.

A syllaba he a comprehensão de hum
som perfeito, que se pronuncia com hum
2só espirito, ou accento, como na sobredita
palavra livro, tanto li, como vro he
syllaba, porque cada hum delles faz hum
som perfeito, que se profere com hum só
espirito, ou accento.

Compoem-se a syllaba de huma, ou mais
letras, como se vê na palavra A-le-gre,
que consta de tres syllabas, das quaes a
primeira tem huma só letra, a segunda
duas, e a terceira tres.

Quando a syllaba consta de huma só
letra, esta he vogal, pela razão de que
sómente a vogal por si só póde fazer hum
som perfeito; e quando consta de mais
de huma letra, alguma dellas he vogal,
por não poderem as outras formar sem
vogal hum som perfeito; o que tudo se
vê nas syllabas da sobredita palavra A-le-gre.

Tambem ha em algumas palavras dentro
de huma mesma syllaba duas vogaes
diversas; mas de tal sorte unidas, que
ambas fazem hum som, como se vê na
syllaba Rei da palavra Reino, em que as
vogaes e i se unem, fazendo hum som. E
este concurso de duas vogaes diversas dentro
da mesma syllaba se chama ditongo.3

Em assinar o numero dos ditongos ha
variedade, a3 conforme alguns são os seguintes:
ae, assim como em Capitaes,
Escrivaens: Ai, ou ay; assim como
Painel, Amay: Ao assim como Páo,
Náo: Au, assim como em Causa, Autor:
Ei, ou ey, assim como em Feira,
Ley: Eo, assim como Feudo, Meu: Io,
assim como em Abrio, Dividio: Oe,
assim como em Questoens, Razoens: Oi
ou oy assim como em Noite, Foy. Ou,
assim como em Vou, Sou: Ui ou uy,
assim como em Cuidar, Fuy.

A letra he a comprehensão de hum
som, que se não póde dividir na pronunciação,
como v. g. A, B.

As letras, de que consta o Alfabeto
Portuguez são estas: A, B, C, D, E,
F, G, H, J, I, L, M, N, O, P, Q,
4R, S, T, U, V, X, Y, Z. Destas alguns
julgão superfluo o Y Grego, por fazer
o mesmo som, que o I Latino.

Das letras são vogais seis, A, E,
I, O, U, e o Y Grego a que chamão
ypsilon. E chamão-se assim, porque cada
huma delas póde por si só fazer hum som
perfeito sem ajuda de letra consoante. As
outras todas se chamão consoantes; porque
só soão, e podem fazer syllabas juntas
com algumas das vogaes. No numero
das consoantes entrão J, V, a que chamão
Jod, e Vau, quando ferem a vogal
seguinte, como se vê nas palavras Ja,
Velho.

Das consoantes humas são mudas, outras
semivogaes.

As mudas são: B, C, D, F, a4 G,
P, Q, T, J, V consoantes. E chamão-se
assim, porque fazem hum som mais escuro,
e se pronuncião com o som de vogal
depois de si, como v. g. B, C, que
se pronuncião, como se escrevessem
, .5

As semivogaes são: H, L, M, N,
R, S, X, Z. E chamão-se assim, porque
fazem hum som claro, e se pronuncião
com o som da vogal antes, e depois
de si, como v. g. L, M, que se pronuncião,
como se se escrevem Ele,
Eme. a5

Das semivogaes se fazem liquidas L,
e R, precedendo-lhe letra muda, porque
esta lhe faz perder a força do seu som,
como v. g. na palavra Clamor o L se faz
liquido, perdendo a força do seu som por
lhe parecer a letra muda C. Da mesma
sorte na palavra Abril o R se faz liquido,
por lhe preceder a letras muda B.

Tambem das vogaes o V depois de
Q, e algumas vezes depois de G se faz
liquido, seguindo-se-lhe vogais, como v. g. nas palavras Questão,
Guerra.6

Do que temos dito se collige, que as
palavras se compoem de syllabas, e as
syllabas de letras; e que de letras, syllabas,
e palavras se compoem a oração.

Na lingua Portugueza ha nove especies
de palavras, de que como partes póde
constar a oração Portugueza a saber,
Artigo, Nome, Pronome, Verbo, Participio,
Preposição, Adverbio, Conjunção,
Interjeição. Destas as primeiras sinco são
declinaveis, por variarem a terminação,
isto he, a ultima syllaba com mudanças,
ou accrescentamento de letras; e as outras
são indeclinaveis, por conservarem sempre
a mesma terminação. De todas trataremos
por sua ordem.7

Parte I.
Da Etymologia.

Livro I.
Do Artigo, Nome, Pronome, suas differenças,
e declinações.

Lição I.
Da natureza do Artigo, e do Nome,
e suas differenças.

§ I.
Do Artigo.

Artigo he huma palavra, que
por si só não significa cousa alguma
completamente; mas posta
na oração antes do nome Appellativo,
ou Commum, lhe restringe, e determina
a sua significação geral, fazendo-a
pertencer a huma só pessoa, ou cousas.
Como se vê v.g. se eu disser: Pedro,
8dá-me os Livros
. Onde o Artigo Os anteposto
ao nome Appellativo Livros lhe
determina a sua significação geral por
onde elle convem a todos os livros, e
a faz competir determinadamente áquelles
certos livros, que Pedro sabe quaes
são. Pelo contrario se eu disser: Pedro,
dá-me Livros
; então o nome Livros,
por não ter antes de si Artigo, não determina
os livros, que Pedro me ha de
dar, por competir a sua significação geralmente
a todos os livros.

Serve tambem o Artigo para mostrar
os casos, numeros, e genero dos Nomes,
a que se antepoem, como veremos,
quando tratarmos da sua declinação.

§ II.
Do Nome, e suas differenças.

Nome he huma voz, com que se nomeão
as cousas, e suas qualidades,
assim como Esmeralda, que significa huma
cousa; e Verde, que desta cousa, ou
de outra semelhante significa a qualidade
de ter a cor verde.

O Nome ou he Substantivo, ou Adjectivo.9

Substantivo he aquelle, que por si só;
isto he, sem dependencia do Adjectivo,
significa completamente huma sousa, assim
como Ceo, Terra.

O Nome Substantivo ou he Proprio,
ou Appellativo.

Substantivo Proprio he aquelle, que
significa huma cousa, ou pessoa certa, assim
como Lisboa, que compete só a esta
Cidade, Corte de Portugal. E Ulisses,
que convem só a hum grego antigo reedificador
conforme alguns de Lisboa.

Substantivo Appellativo, ou Commum
he aquelle, que significa huma cousa, ou
pessoa incerta, por competir a muitas semelhantes,
assim como Reino, que compete
a todos os Reinos, e Rey que compete
a todos os Reys.

Na classe do Nome Appelativo se incluem
os Substantivos Collectivos, Augmentativo,
e Diminutivo.

Substantivo Colletivo he aquelle, que
no numero singular significa multidão, assim
como Exercito, Povo.

Substantivo Augmentativo he aquelle,
que significa com augmento o mesmo, que
o nome primitivo, donde nasce; assim
10como o Substantivo Homemzarrão, que
significa com augmento o mesmo, que o
nome Homem, de que se deriva; porque
quer dizer homem de estatura maior, que
a ordinaria. Usa-se pela maior parte na
oração familiar.

Substantivo Diminutivo he aquelle,
que significa com diminuição o mesmo,
que o nome primitivo, de que se deriva,
como v.g. o Substantivo Livrinho, que
significa com diminuição o mesmo, que
significa o nome Livro, donde elle traz
a sua origem, porque quer dizer livro
pequeno. A nossa lingua tem grande copia
do diminutivos, que lhe dão muita
graça, e delicadeza.

O Nome Adjectivo he aquelle, que
significa a qualidade da cousa, que significa
o Nome Substantivo; pelo que delle
depende para fazer sentido completo, como
v.g. Adjectivo Branco; que por si
só não faz sentido completo, por significar
a qualidade de huma cousa, que tem
a cor branca; mas como por si só não
exprime qual ella seja, por isso depende
de se ajuntar a hum Nome Substantivo,
assim como Neve, Cal, ou outro semelhante,
11que significa a cousa, da qual
elle exprima a qualidade de ter a cor
branca.

Na classe do nome Adjectivo se incluem
o Pronome, e o Participio. Do
Pronome fallaremos adiante, quando tratarmos
da sua declinação; e do Participio
depois do Verbo, para se entender melhor
a sua natureza por causa da derivação,
que tem do mesmo Verbo.

Divide-se mais o Adjectivo em quanto
á significação em varias especies. As
mais necessarias, e notorias diremos na
Lição IV; pois por ora sómente daremos
do Adjectivo aquella noticia, que basta
para se entender a sua natureza, e declinação.

O nome tanto Substantivo, como Adjectivo
tem Casos, Numeros, e Genero.
Deste ultimo trataremos separadamente,
seguindo o costume dos Grammaticos.

Os casos são as diversas posições
que em si tem o nome, para significar huma
mesma cousa, por differentes modos;
pois não he o mesmo dizer, v. g. no Nominativo
o livro, que dizer no Genitivo
do livro, e no dativo ao livro, e assim
12nos demais casos. Nas lingua Grega, e
Latina os casos nos nomes se distinguem
huns dos outros pela diversa terminação,
o que se não encontra nas linguas vulgares;
pois como nestas são os nomes indeclinaveis,
ou invariaveis dentro do mesmo
numero, para se differençarem entre
si os casos, pela maior parte se antepoem
a cada hum delles huma particula, que
serve de sinal para o distinguir, e dar a
conhecer.

Os casos são seis, a que os grammaticos
attendendo ao diverso officio,
que cada hum faz, derão o nome, chamando-lhes
assim: Nominativo, Genitivo,
Dativo, Accusativo, Vocativo,
Ablativo. Os nomes contém duas vezes
todos os sobreditos casos. Nos primeiros
seis denotão, que he huma só a cousa,
que significão; e nos segundos, que são
muitas as cousas, que significão; e daqui
provém dizerem os Grammaticos, que os
nomes tem dous numeros Singular, e
Plural.13

Advertencia.

Alguns nomes ha, que não tem todas
as propriedades sobreditas, pelo que
lhes chamão os Grammaticos anomalos,
ou irregulares, pois huns não tem todos
os casos, como veremos, quando tratarmos
da sua declinação. Outros tem sómente
o numero singular, e falta-lhes o
plural, assim como Cal, Isto, Isso; outros
tem sómente o numero plural, e falta-lhes
o singular, assim como Exequias,
Alviçaras, Andas, e os Adjectivos numeraes
Dois, Duas; Tres, Quatro, &c.

Lição II.
Da declinação dos Artigos.

O Artigo tem declinação por dous numeros
singular e plural, e por sinco
casos em cada hum dos ditos numeros,
por ter menos que o Nome, o
Vocativo.

Para distinguir os numeros hum do
outro, varia o artigo a terminação, por
se dizer no singular O, ou A, e no plural
Os, ou As; o que não faz para
14differençar entre si os casos, por serem todos
semelhantes ao Nominativo dentro do
mesmo numero; porque dizemos sempre
no singular O, ou A, e no plural Os,
ou As; porém suppre-se esta falta de terminações
diversas para se distinguirem os
casos huns dos outros, antepondo a cada
hum delles, tirando o Nominativo, huma
particula, que serve de sinal para o dar a
conhecer; pois de Genitivo he sempre
sinal a preposição De, de Dativo precisamente
a preposição A, de Accusativo,
quando leva particula (por se usar tambem
este caso sem ella algumas vezes)
he a preposição A, ou Para, ou qualquer
das outras preposições, que são sinal
de Accusativo. Finalmente de Ablativo
he sinal a preposição De, ou Em, ou
Por, ou qualquer das outras preposições,
que são sinal de Ablativo. E por causa
desta variedade de particulas, que differenção
os casos do artigo, he que dizemos,
que elle se declina por casos; porque
rigorosamente fallando o artigo he
indeclinavel dentro do mesmo numero,
por não variar a terminação.

Ha duas especies de artigo, que são:
15O, e A. O artigo O, que se chama masculino
por se ajuntar aos nomes masculinos,
se declina desta sorte.

tableau num. sing. | nominativo o. | genitivo d’o. | dativo ao. | accusativo o, a-o, | ablativo d’o, n-o. | num. plur. | nominativo os. | genitivo d’os. | dativo a-os. | accusativo os, a-os, para-o, para-os. | ablativo d’os, n-os, pel-o, pel-os.

O artigo A, que se chama feminino
por se ajuntar aos nomes femininos, se
declina desta sorte.

tableau num. sing. | nom. a. | gen. d’a. | dat. á. | ac. a, para a. | abl. d’a, n-a, | num plur. | nom. as. | gen. d’as. | dat ás. | ac. as. para as. | abl. d’as. n-as, pel-a, pel-as.

Advertencias.

1. A preposição De anteposta ao genitivo,
ou ao ablativo, tanto do artigo O,
16como do artigo A, perde a vogal e, e
se ajunta com a vogal do artigo, que se
lhe segue, pronunciando-se ambas as particulas,
como se fossem huma só; porque
dizemos por causa da brevidade, e doçura
da pronunciação d’o, d’os, d’a, d’as,
em lugar de de-o, de-os, de-a, de-as. Os
nossos Antigos denotavão a ellisão da vogal
e com este sinal (’), chamado apostrofe,
que he huma virgula posta algum
tanto mais alta, que a letra d, como se
vê em d’o, d’a. Deste sinal usaremos para
maior clareza na declinação dos nomes,
em que a preposição De perde a
vogal e nos sobreditos casos.

2. No dativo do artigo A em ambos os
numeros se absorve na pronunciação a vogal
a da preposição A, que precede á vogal
a do artigo, pronunciando-se esta com
mais força; porque costumamos dizer mais
breve, e suavemente á, ás em lugar de aa,
aas, evitando-se por esto modo a aspera,
e vagarosa pronunciação dos dous aa juntos
hum da preposição, e outro do artigo.

3. No ablativo, tanto do artigo O,
como do artigo A, quando se lhe antepoem
a preposição Em, perde esta a vogal
17e, e muda o m em n, ajuntando-se o
n com a vogal seguinte do artigo; porque
usamos dizer mais breve, e suavemente
n-o, n-os, n-a, n-as em lugar de
em-o, em-os, em-a, em-as.

4. No ablativo, tanto do artigo O,
como do artigo A, quando lhe precede
a preposição Por, muda esta o or em el,
e se ajunta com a vogal do artigo, pronunciando-se
ambas as palavras, como se
fossem huma só, dizendo-se pel-o, pel-os,
pel-a, pel-as em lugar de por-o, por-os,
por-a, por-as.

Lição III.
Da declinação dos Nomes Substantivos.

Os nomes Substantivos tem declinação
por dous numeros, singular, e plural e
por seis casos em cada numero.
Para se distinguir o numero plural do numero
singular, varião a terminação; porque
se diz no singular v. g. Campo, e
no plural Campos. Mas são indeclinaveis,
ou invariaveis dentro do mesmo
numero, por terem todos os casos semelhantes
ao Nominativo; porque se diz
v. g. Campo em todos os casos do numero
18singular, e nos do plural Campos;
porém sem embargo de não variarem os
nomes a terminação dentro do mesmo
numero, de algum modo fazemos que se
declinem, ou variem extrinsecamente com
a diversidade de particulas, que lhes antepomos
para se differençarem entre si os
casos, como adiante veremos.

Os Grammaticos Latinos formão sinco
declinações de nomes, por terem estes
na lingua Latina sinco modos de variar a
terminação do Genitivo; porém nós formaremos
duas, attendendo a terem os
nomes Portuguezes duas maneiras de se
declinarem: huma com preposições, e outra
com artigos acompanhados de preposição
em alguns casos, por não poderem
por si só differençar a todos.

§ I.
Da primeira declinação dos Nomes Substantivos.

A Primeira declinação he dos nomes
substantivos Proprios, aos quaes se
não ajuntão artigos para determinarem
a significação, pela terem por si só
19determinada. E esta he a razão, por que
se declinão com as mesmas preposições,
com que se declinão os artigos; pois na
declinação só differem destes em terem
demais o vocativo, cujo caso se usa com
particula dantes de si, ou sem ella; e
quando a admitte, he a interjeição ó,
ou á. Para exemplo da declinação do
nome substantivo Proprio, declinaremos
o nome masculino Pedro.

Numero singular.

tableau nominat. pedro. | genit. de pedro. | dativ. a pedro. | acc. pedro, a, | para pedro | voc. pedro, ou ó | pedro. | abl. de, em, por

Não tem numero plural, por competir
a huma só pessoa, pois sómente se usa
no numero plural, dizendo-se os Pedros,
quando a sua significação se toma, como
commua a muitos homens, que se chamão
Pedro; e nesta significação perde a natureza
de Proprio, e pertence á regra da
segunda declinação.20

O nome Proprio feminino, assim como
Isabel, se declina da mesma sorte.

Excepção.

Os nomes Proprios de montes, assim
como Vesuvio, Parnaso; de mares, assim
como Oceano, Egeo; de rios, assim
como Tejo, Mondego; e alguns de Provincias,
assim como Brazil, Algarve;
ou de Cidades, assim como Porto, Cairo,
se declinão com artigos, não porque
necessitem delles para significarem cousa
certa, e determinada, mas sim porque o
uso os introduzio, attendendo á maior suavidade
da pronunciação; porque sem dúvida
he mais suave dizer, antepondo o
artigo O, v. g. ao nome Téjo, eu naveguei
o Téjo
, do que dizer, antepondo-lhe
a preposição A, eu naveguei a Téjo.

Á regra da primeira declinação pertence
tambem o Substantivo Appellativo
na sua significação Commua, e geral, porque
nesta se declina com preposições em
ambos os numeros. Para exemplo declinaremos
o Appellativo masculino Principe.21

tableau numero singular | nom. principe. | genit. de principe. | dativ. a princepe. | acc. principe, a, para principe. | voc. principe, ou ó principe. | abl. de, em, por principe. | numero plural | nom. principes. | gen. de principes. | dativ. a princepes. | acc principes, a, para principes. | voc. principes, ou ó principes. | abl. de, em, por principes.

Da mesma sorte se declina o appellativo
feminino, assim como Princeza.

Os nomes Substantivos, que se declinão
com preposições, não differenção por
meio dellas os casos do numero plural
dos do singular, por serem semelhantes
em terem as mesmas preposições, que tem
os casos do singular, como se vê na declinação
do nome Principe, em que o
genitivo do plural tem a mesma preposição
De, que se antepoem ao genitivo do
singular, encontrando-se a mesma semelhança
nos outros casos nas preposições,
que se lhes ajuntão; porém sem embargo
disso temos hum sinal para se conhecer o
22numero do caso, que he a ultima letra,
em que este acaba; porque se acaba na
letra s, he do numero plural; se em
qualquer outra letra, he do numero singular.
Advertindo-se, que este sinal algumas
vezes falta em alguns nomes, que
no singular acabão em s, assim como
Deos, Jesus; e em alguns nomes proprios
de homem, como v. g. Domingos,
Marcos; ou de lugares, assim como Bellas,
Odivellas, Paredes. Tambem falta
nos adjectivos numeraes do numero plural,
que acabão em a, e, o, l, m, z,
assim como Trinta, Vinte, Sinco, Mil,
Cem, Dez; e nos nomes, que tem no
plural a mesma terminação do singular,
assim como Que, Quem, Ourives.

Da segunda declinação dos Substantivos.

A segunda declinação he dos nomes
Substantivos Appellativos, quando para
effeito de determinarem a sua significação
geral, lhes ajuntamos artigos, dos quaes
puzemos as declinações em primeiro lugar,
para que quem as souber de memoria,
possa declinar com facilidade qualquer
nome appellativo, pospondo-o de
23caso em caso ao artigo, que lhe competir,
conforme o seu genero, isto he, pondo
o nominativo do nome depois do nominativo
do artigo; o genitivo do nome
depois do genitivo do artigo, e da mesma
sorte nos outros casos.

Isto supposto. O nome Appellativo
masculino se declina com o artigo O. Para
exemplo da sua declinação, declinaremos
o Nome Principe, que acima declinámos
com preposições.

tableau num. sing. | nom. o principe. | genit. d’o principe. | dativ. ao principe. | acc. o, ao, para o principe. | voc. principe, ou ó principes. | abl. d’o, no, pelo principe. | num. plur. | nom. os principes. | genit. d’os principes. | dat. aos principes. | acc. os, aos, para os principes. | voc. princepes, ou ó principes. | abl. d’os, nos, pelos principes.

O nome Appellativo feminino se declina
com o artigo A. Para o exemplo da
sua declinação, declinaremos o nome Princeza.24

tableau num. sing. | nom. a princeza. | gen. d’a princeza. | dativ. á princeza. | acc. a, para a princeza. | voc. princeza,ou ó princezas. | abl. d’a, na, pela princeza. | num. plur. | nom. as princezas. | g. d’as princezas. | d. á princezas. | acc. as, para as princezas. | voc. princezas, ou ó princezas. | abl. d’as, nas, pelas princezas.

Do mesmo modo se declinão aquelles
nomes Proprios, a que o uso sempre ajunta
o artigo, por causa da suavidade da pronunciação,
como dissemos tratando da
primeira declinação. Tambem se declinão
com artigos os outros nomes Proprios,
quando em algum sentido a sua
significação se toma, como commua a muitos.

Advertencia.

Dos exemplos, que démos da declinação
do nome Appellativo declinado com
artigos se collige, que servem os artigos
de sinal para mostrar o genero, numeros,
25e casos do nome, a que se antepoem; porque
o artigo O, Os junto ao nome, mostra
que he do genero masculino; e o artigo
A, As, que he do genero feminino.
Os artigos O, e A mostrão que o
nome está no singular; e os artigos Os,
e As que está no plural. Mostrão tambem
os artigos os casos do nome, huns
por si só, que são o nominativo, e ás vezes
o accusativo; outros acompanhados
de preposição, por serem as preposições,
as que verdadeiramente apontão, e dão a
conhecer o genitivo, dativo, ablativo, e
ás vezes o accusativo, tanto do nome,
como do artigo, como já dissemos.

Na lingua Portugueza se usa ajuntar-se
o artigo Castelhano El em lugar do
artigo O ao nome appellativo Rey no numero
singular, deste modo.

tableau numero singular. | nomin. el rey. | genitiv. d’el rey. | dativ. a el rey. | acc. el, a el, para | el rey. | vocativ. ó rey. | abl. d’el, com el, | por el rey.26

Lição III.
Da declinação dos Nomes Adjectivos.

Dos nomes adjectivos huns tem duas
fórmas, ou terminações em cada caso,
outros tem só huma. Os que tem duas
fórmas, ou terminações, assim como Justo,
Justa, serve a primeira para se juntar
aos nomes Substantivos masculinos,
como v. g. Principe justo; e a segunda
para se juntar aos nomes Substantivos femininos,
como v. g. Princeza justa. Os
que tem sómente huma fórma, ou terminação,
assim como o Adjectivo Prudente,
serve esta para se ajuntar tanto ao Substantivo
masculino, como v. g. Principe
prudente
, como ao Substantivo feminino,
v.g. Princeza prudente.

§ I.
Da declinação dos Nomes Adjectivos de
duas fórmas, ou terminações.

Os nomes Adjectivos de duas fórmas,
ou terminações se declinão, ou com
preposições, ou com artigos. Quando se
27declinão com preposições, pertencem á regra
da primeira declinação do Substantivo
em ambas as fórmas, por servir a mesma
preposição, que se antepoem aos casos,
que a admittem, tanto para a primeira,
como para a segunda fórma. Para o exemplo
declinaremos o Adjectivo Justo, Justa.

tableau num. sing. | n. justo, justa. | g. de justo, de justa. | d. a justo, a justa. | acc. justo, a, para justo, justa, a para justa. | v. justo, ou ó justo, justa, ou ó justa. | abl. de, em por justo, de, em por justa. | num. plur. | n. justos, justas. | g. de justos, de justas. | d. a justos, a justas. | acc. justos, a para justos, justas, a, para justas. | v. justos, ou ó justos, justas, ou ó justas. | abl. de, em por justos, de, em, por justas.

O Adjectivo de duas fórmas, ou terminações,
quando se declina com artigos,
28pertence á regra de segunda declinação
do Substantivo, por se declinar a primeira
fórma masculina com o artigo O,
e a segunda feminina com o artigo A.
Para o exemplo declinaremos o mesmo Adjectivo
Justo, Justa.

tableau num sing. | n. o justo, a justa. | g. d’o justo, d’a justa. | d. ao justo, á justa. | acc. o, ao, para o justo, a, para a justa. | v. justo, ou ó justo, justa, ou ó justa. | abl. d’o, no pelo justo, d’a, na, pela justa. | num plur. | n. os justos, as justas. | g. d’os justos, d’as justas. | d. aos justos, ás justas. | acc. os, aos, para os justos, as, para as justas. | v. justos, ou ó justos, justas, ou ó justas. | abl. d’os, nos pelos justos, d’as, nas, pelas justas.29

§ II.
Da declinação dos Nomes Adjectivos de
huma só terminação.

Os Adjectivos de huma só terminação
se declinão ou com preposições
ou com artigos. Quando se declinão com
preposições, pertecem em ambos os numeros
á regra da primeira declinação
dos nomes Substantivos. Para o exemplo da
sua declinação declinaremos o Adjectivo
Prudente.

tableau num. sing. | nom. prudente. | gen. de prudente. | dat. á prudente. | ac. prudente,a, ou, para prudente. | voc. prudente, ou ó prudente. | abl. de, em, por prudente. | num. plur. | nom. prudentes. | gen. de prudentes. | dat. á prudentes. | ac. prudentes,a, ou para prudentes. | voc. prudentes, ou ó prudentes. | abl. de, em, por prudentes.

Os Adjectivos de huma só terminação,
quando se declinão com artigos,
30pertencem á regra da segunda declinação
dos nomes Substantivos, por se declinarem,
quando se ajuntão ao nome
Substantivo masculino com o artigo O, e
quando se ajuntão ao Substantivo feminino
com o artigo A. Para exemplo da sua
declinação declinaremos o mesmo nome
Adjectivo Prudente juntamente com o artigo
O, e com o artigo A.

tableau num. sing. | n. o prudente, a prudente. | g. d’o prudente, d’a prudente. | d. ao prudente, á prudente. | ac. o, ao, ou para, o prudente, a, ou para a prudente. | v. prudente, ou ó prudente. | abl. d’o, no, pelo prudente, d’a, na, pela prudente. | num. plur. | n. os prudentes, as prudentes. | g. d’os prudentes, das prudentes. | d. aos prudentes, ás prudentes. | ac. os, aos, ou para os prudentes, as, ou para as prudentes. | v. prudente, ou ó prudentes. | abl. d’os, nos, pelos prudentes, d’as, nas pelas prudentes.31

Advertencia.

Os Adjectivos se declinão com preposições,
ou com artigos, conforme pedem
os Substantivos com quem concordão
na oração, como nesta oração. Eu
fui á Igreja de Santo Antonio
, aonde
ao Adjectivo Santo se ajunta preposição,
e não artigo, pela pedir o Substantivo
proprio Antonio, com quem concorda,
pela razão que dissemos, quando tratámos
da primeira declinação dos Substantivos.
Porém isto só tem lugar, quando na oração
os Adjectivos estão antes dos seus Substantivos;
porque então a mesma particula,
que mostra o caso dos Adjectivos,
denota juntamente o dos Substantivos,
como se vê no sobredito exemplo, aonde
a preposição De anteposta ao Adjectivo
Santo concordado com o Sunstantivo
Antonio denota que ambos estão em genitivo;
e a razão de se não pôr tambem
a dita particula antes do Substantivo Antonio,
he porque seria desagradável a sua
repetição, se dissessemos de Santo de Antonio.
Porém quando o Adjectivo está na
oração depois do seu Substantivo, então
32só se ajunta a este a particula para denotar
o caso, em que ambos concordão, como
v. g. Arte de Grammatica Portugueza,
onde o Substantivo Grammatica,
por estar antes do seu Adjectivo Portugueza,
só tem a particula de para mostrar,
que ambos estão em genitivo.

Lição IV.
De algumas especies de Nome Adjectivo.

Nome Adjectivo partitivo he aquelle,
que significa a cousa, como parte
de alguma multidão, assim como os
Adjectivos Hum, Algum.

Adjectivo numeral he aquelle, que significa
numero: este he ou numeral cardeal,
ou numeral ordinal.

Numeral cardeal he aquelle, que significa
numero absolutamente, assim como
Hum, Dous, Tres.

Numeral ordinal he aquelle, que significa
numero por ordem, como v.g.
Primeiro, Segundo.

Adjectivo patrio he aquelle, que significa
a patria, donde alguem he natural,
assim como Lisboense, que significa
33o natural de Lisboa. Romano que significa
o natural de Roma.

Adjectivo gentilicio he aquelle, que
significa, e mostra a gente, ou nação, de
alguem que procede, assim como Portuguez,
Castelhano.

Adjectivo positivo he aquelle, que significa
a qualidade de alguma cousa absoluta,
e simplesmente, assim como Bom,
Máo.

Comparativo he aquelle, que significa
o mesmo, que o seu positivo junto com
a palavra Mais, como Melhor, comparativo
do positivo Bom, que significa mais
bom
.

Na lingua Latina o nome Positivo fórma
de si mesmo o seu comparativo; o
que não succede na Portugueza, porque
tem sómente quatro comparativos, que
senão formão dos seus positivos, a saber:
Melhor, comparativo do positivo Bom,
Boa; Peior, comparativo do positivo Máo,
; Maior, comparativo do positivo
Grande; Menor, comparativo do positivo
Pequeno, Pequena. Todos estes comparativos
tomou a lingua Latina,
em que tambem conservão a mesma irregularidade
34de se não formarem dos seus positivos.

Os Positivos, que não tem comparativo,
supprem esta falta, quando queremos
comparar alguma cousa com outra,
ajuntando-se-lhes o adverbio Mais, como
quando dizemos : O estudo da Rhetorica
he mais agradavel, que o da Grammatica
.
Onde o positivo Agradavel junto
com a palavra Mais, suppre a falta, que
tem de comparativo.

Adjectivo superlativo he aquelle, que
significa o mesmo, que o seu positivo junto
com a palavra Muito, como o superlativo
Doutissimo, que quer dizer Muito
douto.

Fórma-se o superlativo do seu mesmo
positivo. Quando este he de duas fórmas,
que acabão em o, e a, faz o superlativo
tambem de duas formas, mudando o o em
issimo, e o a em issima, como o positivo
Alvo, Alva, mudando a ultima letra o
da primeira fórma em issimo; e a ultima
letra a da segunda fórma em issima, faz
o superlativo de duas fórmas Alvissimo,
Alvissima. Exceptuão-se Sagrado, Sagrada,
que faz Sacratissimo, Sacratissima.
35Amigo, Amiga, Amicissimo, Amicissima.
Frio, Fria, Frigidissimo, Frigidissima.
Máo, , Malissimo, Malissima.

O Positivo de huma só fórma acabada
em e faz o superlativo de duas fórmas,
mudando o e final em issimo, e issima,
como Prudente, que fórma o superlativo
Prudentissimo, Prudentissima. Exceptua-se
Nobre, que faz Nobilissimo,
Nobilissima.

O Positivo de huma só fórma acabada
em l faz o superlativo de duas fórmas,
accrescento-se-lhes as syllabas
issimo, issima, como Fertil, que faz o
superlativo Fertilissimo, Fertilissima. Exceptuão-se
Fiel, que fórma Fidelissimo,
Fidelissima: Infiel, que faz Infidelissimo,
Infidelissima.

O Positivo de duas fórmas acabadas
em m, e a faz o superlativo tambem de
duas fórmas, mudando o m em nissimo,
e o a em nissima, como v. g. Commum,
Commua, que faz Communissimo, Communissima.

O Positivo de huma só fórma acabada
em z faz o superlativo de duas fórmas,
36mudando o z em cissimo, e cissima,
como Capaz, que faz Capacissimo, Capacissima.

Porém não he commum a todos os
positivos o formarem de si superlativo,
pelo que supprem essa falta os que o não
fórmão, ajuntando-se-lhes a palavra Muito,
como o positivo Ferido não fórma de
si superlativo, porque não usamos dizer
Feridissimo; porém suppre essa falta, antepondo-se-lhe
a palavra muito, dizendo-se
muito ferido.

Tambem temos outra fórma de supprir
o superlativo, antepondo ao positivo
a palavra Mais precedida de artigo, como
quando dizemos: Nero foi o mais tyranno
dos Imperadores Romanos
. Onde
o positivo Tyranno junto com a palavra
Mais precedida do artigo o, suppre a
falta do superlativo, que não fórma.

Este modo de supprir o superlativo
por circumloquio se usa tambem com os
positivos, que de si fórmão superlativo;
pois tanto costumamos dizer: Este campo
he fertilissimo entre todos
, como por
circumloquio. Este campo he muito fertil
entre todos
, ou o mais fertil de todos.37

Advertencia.

Os Adjectivos, a que se não póde augmentar,
nem diminuir a significação,
não tem comparativo, nem superlativo,
e tambem não supprem esta falta por circumloquio,
como v. g. o adjectivo Qual,
que por causa da sua significação não póde
ter comparativo, nem superlativo; porque
não podemos dizer naturalmente mais
qual
, nem tambem muito qual. desta especie
são os Adjectivos partitivos, numeraes,
patrios, gentilicos; e os Pronomes
demonstrativos, possessivos, relativos, e
interrogativos.

Lição V.
Da natureza, e differenças do Pronome.

Pronome he aquelle, que na oração
se poem em lugar de outro nome,
como quando digo: Pedro estuda Grammatica,
e o mesmo ha de estudar Rhetorica
.
Onde a palavra mesmo he pronome,
que se poem em lugar do nome Pedro
para evitar a sua repetição; pois seria
fastidiosa no mesmo periodo, se dissessemos:
38Pedro estuda Grammatica, e Pedro
ha de estudar Rhetorica
.

Divide-se o Pronome em varias especies,
que são: Demonstrativo, Reciproco,
Possessivo, Relativo, e Interrogativo.
Entre estes chamão-se primitivos aquelles,
que se não derivão de outros, e derivados
aquelles, que se derivão dos primitivos.
Todos são adjectivos, tirando
Eu, Tu, Si, que a opinião commua
dos Grammaticos julga substantivos.

Lição VI.
Da declinação dos Pronomes Demonstrativos.

Pronome Demonstrativo he aquelle,
que serve para mostrar a pessoa, ou
alguma cousa, como v.g. quando digo:
Eu escrevo a Grammatica Portugueza.
Onde a palavra Eu he Pronome demonstrativo,
por mostrar a pessoa, que escreve
a Gammmatica Portugueza.

Dos Pronomes demonstrativos tres se
chamão pessoaes, por mostrarem, e exprimirem
as pessoas, que podem entrar
39na oração, e são os seguintes, incluidos
no numero dos primitivos.

Declinação do Pronome Eu, que mostra
a primeira pessoa, que falla na oração.

tableau primeira pessoa no numero sing. masculina e femin. | nom. eu. | gen. de mim. | dat. me, ou a mim. | ac. me, a, ou para mim. | abl. de, em, por mim, comigo. | primeira pessoa no numero plur. masculina, | e femin. nom nós. | gen. de nós. | dat. nós, ou a nós. | ac. nós, a, ou para nós. | abl. de, em, por nós, comnosco.

Declinação do Pronome Tu, que mostra
a segunda pessoa, com quem se falla
na oração.

Segunda pessoa no numero sing. masculina,
e feminina.

tableau nom. tu. | gen. de ti. | dat. te, ou a ti. | ac. te, a, ou para ti. | voc. carece. | abl. de, em por | ti, comtigo.40

Segunda pessoa no numero plur. masculina,
e feminina.

tableau nom. vós. | gen. de vós. | dat. vós ou a vós. | ac. vós, a, ou | para vós. | voc. carece. | abl. de, em, por | vós, comvosco.

Advertencia.

Os Pronomes Eu, Tu no número singular
varião a terminação, assim como os
nomes Gregos, e Latinos; por quanto o
pronome Eu tem as terminações Eu, me,
mim; e o pronome Tu as terminações
Tu, te, ti. No ablativo tem duas terminações:
da que no singular acaba em go,
e no plural em co se usa sómente, quando
lhe precede a preposição com. Porém
sem embargo das ditas differentes terminações
pelo costume da lingua, se distinguem
os casos tambem por meio das particulas,
que se lhes antepoem.41

Declinação do Pronome Elle, Ella, que
mostra a tercira pessoa, de que se
falla na oração.

Terceira pessoa no numero singular.

tableau mascul. femin. | nom. elle, ella. | gen. d’elle, d’e’ella. | dat. lhe, ou a elle, lhe, ou a e’lla. | ac. lhe,a, ou para | elle lhe, a ou para, e’lla. | abl. d’elle, nelle, | por elle, d’e’lla, ne’lla, por | e’lla.

Terceira pessoa no numero plural.

tableau mascul. femin. | nom. elles. e’llas. | gen. d’elles,. | dat. lhes, ou a elles, lhes, ou a e’llas. | ac. lhes,a,ou para | elles lhes, a, ou para | e’llas. | abl. d’elles, nelles, | por elles, d’e’llas, ne’llas por

São Pronomes demonstrativos Este,
42Esta; Esse, Essa; Aquelle, Aquella; Isto,
Isso, Aquilo. O primeiro, e segundo são
primitivos, os outros são derivados; por
quanto Aquelle, Aquella deriva-se de Elle,
Ella; Isto de Este; Isso de Esse; Aquillo
de Aquelle. Este, Esta; Esse, Essa;
Aquelle, Aquella declinão-se da mesma
sorte que Elle, Ella, tirando-se a
terminação lhe. O pronome Isto declina-se
assim.

Numero singular.

tableau nom. isto. | gen. d’isto. | dat. a isto. | ac. isto, a, ou para | isto | abl. d’isto, nisto, | por isto.

Carece de numero plural.

Os Pronomes Isso, e Aquillo declinão-se
do mesmo modo que o Pronome Isto,
como tambem os adjectivos Tudo, Alguem,
Ninguem, Cada. A este ultimo
ás vezes se costuma ajuntar o adjectivo
Hum, Huma, e o pronome Qual, porque
se diz cada hum, cada huma, cada
qual
. Tambem aos pronomes Este, Esse,
Aquelle; Isto, Isso, e Aquillo se junta ás
43vezes o adjectivo Mesmo, Mesma, porque
dizemos Este mesmo, esse mesmo,
aquelle mesmo; Isto mesmo, isso mesmo,
aquillo mesmo. Do mesmo modo se ajunta
o adjectivo Outro, Outra aos pronomes
Este, Esse, Aquelle, pois dizemos
Estoutro, Essoutro, Aquelloutro, pronunciando
ambas as palavras, como se fossem
huma só, por se absorber na pronunciação
o e final dos ditos Pronomes.

Lição VII.
Do Pronome Reciproco.

Pronome Recipropco he aquelle, que
exprime a relação de huma cousa a
ella mesma, como se vê, quando digo;
Pedro ferio-se com a espada. Onde a palavra
se he Pronome Reciproco, por se
referir a Pedro, exprimindo que a acção
de ferir sahio de Pedro, e que no mesmo
se empregou.44

Declinação do Pronome Reciproco Si.

Num. singul. e juntamente plur.

tableau gen. de si. | dat. se, ou a si. | ac. se, a, ou para si. | abl. de, por si, | comsigo.

Advertencia.

O Pronome Si dentro do mesmo número
varia a terminação, como os Pronomes
Eu, e Tu. Determinação do ablativo,
que acaba em go, se usa sómente,
quando lhe precede a preposição Com.
Da terminação Se do Pronome Si se deriva
o Pronome Reciproco Seu, Sua, o
qual se póde declinar com preposições,
ou com artigos, da mesma sorte que o
adjectivo Justo, Justa, pois deste só differe
em não ter vocativo.

Lição VIII.
Do Pronome Possessivo.

Pronome Possessivo he aquelle, que
exprime qual seja o senhor, ou possuidor
de alguma cousa. Quando digo:
45Emprestei o meu capote a Pedro, a palavra
meu he Pronome possessivo, porque
declara que sou o senhor do capote.

São Pronomes possessivos: Meu, Minha,
Teu, Tua; Seu, Sua; Nosso, Nossa;
Vosso, Vossa, e declinão-se com artigos
da mesma sorte que o adjectivo Justo,
Justa; porém todos carecem de vocativo,
tirando o Pronome Meu, Minha.
Algumas vezes admittem preposições na
declinação, quando se ajuntão a algum
substantivo, que signifique gráo de parentesco,
assim como Pai, Mãi; ou titulo
de dignidade, assim como Magestade,
Alteza.

Advertencia.

Todos os Pronomes possessivos são derivados;
porque Meu, Minha deriva-se
das terminações Me, Mim do singular do
Pronome Eu. Nosso, Nossa da terminação
Nós do plural do dito pronome Eu. Teu,
Tua deriva-se das terminações Te, Tu do
singular do Pronome Tu. Vosso, Vossa da
terminação Vós do plural do Pronome Tu.46

Lição IX.
Do Pronome Relativo.

Pronome Relativo he aquelle, que refere,
e traz á memoria o nome substantivo,
pelo qual se poem na oração.
Quando digo: O Senhor D. José I
Rei de Portugal instituio Escolas, as
quaes são muito uteis aos seus Vassallos,
a palavra quaes
he Pronome relativo,
porque refere, e traz á memoria o
nome substantivo antecedente Escolas, porque
val o mesmo que dizer: O Senhor
D. José I. Rei de Portugal instituio
Escolas, as quaes são muito uteis
aos seus Vassallos
.

São Pronomes Relativos os seguintes
de huma só fórma.

Declinação do Pronome Qual.

Numero singular.

tableau n. o qual, a qual. | g. d’o qual, d’a | qual. | d. ao qual, á qual. | ac. o, ao, para o | qual, a, para a | abl. d’o, no pelo | qual, d’a, na, | pela qual.47

Numero plural.

tableau n. os quaes, as | quaes. | g. d’os quaes, d’as | d. aos quaes, ás | ac. os,aos, para | os quaes, as | para as quaes. | abl. d’os, nos, pelos | quaes, d’as, | nas, pelas quaes.

Do Pronome Qual, e da palavra Quer
se compoem o Pronome Qualquer, que se
declina com preposições.

Declinação do Pronome Que.

tableau num. sing. | n. o que, a que. | g. d’o que, d’a que. | d. ao que, á que. | ac. o, ao, para o | que, a, para a | que | abl. d’o, no, pelo | que, d’a, na | pela que. | num. plur. | n. os que, as que. | g. d’os que, d’as | que. | d. aos que, ás que. | ac. os, aos, para | os que, as, para | as que. | abl. d’os, nos, pelos | que, d’as, | nas, pelas que.48

Tambem se declina este Pronome com
preposições.

Num. sing. e juntamente plur.

tableau nom. que. | gen. de que. | dat. a que. | ac. que, a, para | que. | abl. de, em, por

O Pronome Quem declina-se com preposições,
da mesma sorte que o Pronome
Que, e tem como este o plural semelhante
ao singular. Do Pronome Quem,
e da palavra Quer se compoem o Pronome
Quemquer, que se declina, como o seu
simples.

Os Pronomes Este, Esta; Esse, Essa;
Aquelle, Aquella; Isto, Isso, e Aquillo
tambem fazem o officio de relativos, quando
na oração trazem á memoria o substantivo
antecedente. O adjectivo Mesmo,
Mesma tambem he Pronome relativo,
quando na oração se refere ao substantivo
antecedente, e declina-se com artigos,
da mesma sorte que o adjectivo Justo,
Justa.49

Lição X.
Do Pronome Interrogativo.

Pronome Interrogativo he aquelle,
com que perguntamos alguma cousa.
Quando digo v.g. Quem he o Mestre de
Paulo
? a palavra Quem he Pronome interrogativo,
porque faáo por meio della
a pergunta.

São Pronomes Interrogativos Que,
Qual, Quem. Porque dizemos v.g. Que
foi isto?
Qual delles foi? Quem o disse?
A declinação do Pronome Quem interrogativo
he a mesma que tem, quando he
relativo. O Pronome Que Interrogativo
declina-se com preposições, e da mesma
sorte o Pronome Qual, quando faz o officio
de interrogativo; pelo que se distingue
de quando he relativo, por admittir
então artigos.50

Lição XI.
Da formação do Num. Plural dos Nomes.

Até aqui dissemos a fórma, com que
se declinão os nomes por meio das
particulas, que se lhes ajuntão; porém
como para se declinar qualquer nome não
basta sómente saber o uso das sobreditas
particulas, por ser tambem necessario o
saber-se como fórma a terminação do numero
plural, por ser de ordinario differente
da do singular, por nisso nos pareceo
preciso dar as seguintes regras, em
que se trata da formação da terminação
do plural dos nomes.

Todos os nomes Portuguezes acabão
ou em huma das seis letras vogaes, A, E,
I, O, U, Y, ou em huma das sinco letras
consoantes L, M, N, R, S, Z. E qualquer
nome, que acabar em letra diversa,
se deve reputar estranho. Fórmão os sobre
ditos nomes da sua mesma terminação,
que tem no singular a do plural com accrescentamento,
ou mudança de letras.

Os nomes, que no singular acabão
em letra vogal, fórmão o plural accescentando-se-lhes
51hum s, assim como Casa,
Casas; Fonte, Fontes; Ley, Leys;
Livro, Livros, Exceptuão-se os nomes,
que conforme alguns, acabão em ãa,
porque fórmão o plural, mudando o ãa
em ans, assim como Maçãa, Maçans,
Lãa, Lans.

Os nomes, que no singular acabão em
al, ol, ul fórmão plural, mudando a letra
l em es, assim como Sal, Saes; Caracol,
Caracoes; Azul, Azues. Exceptuão-se
os nomes, Mal, Consul, que ao
l accescentão hum es, porque fazem no
plural Males, Consules.

Os nomes acabados em el fórmão o
plural, mudando o el em eis, assim como
Bacharel, Bachareis; Amavel, Amaveis.

Os nomes acabados em il fórmão o plural,
mudando o l em s, assim como Buril,
Buris; Vil, Vis. Exceptuão-se Facil,
Difficil, Docil, que fórmão o plural,
mudando o il em eis, porque fazem
Faceis, Difficeis, Dóceis.

Os nomes acabados em , ou, conforme
alguns, em am, fórmão o plural
huns, mudando-se-lhes o ão em ãos, assim
52como Christão, Christãos; Cortezão,
Cortezãos; Cidadão, Cidadãos;
Grão, Grãos; Mão, Mãos. Outros mudando-se-lhes
o ão em aens, assim como
Capitão, Capitaens; Tabellião, Tabelliaens;
Escrivão, Escrivaens; Alemão,
Alemaens; Pão, Paens; Cão, Caens.
Outros mudando-se-lhes o ão em oens assim
como, Acção, Acçoens, Tostão, Tostoens;
Villão, Villoens; Melão, Meloens;
Opinião, Opinioens.

Os nomes acabados em em, im, om,
um fórmão o plural, mudando-se-lhes o
m em ns, assim como Homem, Homens;
Fim, Fins; Som, Sons; Jejum, Jejuns.

Os nomes acabados, conforme alguns,
em an fórmão o plural, accrescentando-se-lhes
hum s, assim como Lan, Lans;
Irman, Irmans. O nome em on Canon
fórma o plural, accrescentando-se-lhes hum
es, porque faz Canones.

Os nomes acabados em ar, er, ir,
or fórmão o plural, accescentando-se-lhes
hum es, assim como Pezar, Pezares;
Mulher, Mulheres; Martyr, Martyres;
Flor, Flores.53

Os nomes acabados em az, ez, iz,
oz, uz fórmão o plural, accrescentando-se-lhes
hum es, assim como Paz, Pazes;
Mez, Mezes; Aprendiz, Aprendizes;
Cruz, Cruzes, Exceptuão-se dos nomes
em ez Ourivez, que no plural conserva
hoje a mesma terminação singular,
pois antigamente se dizia Ourivezes. Simplez,
conforme huns, não muda a terminação
no plural, e, conforme outros,
faz no plural Simplices. Dos nomes em
iz exceptua-se Caliz, que no plural faz
Calices.

Advertencia.

Tambem os Adjectivos de duas fórmas
se comprehendem debaixo das sobreditas
regras, como o adjectivo Nenhum,
Nenhuma, que da primeira terminação
Nenhum fórma mudando o m em ns, pela
regra dos nomes acabados em um, a
primeira terminação do plural Nenhuns;
e da segunda terminação Nenhuma fórma,
accrescentando hum s, pela regra dos
nomes acabados em letra vogal, a segunda
terminação do plural Nenhumas.54

Livro II.
Do Genero dos Nomes Substantivos.

Genero he a differença, com que os
nomes se distinguem huns dos outros,
conforme o sexo que significão.

Os Grammaticos chamão do genero
masculino aos nomes, que significão cousa
macha; e do genero feminino aos nomes,
que significão cousa femea. Os mesmos
generos attribuem, ainda que impropriamente,
aos nomes, que significão cousa,
que nem he macha, nem femea; porém
isto he por causa da concordancia dos
adjectivos, como veremos na Syntaxe.

Os nomes adjectivos não tem genero
algum, mas sim duas fórmas, ou terminações,
das quaes a primeira se chama
masculina, por se ajuntar aos substantivos
masculinos; e a segunda feminina, por
se ajuntar aos substantivos femininos. No
adjectivo de huma só fórma, ou terminação
se chama esta maculina, e feminina,
por se ajuntar tanto aos substantivos
masculinos, como aos femininos.

Os Grammaticos dão a conhecer o
55genero dos nomes substantivos ou pela
significação, ou pela terminação, como
abaixo veremos.

Lição I.
Das regras para se conhecer o genero
dos Nomes Substantivos pela significação.

Do genero masculino são nomes,
que significão cousa macha, ou sejão
proprios de homem, assim como Pedro,
ou proprios de brutos, assim como Boristhenes
cavallo do Emperador Adriano,
ou sejão appellativos, que signifiquem cousa,
que convenha a homem, assim como
Rey, ou que signifiquem especie de bruto
macho, assim como Leão.

Do genero feminino são os nomes,
que significão cousa femea, ou sejão proprios
de mulher, assim como Joanna, ou
proprios de brutos, assim como Graucis
cadelinha de Arethusa, ou sejão appellativos,
que signifiquem cousa, que convenha
a mulher, assim como Rainha; ou
especie de bruto femea, assim como Ovelha.56

São do genero masculino os nomes,
que significão ventos, assim como Nordeste,
Sul; ou mares, assim como Egeo,
Oceano; ou rios, assim como Tejo, Mondego;
ou mezes, assim como Janeiro,
Fevereiro.

Lição II.
Do Nome Substantivo commum de dous.

Os Grammaticos chamão commum de
dous, isto he, commum a hum, e
outro genero o nome substantivo, que
debaixo de huma só fórma, ou terminação
significa igualmente macho, e femea;
de sorte, que quando significa macho, he
do genero masculino, e como tal pede
artigo masculino para lhe distinguir o genero,
como v.g. o Martyr; e quando
significa femea, pede artigo feminino para
lhe distinguir o genero, como v.g. a
Martyr. Desta especie são os seguintes
nomes: Artifice, Guarda, Vigia, Espia,
Martyr, Taful, Virgem, Interprete,
e, conforme alguns, Infante.57

Lição III.
Do Nome Substantivo Epiceno.

Os Grammaticos chamão Epiceno, ou
Promiscuo aquelle nome substantivo,
que debaixo de huma só terminação, e
de hum só artigo, ou este seja masculino,
ou feminino, significa igualmente macho,
e femea, como v. g. o nome substantivo
Cocodrilo, o qual sem mudar a
sua terminação, e com o mesmo artigo
masculino O, que se lhe antepoem, significa
igualmente macho, e femea; de sorte,
que se quizermos para distinção dos
sexos declarar sómente o masculino, havemos
de dizer: O Cocodrilo macho; se
o feminino sómente, havemos de dizer:
O Cocodrilo femea. Dos Epicenos huns
são masculinos, outros femininos. Masculinos
são os seguintes: Javali, Corvo,
Lagarto, Rouxinol, Golfinho. São femininos:
Onça, Serpente, Águia, Corvina,
&c.58

Lição IV.
Das Regras para se conhecer o genero
dos Nomes Substantivos pela terminação.

Os nomes acabados em a são do genero
feminino, assim como Gloria,
Casa, Roma. Exceptuão-se Dia, Cometa,
Planeta, Mapa, Emblema, Systema,
Cisma, Poema, Estratagema, Clima,
Alvará, Tafetá, e outros, que são
do genero masculino.

Os nomes acabados em e, i ou y
são do genero feminino, assim como Arte,
Neve, Sede, Saude; e os nomes,
que acabão em ade, assim como Bondade,
Saudade, Caridade. Exceptuão-se
Bosque, Valle, Tapete. Timbre, e outros
muitos, que são do genero masculino.

Os nomes em i, ou y são Ley, Grey.
Exceptua-se Combói, que he do genero
masculino.

Os nomes acabados em o, e u são do
genero masculino, assim como Livro,
Sono, Choupo, , Rocló, Breu, Camafeu,
Bambú. Exceptuão-se Náo, Enxó,
59, Ilhó, que são do genero feminino.

Os nomes acabados em l são do genero
masculino, assim como Sal, Painel,
Gomil, Gyrasol, Paul. Exceptuão-se
Cal, que he do genero feminino.

Os nomes acabados em ão, ou am
são do genero feminino, assim como Opinião,
Mão, Lezão; e os nomes acabados
em ção, assim como Perfeição, Composição,
Exageração, Recreação. Exceptuão-se
Pão, Melão, Feijão, Colxão,
Trovão, Ferrão, e dos nomes em ção,
Cabeção, e Torção, que são do genero
masculino.

Os nomes acabados em em são do genero
feminino, assim como Ordem, Desordem;
e os nomes acabados em agem, assim
como Imagem, Ferragem, Margem,
ou em ugem, assim como Ferrugem, Penugem.
Exceptuão-se Trem, Bem, Parabem,
Armazem, Assem, Vintem, que
são do genero masculino.

Os nomes acabados em im, om, um
são do genero masculino, assim como
Fim, Som, Jejum.

Os nomes acabados em ar, er, ir,
60or, ur são do genero masculino, assim
como Pezar, Talher, Nadir, Calor,
Catur. Exceptuão-se dos nomes em er
Colher
, Mulher; e dos nomes em or
Cor, Dor, Flor, que são do genero feminino.

Os nomes acabados em s são do genero
masculino, assim como Alferes. Erpes,
Editos do numero plural. Exceptuão-se
os nomes do plural acabados em
as, assim como Alviçaras, Andas, que
são do genero feminino.

Os nomes acabados em az, ez, iz,
oz, uz são do genero masculino, asssim
como Antraz, Arnez, Verniz, Capuz.
Exceptuão-se Atanaz, Paz. Rez, Fêz,
Torquez, Vez. Matriz, Raiz, Sobrepelliz.
Antroz, Foz, Noz, Voz. Luz,
Cruz, que são do genero feminino.61

Livro III.
Do Verbo, e suas conjugações.

Lição I.
Da natureza do Verbo, e sua divisão.

Verbo he huma palavra, que na oração
affirma alguma cousa, como v.gr.
nesta oração: Pedro ama as virtudes,
onde a palavra ama he verbo, porque
affirma a acção, que Pedro faz de amar
as virtudes.

Os Grammaticos dividem o verbo em
varias especies. As principais são: Activo,
e Passivo.

Verbo activo he aquelle, que affirma
alguma acção, isto he, que faz alguma
cousa. E desta acção, que significa,
he que toma o nome, como quando digo:
Pedro ferio a Paulo. Onde a palavra
ferio he verbo activo, por affirmar a
acção, que Pedro obrou de ferir a Paulo.

Verbo passivo pelo contrario he aquelle,
que affirma paixão, isto he, que alguem
padece a acção, que outro obra.
62E desta paixão, que significa, toma o nome,
como quando digo: Paulo foi ferido
por Pedro
, onde o verbo foi ferido
he passivo, por affirmar que Paulo padeceo
a acção, ou ferimento, que Pedro lhe
fez.

O verbo tanto activo, como passivo
tem conjugação por Modos, Tempos, e
Pessoas.

Os Modos no verbo são as diversas
inflexões, que o verbo tem, para exprimir
as differentes maneiras de significar
em varias differenças de tempo.

Estes modos, ou maneiras de significar
do verbo são quatro: 1. Indicativo:
2. Imperativo: 3. Conjuntivo, ou Subjunctivo:
4. Infinito, ou Infinitivo.

Modo Indicativo, ou demonstrativo
he maneira de significar no verbo, mostrando
simplesmente que affirmamos huma
cousa, como v.g. Eu escrevo.

Modo Imperativo, ou mandativo he
a maneira de significar no verbo, affirmando
que mandamos fazer alguma cousa,
como v.g. Escreve tu.

Modo Conjunctivo, ou Subjunctivo he
a maneira de significar no verbo, affirmando
63que se faz alguma cousa debaixo de
alguma condição, como v.g. Se eu escrevesse.
Ás vozes deste modo se ajuntão
(do que tambem lhe provém o nome) varias
particulas, como v.g. Se, Que, Posto
que
, Ainda que, Como.

Modo Infinito, ou Infinitivo he a maneira
de significar no verbo indeterminadamente,
affirmando que se faz alguma
cousa, sem determinar, nem exprimir as
pessoas, que a obrão, nem o numero dellas,
como v.g. Ler, cuja voz infinita affirnma
a acção de ler, sem exprimir quem
a faz, nem quantos são os que a fazem.
Os modos infinito, e conjunctivo tem
huma significação suspensa, e incompleta,
e por isso, depende de outro verbo para
fazer sentido completo, e perfeito, como
v.g. He util ler a Historia Sagrada.
Permitta Deos, que todos a lêão.

Os Grammaticos chamão ao modo infinito
impessoal por não ter pessoas; porém
deixa de ser infinito, e impessoal na
lingua Portugueza, quando os seus tempos
se conjungão por numeros, e pessoas,
como adiante veremos nas conjungações
dos verbos.64

Constão os Modos de Tempos.

Tempo no verbo he aquella especial
inflexão das suas vozes em todos os Modos,
pela qual o verbo dá a conhecer o
tempo, segundo as suas differenças, em
que se exercita a cousa, que elle affirma,
como v. g. quando digo: Pedro escreve,
onde o verbo escreve pela sua inflexão,
ou terminação dá a conhecer, que a acção
de escrever, que Pedro obra, se exercita
no tempo presente.

Os tempos do verbo são: Presente,
Preterito imperfeito, Preterito perfeito,
Preterito mais que perfeito, Futuro imperfeito,
Futuro perfeito. Mas não he
commum a todos os Modos do verbo o
ter todos os sobreditos tempos, pois o
Imperativo tem sómente o futuro.

Tempo presente significa, que a cousa
se faz no tempo, em que se falla, como
v. g. Eu leio, onde o verbo leio está no
tempo presente, por afirmar que obro a
acção de ler no tempo, em que actualmente
estamos.

Preterito imperfeito significa huma
cousa passada a respeito de si, mas presente
65a respeito de outra, de que fallamos;
como v.g. Pedro leo, quando Paulo escrevia.
Onde o verbo escrevia está no
preterito imperfeito por significar a acção
de escrever, que Paulo fez, já passada a
respeito de Pedro, quando leo.

Preterito perfeito significa huma cousa
completamente passada, como v.g. Pedro
correo
. Onde o verbo correo está no
preterito perfeito por significar, que a acção
de correr, que Pedro fez, já passou
completamente sem restar nada.

Preterito mais que perfeito significa,
que huma cousa he não só perfeitamente
passada a respeito de si, mas tambem passada
a respeito de outra, que he tambem
já passada, como v.g. quando digo: Pedro
queixou-se á Justiça, porque Paulo
lhe furtára o seu capote
. Onde o verbo
furtára está no preterito mais que perfeito
por significar, que a acção de furtar
Paulo o capote já tinha passado, quando
Pedro se queixou á Justiça, cousa que
he tambem já passada.

Futuro imperfeito significa simplesmente
que a cousa se ha de fazer no tempo,
66que ainda ha de vir, como v. g. Pedro
lerá
. Onde o verbo lerá está no futoro
imperfeito por significar, que a acção de
ler de Pedro se ha de fazer no tempo,
que ainda ha de vir.

Futuro perfeito significa huma cousa
futura a respeito do tempo, em que estamos;
mas passada a respeito de outra cousa
futura, em que fallamos, como v.g.
Quando amanhecer já terei lido o livro.
Onde o verbo terei lido se diz no futuro
perfeito quando chegar o tempo
de amanhecer, que ainda ha de vir.

Os tempos do verbo contão de pessoas,
e numeros.

Os numeros são dous, singular, e plural,
como nos nomes.

As pessoas são tres em cada numero,
como v.g. no singular Eu amo, tu amas,
elle ama; e no plural Nós amamos, vós
amais
, elles amão. Não deixo de advertir,
que as pessoas propriamente são os
pronomes, e nomes, e não as vozes do
verbo, a que elles se ajuntão, como ensinão
commummente os Grammaticos; pois
Amo, amas, ama v.g. não são tres pessoas,
67mas sim tres vozes, ou faces de numero
singular do presente do Indicativo
do verbo Amar, correspondentes ás tres
pessoas do singular Eu, Tu, Elle, para
significarem a acção de amar, que estas
exercitão.

Como os verbos tem em cada tempo
pessoal, tirando o futuro deo Imperativo,
tres faces, ou vozes, em que significão
a sua fórma exercitada por muitos, daqui provém o
dizerem os Grammaticos que tem dous
numeros, singular, e plural.

Lição II.
Das Conjugações Regulares dos Verbos.

Conjugação regular he huma regra
certa, com que muitos verbos se declinão
da mesma fórma.

As conjugações regulares são tres. A
primeira he dos verbos, que no presente
do modo Infinito acabão em ar, assim
como Amar. A segunda dos verbos, que
no presente do modo Infinito acabão em
er, assim como Defender. A terceira dos
68verbos, que no presente do modo Infinito
acabão em ir, assim como Applaudir.

Porém antes que tratemos das sobreditas
tres conjugações regulares, havemos
de conjugar em primeiro lugar os verbos
Ser, Ter, Haver, sem embargo de serem
anomalos, ou irregulares, porque se
faz muito necessaria a sua noticia por se
supprirem, e formarem de suas vozes alguns
tempos, que faltão aos outros verbos.
E deste soccorro, que dão aos demais
verbos, provém o serem chamados commummente
verbos Auxiliares.

Lição III.
Da Conjugação do Verbo Ser.

Primeiro modo indicativo.

Tempo presente.

tableau num. singul. | 1. pessoa eu sou. | 2. pessoa tu es. | 3. pessoa elle he. | num. plural. | 1. pessoa nós somos. | 2. pessoa vós sois. | 3. pessoa elles são.69

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu éra. | tu éras. | elle éra. | n.p. nós éramos. | vós éreis. | elles erão.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu fui. | tu foste. | elle foi. | n.p. nós fomos. | vós fostes. | elles forão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho sido. | tu tens sido. | elle tem sido. | n.p. nós temos sido. | vós tendes sido. | elles tem sido.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu fora. | tu foras. | elle fora. | n.p. nós formos. | vós foreis. | elles forão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha sido. | tu tinhas sido. | elle tinha sido. | n.p. nós tinhamos sido. | nós tinheis sido. | elles tinhão sido.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu serei. | tu serás. | elle será. | n.p. nós seremos. | vós sereis. | elles serão.70

Futuro imperfeito composto.

tableau n.s. eu hei de ser. | tu has de ser. | elle ha de ser. | n.p.nós havemos de ser. | vós haveis de ser. | elles hão de ser.

Segundo modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. sê tu. n.p. sede vós.

Terceiro modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. que eu seja. | tu sejas. | elle seja. | n.p. que nós sejamos. | vós sejais | elles sejão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s.ainda que eu fora seria,ou fosse. | tu foras, serias, ou fosses. | elle fora, seria, ou fosse. | n.p. ainda que nós foramos seriamos, ou fossemos. | vós foreis, serieis, ou fosseis. | elles forão, serião, ou fossem.71

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. posto que eu tenha sido. | tu tenhas sido. | elle tenha sido. | n.p. posto que nós tenhamos sido. | vós tenhais sido. | elles tenhão sido.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. se eu fora, ou fosse. | tu foras, ou fosses. | elle fora, ou fosse. | n.p. se nós foramos, ou fossemos. | vós foreis,ou fosseis. | elles forão, ou fossem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. se eu tivera, ou tivesse sido. | tu tiveras, ou tivesses sido. | elle tivera, ou tivesse sido. | n.p. se nós tivessemos ou tiveramos sido. | vós tivereis, ou tivesseis sido. | elles tiverão, ou tivessem sido.

Futuro.

tableau n.s. como eu for. | tu fores. | elle for. | n.p. como nós formos. | vós fordes. | elles forem.72

Futuro composto.

tableau n.s. como eu tiver sido. | tu tiveres sido. | elle tiver sido. | n.p. como nós tivermos sido. | vós tiverdes sido. | elles tiverem sido.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. já então eu terei sido. | tu terás sido. | elle terá sido. | n.p. já então nós teremos sido. | vós tereis sido. | elles terão sido.

Quarto modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau Ser.

Pessoal.

tableau n.s. ser eu. | seres tu. | ser elle. | n.p. sermos nós. | serdes vós. | serem elles.

Preterito perfeito impessoal.

tableau Ter sido.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu sido. | teres tu sido. | ter elle sido. | n.p. termos nós sido. | teres vós sido. | terem elles sido.73

Futuro composto impessoal.

tableau haver de ser.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu deser. | haveres tu de ser. | haver elle de ser. | n.p. havermos nós de ser. | haverdes vós de ser. | haverem elles de ser.

Participio do Presente indeclinavel.

tableau sendo.

Participio do preterito indeclinavel.

tableau sido.

Circumloquios do Participio do Preterito.

tableau tendo sido. | havendo sido.

O verbo Ser, a que chamão substantivo
por affirmar a substancia, ou o ser
do sujeito, que lhe exerce a significação,
he auxiliar, porque dos seus tempos, modos,
e pessoas se fórma toda a voz passiva
de qualquer verbo activo, pospondo-se-lhe
o participio passivo do mesmo verbo.
E com este circumloquio se suppre a falta
que tem (a mesma se encontra nas outras
linguas vulgares) a lingua Portugueza de
verbos passivos.74

Lição IV.
Da Conjugação do Verbo Ter.

§ I.
Da Conjugação activa.

Primeiro modo indicativo.

Tempo Presente.

tableau n.s. eu tenho. | tu tens. | elle tem. | n.p. nós temos. | vós tendes. | elles tem.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu tinha. | tu tinhas. | elle tinha. | n.p. nós tinhamos. | vós tinheis. | elles tinhão.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu tive. | tu tiveste. | elle teve. | n.p. nós tivemos. | vós tivestes. | elles tiverão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho tido. | tu tens tido. | elle tem tido. | n.p. nós tenhamos tido. | vós tendes tido. | elles tem tido.75

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu tivera. | tu tiveras. | elle tivera. | n.p. nós tiveramos. | vós tivereis. | elles tiverão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha tido. | tu tinhas tido. | elle tinha tido. | n.p. nós tinhamos tido. | vós tinheis tido. | elles tinhão tido.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu terei. | tu terás. | elle terá. | n.p. nós teremos. | vós tereis. | elles terão.

Futuro imperfeito composto.

tableau n.s. eu hei de ter. | tu has de ter. | elle ha de ter. | n.p. nós havemos de ter. | vós haveis de ter. | elles hão de ter.

Segundo modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. tem tu. | n.p. tende vós.76

Terceiro modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. que eu tenha. | tu tenhas. | elle tenha. | n.p. que nós tenhamos. | vós tenhais. | elles tenhão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. ainda que eu tivera, teria, ou tivesse. | tu tiveras, terias, ou tivesses. | elle tivera,teria, ou tivesse. | n.p. ainda que nós tiveramos, ou tivessemos. | vós tivereis, terieis, ou tivesseis. | elles tiverão, terião, ou tivessem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. posto que eu tenha tido. | tu tenhas tido. | elle tenha tido. | n.p. posto que nós tenhamos tido. | vós tenhais tido. | elles tenhão tido.77

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. se eu tivera ou tivesse. | tu tiveras, ou tivesses. | elle tivera, ou tivesse. | n.p. se nós tiveramos ou tivessemos. | vós tivereis, ou tivesseis. | elles tiverão, ou tivessem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. se eu tivera, ou tivesse tido. | tu tiveras, ou tivesse tido. | elle tivera, ou tivesse tido. | n.p. se nós tiveramos, ou tivessemos tido. | vós tivesseis ou tivesseis tido. | elles tiverão, ou tivessem tido.

Futuro.

tableau n.s. como eu tiver. | tu tiveres. | elle tiver. | n.p. como nós tivermos. | vós tiverdes. | elles tiverem.

Futuro composto.

tableau n.s. como eu tiver tido. | tu tiveres tido. | elle tiver tido. | n.p. como nós tivermos tido. | vós tiverdes tido. | elles tiverem tido.78

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. já então eu terei tido. | tu terás tido. | elle terá tido. | n.p. já então nós teremos tido. | vós tereis tido. | elles terão tido.

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau Ter.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu. | teres tu. | ter elle. | n.p. termos nós. | terdes vós. | terem elles.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau Ter tido.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu tido. | teres tu tido. | ter elle tido. | n.p. termos nós tido. | terdes vós tido. | terem elles tido.

Futuro composto impessoal.

tableau Haver de ter.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de ter. | haveres tu de ter. | haver elle de ter.79

tableau n.p.havemos nós de ter. | haverdes vós de ter. | haverem elles de ter.

Participio activo indeclinavel do presente.

tableau tendo.

Circumloquios do participio do preterito.

tableau tendo tido. | avendo tido.

Participio passivo do preterito.

tableau tido, tida.

Advertencias

O verbo Ter he auxiliar, porque se
formão com o se socorro alguns tempos
do preterito dos outros verbos, por
se comporem de vozes do verbo Ter acompanhadas
da primeira terminação acabada
em o do participio passivo dos mesmos
verbos, como se verá pelo discurso
das conjugações seguintes.

Entre os verbos goza o verbo Ter a
particularidade de formar as suas
mesmas vozes os seus compostos,
tirando o futuro perfeito do indicativo,
e o futuro do infinito, que se formão
geralmente em todos os verbos de certas
80vozes do verbo Haver, que adiante conjugaremos.

He o verbo Ter activo, e irregular
pertencente á segunda conjugação, e não
tem na voz passiva senão o participio passivo
Tido, Tida; porém suppre-se a falta
das outras vozes com hum circumloquio
formado do dito participio passivo posposto
ás vozes do verbo Ser em todos os
seus modos, e tempos, assim simplices,
como compostos, na fórma da conjugação
seguinte, em que apontamos sómente em
cada hum dos tempos por causa da brevidade
a primeira pessoa em ambos os
numeros, por suppormos já sabida a conjugação
do verbo Ser, que conjugamos
por esta razão em primeiro lugar.

§ II.
Da Conjugação passiva do Verbo Ter.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu sou tido, ou tida, &c. | n.p. nós somos tidos, ou tidas, &c.81

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu era tido, ou tida. | n.p. nós eramos tidos, ou tidas, &c.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu fui tido, ou tida, &c. | n.p. nós fomos tidos, ou tidas, &c.

Outro circumloquio do preterito perfeito.

tableau n.s. eu tenho sido tido, ou tida, &c. | n.p. nós temos sido tidos, ou tidas, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu fora tido, ou tida, &c. | n.p. nós foramos tidos, ou tidas, &c.

Outro Circumloquio do preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu tinha sido tido, ou tida, &c. | n.p. nós tinhamos sido tidos, ou tidas, &c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu serei tido, ou tida, &c. | n.p. nós seremos tidos, ou tidas, &c.82

Outro Circumloquio do futuro imperfeito.

tableau n.s. eu hei de ser tido, ou tida, &c. | n.p. nós havemos de ser tidos, ou tidas, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. sê tu tido, ou tida. | n.p. sede vós tidos, ou tidas.

Modo conjunctivo.

Tempo presente

tableau n.s. que eu seja tido ou tidas, &c. | n.p. que nós sejamos tidos, ou tidas, &c.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. posto que eu fora, seria, ou fosse tido ou tida, &c. | n.p. posto que nós foramos, seriamos, ou fossemos tidos, ou tidas, &c.

Preterito perfeito.

tableau n.s. ainda que eu tenha sido tido, ou tida, &c83

tableau n.p. ainda que nós tenhamos sido tidos, ou tidas, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. se eu fora, ou fosse tido, ou tida, &c. | n.p. se nós foramos, ou fossemos tidos, ou tidas, &c.

Outro Circumloquio do preterito mais que perfeito.

tableau n.s. se eu tivera, ou tivesse sido tido, ou tida, &c. | n.p. se nós tiveramos, ou tivessemos sido tidos, ou tidas,&c.

Futuro.

tableau n.s. como eu for tido, ou tida, &c. | n.p. como nós formos tidos,ou tidas, &c.

Futuro.

tableau n.s. como eu tiver sido tido, ou tida, &c. | n.p. como nós tivermos sido tidos, ou tidas,&c.

Futuro perfeito.

tableau n.s. já então eu terei sido tido, ou tida, &c. | n.p. já então nós teremos sido tidos, ou tidas, &c.84

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau ser sido.

Pessoal.

tableau n.s. ser eu sido tido, ou tida, &c. | n.p. sermos nós sido tidos, ou tidas, &c.

Preterito perfeito impessoal.

tableau ter sido tido.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu sido tido, ou tida, &c. | n.p. termos nós sido tidos, ou tidas, &c.

Futuro impessoal.

tableau haver de ser tido.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de ser tido, ou tida, &c. | n.p. termos nós sido tidos, ou tidas, &c.

Participio do presente composto.

tableau n.s. sendo tido, ou tida. | n.p. sendo tidos, ou tidas.

Participios do preterito compostos.

tableau n.s. tendo sido tido, ou tida. | n.p. tendo sido tidos, ou tidas.85

tableau n.s. havendo sido tido, tida. | n.p. havendo sido tidos ou tidas.

Participio simples do preterito.

tableau tido, tida.

Lição V.
Da Conjugação do Verbo auxiliar Haver.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu hei. | tu has. | elle ha. | n.p. nós havemos. | vós haveis. | elles hão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu havia. | tu havias. | elle havia. | n.p. nós haviamos. | vós havieis. | elles havião.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu houve. | tu houveste. | elle houve. | n.p. nós houvemos. | vós houvestes. | elles houverão.86

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho havido. | tu tens havido. | elle tem havido. | n.p. nós temos havido. | vós tedes havido. | elles tem havido.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu houvera. | tu houveras. | elle houvera. | n.p. nós houveramos. | vós houvereis. | elles houverão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha havido. | tu tinhas havido. | elle tinha havido. | n.p. nós tinhamos havido. | vós tinheis havido. | elles tinhão havido.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu haverei. | tu haverás. | elle haverá. | n.p. nós haveremos. | vós havereis. | elles haverão.

Futuro imperfeito composto.

tableau n.s. eu hei de haver. | tu has de haver. | elle ha de haver. | n.p. nós havemos de haver. | vós haveis de haver. | elles hão de haver.87

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.p. havei vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. que eu haja. | tu hajas. | elle haja. | n.p. que nós hajamos. | vós hajais. | elles hajão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. posto que eu houvera, haveria, ou houvesse. | tu houveras, haverias ou houvesses. | elle houvera, haveria ou houvesse. | n.p. posto que nós houveramos, haveriamos, ou houvessemos. | vós houvereis, haverieis, ou houvesseis. | elles houverão, haverião ou houvessem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. ainda que eu tenha havido. | tu tenhas havido. | elle tenha havido.88

tableau n.p. ainda que nós tenhamos havido. | vós tenhais havido. | elles tenhão havido.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. se eu houvera, ou houvesse. | tu houveras, ou houvesses. | elle houvera, ou houvesse. | n.p. se nós houveramos, ou houvessemos. | vós houvereis, ou houvesseis. | elles houverão, ou houvessem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. se eu tivera, ou tivesse havido. | tu tiveras, ou tivesses havido. | elle tivera, ou tivesse havido. | n.p. se nós tiveramos ou tivessemos havido. | vós tivereis, ou tivesseis havido. | elles tiverão, ou tivessem havido.

Futuro.

tableau n.s. como eu houver. | tu houveres. | elle houver. | n.p. como nós houvermos. | vós houverdes. | elles houverem.89

Futuro composto.

tableau n.s. como eu tiver havido. | tu tiveres havido. | elle tiver havido. | n.p. como nós tivermos havido. | vós tiverdes havido. | elles tiverem havido.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. já então eu terei havido. | tu terás havido. | elle terá havido. | n.p. já então nós teremos havido. | vós tereis havido. | elle terão havido.

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau haver.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu. | haveres tu. | haver elle. | n.p. havermos nós. | haverdes vós. | haverem elles.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter havido.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu havido. | teres tu havido. | ter elle havido.90

tableau n.p.termos nós | havido. | terdes vós havido. | terem elles havido. | Carece de futuro.

Participio activo indeclinavel do presente.

tableau havendo.

Circumloquio do participio do preterito.

tableau tendo havido.

Participio passivo do preterito.

tableau havido, havida.

O verbo Haver he auxiliar por ajudar
aos outros verbos a compor alguns
tempos, os quaes se formão de vozes do
verbo Haver, e da preposição De, anteposta
á voz infinita do presente impessoal
dos mesmos verbos auxiliados, como v.g.
Hei de ser, Haver de ser.

Este mesmo verbo em todos os seus
modos, e tempos, que não são compostos,
se usa, ajuntando-se-lhe a voz infinita
do presente impessoal de qualquer verbo
precedida da preposição De, como v. g.
Hei de ter, Havia de ter, Houve de ter.

Tambem se usa, ajuntando-se-lhe o participio
passivo de qualquer verbo, como
v.g. Hei defendido, Havia defendido.
Delle usamos tambem, ajuntando-lhe a particula
91De, e a voz infinita Ser do verbo
Sou, com o participio passivo de qualquer
verbo, como v.g. Hei de ser amado,
Havia de ser amado, Houve de ser amado.

He verbo activo, cuja conjugação passiva
se fórma do participio Havido, Havida,
posposto as vozes do verbo Ser,
do mesmo modo, que se usa o participio
Tido, Tida na conjugação passiva do verbo
Ter.

Lição VI.
Da primeira Conjugação dos Verbos activos
regulares, que no presente do
Infinito acabão em ar, assim como
Amar.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu am-o. | tu am-as. | elle am-a. | n.p. nós am-amos. | vós am-ais. | elles am-ão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu am-ava, | tu am-avas. | elle am-ava. | n.p. nós am-avamos. | vós am-aveis. | elles am-avão.92

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu am-ei. | tu am-aste. | elle am-ou. | n.p. nós am-ámos. | vós am-astes. | elles am-árão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho amado, &c. | n.p. nós temos am-ado, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu am-ára. | tu am-áras. | elle am-ára. | n.p. nós am-ámaramos. | vós am -áreis. | elles am-árão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha amado, &c. | n.p. nós tinhamos am-ado, &c.

Futuro perfeito.

tableau n.s. eu am-arei. | tu am-arás. | elle am-ará. | n.p. nós am-aremos. | vós am-areis. | elles am-arão.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu hei de am-ar, &c. | n.p. nós havemos de am-ar, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. am-a tu. | n.p. am-ai vós.93

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. que eu am-e. | tu am-es. | elle am-e. | n.p. que nós am-emos. | vós am-eis. | elles am-em.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. ainda que eu am-ára, am-aria, ou am-asse. | tu am-áras, am-arias, ou am-asses. | elle am-ára, am-aria, ou am-asse. | n.p.ainda que nós am-áramos, am-ariamos, ou am-ássemos. | vós am-areis,am-arieis ou am-ásseis. | elles am-árão,am-arião ou am- assem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. posto que eu tenha, am-ado,&c. | n.p. posto que nós tenhamos,am-ado,&c.94

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. se eu am-ára, ou am-asse. | tu am-áras, ou am-asse. | elle am-ára ou am-asse. | n.p. se nós am-áramos, ou am-ássemos. | vós am-áreis, ou am-ásseis. | elles am-árão, ou am-assem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. se eu tivera, ou tivesse am- ado, &c. | n.p. se nós tiveramos, ou tivessemos am- ado, &c.

Futuro.

tableau n.s. como eu am-ar. | tu am-ares. | elle am-ar. | n.p.como nós am-armos. | vós am-ardes. | elles am-arem.

Futuro composto.

tableau n.s. como eu tiver am- ado, &c. | n.p. como nós tivermos am-ado, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. já então eu terei am-ado, &c. | n.p. já então nós teremos am-ado, &c.95

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau am-ar.

Pessoal.

tableau n.s. am-ar eu. | am-ares tu. | am-ar elle. | n.p. am-armos nós. | am-ardes vós. | am-arem elles.

Preterito perfeito impessoal.

tableau ter am-ado.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu am- ado, &c. | n.p. termos nós am-ado, &c.

Futuro composto impessoal.

tableau haver de am-ar.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de am- ar, &c. | n.p. havermos nós de am-ar, &c.

Participios activos do presente.

tableau am-ando, indeclinavel. | am-ante, declinavel.

Circumloquios do participio de preterito.

tableau tendo am-ado. havendo am-ado. | participio simples passivo do preterito. | am-ado, am-ada.96

A conjugação do verbo Amar serve
como regra, por onde se podem conjugar
todos os verbos activos regulares, que no
presente do infinito acabão em ar; assim
como Tratar, Comprar, porque todos
tem as mesamas terminações, que se achão
depois desta linha -, posta nas vozes do
verbo Amar, em cuja conjugação por
brevidade apontamos sómente nos tempos
compostos a primeira voz em ambos os
numeros, por suppormos as outras já sabidas,
tendo-se tomado de cór as conjugações
dos verbos auxiliares Ter, e Haver.

Advertindo-se, que em alguns verbos
falta o participio acabado em ante, como
v.g. nos verbos Comprar, Louvar;
porque não costumamos dizer Comprante,
Louvante.

A conjugação passiva do verbo Amar
fórma-se do seu participio Amado, Amada,
pospondo ás vozes do verbo Ser, da
mesma sorte que o participio Tido, Tida
na conjugação passiva do verbo Ter.97

Lição VII.
Da segunda Conjugação dos Verbos activos
regulares, que acabão no presente
do infinito em er, assim
como Defender.

Primeiro modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu defend-o. | tu defend-es. | elle defend-e. | n.p. nós defend-emos. | vós defend-eis. | elles defend-em.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu defend-ia. | tu defend-ias. | elle defend-ia. | n.p. nós defend-iamos. | vós defend-ieis. | elles defend-ião.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu defend-i. | tu defend-este. | elle defend-eo. | n.p.nós defend-emos. | vós defend-estes. | elles defend-êrão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho defendid-o, &c. | n.p. nós temos defen- dido, &c.98

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu defend-êra. | tu defend-êras. | elle defend-êra. | n.p. nós defend-êramos. | vós defend-êreis. | elles defend-êrão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha defend-ido, &c. | n.p. nós tinhamos defendi-do,&c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s.eu defend-erei. | tu defend-erás. | elle defend-erá. | n.p.nós defend-eremos. | vós defend-ereis. | elles def-enderáõ.

Futuro imperfeito composto.

tableau n.s. eu hei de defend-er, &c. | n.p. nós havemos de defend-er, &c.

Segundo modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. defend-e tu. | n.p. defend-ei vós.

Terceiro modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu defend-a. | tu defend-as. | elle defend-a. | n.p. nós defend-amos. | vós defend-ais. | elles defend-ão.99

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu defend-ê-ra, defend-eria, ou defend-esse. | tu defend-êras,defend-erias, ou defend-esses | elle defend-êra, defend-eria, ou defend-esse. | n.p. nós defend-êramos defend-eriamos, ou defend-essemos. | vós defend-êreis, defend-erieis, ou defend-esseis. | elles defend-êrão, defenderião, ou defend-essem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenha defendido, &c. | n.p. nós tenhamos defend-ido, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu defend-êra, ou defend-esse. | tu defend-êras, ou defend-esses. | elle defend-êra, ou defend-esse. | n.p. nós defend-êramos, ou defend-essemos vós defend-êreis, ou defend-esseis. | elles defend-êrão, ou defend-essem.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu tivera, ou tivesse defend-ido, &c. | n.p. nós tiveramos, ou tivessemos defend-ido, &c.100

Futuro.

tableau n.s. eu defend-er. | tu defend-eres. | elle defend-er. | n.p.nós defend-eremos. | vós defend-erdes. | eles defend-erem.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver defend-ido. | n.p. nós tivermos defend-ido.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu terei defend-ido, &c. | n.p. nós teremos defend-ido,&c.

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau defend-er.

Pessoal.

tableau n.s. defend-er eu. | defend-eres tu. | defend-er elle. | n.p. defend-ermos nós. | defend-erdes vós. | defend-erem elles.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter defend-ido.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu defend-ido, &c. | n.p. termos nós defend-ido, &c.101

Futuro composto impessoal.

tableau haver de defend-er.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de defend-er, &c. | n.p. havermos nós de defend-er, &c.

Participios activo do presente.

tableau defend-endo, indeclinavel. | defend-ente, declinavel.

Circumloquios do participio do preterito.

tableau tendo defend-ido. havendo defend-ido.

Participio passivo do preterito.

tableau defend-ido, defend-ida.

A conjugação do verbo Defender serve
como regra, por onde se podem conjugar
todos os verbos regulares, que no
presente do infinito acabão em er, assim
como Receber, Entender; porque todos
tem as mesmas terminações, que se achão
depois desta linha - nas vozes do verbo
Defender.

Advertindo-se, que em alguns verbos
falta o participio do presente acabado em
ente, como nos verbos Receber, Entender;
porque não costumamos dizer Recebente,
Entendente.102

A conjugação passiva do verbo Defender
fórma-se do participio passivo Defendido,
Defendida, posposto ás vozes do
verbo Ser, como o participio Tido, Tida
na conjugação passiva do verbo Ter.

Lição VIII.
Da terceira Conjugação dos Verbos regulares,
que no presente do Infinito acabão
em ir, assim como Applaudir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu applaud-o. | tu applaud-es. | elle applaud-e. | n.p. nós applaud-imos. | vós applaud-is. | elles applaud-em.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu applaud-ia. | tu appaudi-as. | elle applaud-ia. | n.p.nós applaud-iamos. | vós applaud-ieis. | elles applaud-ião.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu applaud-i. | tu applaud-iste. | elle applaud-io. | n.p. nós applaud-imos. | vós applaud-istes. | elles applaud-irão.103

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho applaud-ido, &c. | n.p. nós temos applaud-ido, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu applaud-íra. | tu applaud-íras. | elle applaud-íra. | n.p.nós applaud-íramos. | vós applaud-íreis. | elles applaud-írão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha applaud-ido, &c. | n.p. nós tinhamos applaud-ido, &c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu applaud-irei. | tu applaud-irás. | elle applaud-irá. | n.p. nós applaud-iremos | vós applaud-ireis. | elles applaud-iráõ.

Futuro imperfeito composto.

tableau n.s. eu hei de applaud-ir, &c. | n.p.nós havemos de applaud-ir, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. applaud-e tu. | n.p. applaud-i vós.104

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu applaud-a. | tu applaud-as. | elle applaud-a. | n.p. nós applaud-amos. | vós applaud-ais. | elles applaud-ão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu applaud-ira, applaud-iria, ou applaud-isse. | tu applaud-íras, applaud-irias, ou applaud-isses. | elle applaud-íria, applaud-iria, ou applaudisse. | n.p. nós applaud-íramos, applaudiria- mos, ou applaud-issemos. | vós applaud-íreis, applaud-irieis, ou applaud-isseis. | elles applaud-írião, applaud-irião, ou applaud-issem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenha applaud-ido, &c. | n.p. nós tenhamos applaud-ido, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu applaud-íra, ou applaud-isse. | tu applaud-íras, ou applaud-isses. | elle applaud-íra, ou applaud-isse.105

tableau n.p.nós applaud-írmos ou applaud-issemos. | vós applaud-ireis, ou applaud-isseis. | elles applaud-írão, ou applaud-issem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tivera, ou tivesse applaud-ido, &c. | n.p. nós tiveramos, ou tivessemos applaud-ido, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu applaud-ir. | tu applaud-ires. | elle applaud-ir. | n.p. nós applaud-irmos. | vós applaud-irdes. | elles applaud-irem.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver applaud-ido, &c. | n.p. nós tivermos applaud-ido, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu tirei applaud-ido, &c. | n.p. nós teremos applaud-ido, &c.

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau appalud-ir.106

Pessoal.

tableau n.s. applaud-ir eu. | applaud-ires tu. | applaud-ir elle. | n.p. applaud-irmos nós | applaud-irdes vós. | applaud-irem elles.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter applaud-ido.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu applaud-ido, &c. | n.p. termos nós applaud-ido, &c.

Futuro composto impessoal.

tableau haver de applaud-ir.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de applaud-ir, &c. | n.p. havermos nós de applaud-ir,&c.

Participio activo do presente.

tableau applaud-indo.

Circumloquios do participio do preterito.

tableau tendo applaud-ido. | havendo applaud-ido.

Participio passivo do preterito.

tableau applaud-ido, applaud-ida.

A conjugação do verbo Applaudir
serve como regra, por onde se podem
conjugar todos os verbos regulares, que
no presente do infinito acabão em ir,
107assim como Definir, Admitir, porque
todos tem as mesmas terminações, que se
achão depois desta linha - nas vozes do
verbo Applaudir.

A conjugação passiva do verbo Applaudrir
forma-se do participio passivo Applaudido,
Applaudida, posposto ás vozes
do verbo Ser, da mesma sorte, que o participio
Tido, Tida na conjugação passiva
do verbo Ter.

Lição IX.
Da formação das vozes dos Verbos
regulares.

São duas as raizes, donde se formão
as vozes de qualquer verbo regular:
1. A primeira pessoa do presente do Indicativo:
2. A voz do presente impessoal
do infinito.

Isto supposto, entremos a tratar separadamente
da formação das vozes, que o
verbo tem em cada hum dos seus modos
para maior clareza.108

§ I.
Da formação das vozes verbaes dos Tempos,
que não são compostos.

Modo indicativo.

Da primeira raiz, isto he, da primeira
pessoa do singular do presente
do indicativo se fórma o preterito imperfeito,
mudando-se o o final da dita
primeira pessoa na primeira conjugação
em ava, assim como de Amo se fórma
Amava; e na segunda e terceira conjugação,
mudando-se o o em ia, assim como
de Defendo, Defendida; de Applaudo,
Applaudida.

O preterito perfeito fórma-se da dita
primeira pessoa do presente, mudando-se-lhe
o o final na primeira conjugação em
ei, assim como de Amo, Amei; e na segunda,
e terceira conjugação o o em i,
assim como de Defendo, Defendi; de Applaudo,
Applaudi.

O preterito mais que perfeito fórma-se
da voz do presente impessoal do infinito,
accrescentando-se-lhe em qualquer
109das conjugações hum a, assim como de
Amar, Amára; de Defender, Defendàra;
de Applaudir, Applaudíra.

O futuro imperfeito fórma-se da voz
do presente impessoal do infinito, accrescentando-se-lhe
em qualquer das conjugações
hum ei, assim como de Amar, Amarei;
de Defender, Defenderei; de
Applaudir, Applaudirei.

Formação do Modo Imperativo.

O imperativo se fórma da primeira
pessoa do presente do indicativo, mudando-se-lhe
na primeira conjugação o o em
a, assim como de Amo, Ama; na segunda,
e terceira conjugação, mudando-se-lhe
o o em e, assim como de Defendo, Defende;
de Applaudo, Applaude.

Formação do Modo Conjunctivo.

O presente fórma-se da primeira pessoa
do indicativo, mudando-se-lhe
o o final na primeira conjugação em
e, assim como de Amo, Ame; na segunda,
e terceira conjugação o o em a, assim
110como de Defendo, Defenda; de Applaudo,
Applauda.

O preterito imperfeito tem tres terminações
em qualquer das conjugações;
a primeira he a mesma, que tem o preterito
mais que perfeito do indicativo,
de cuja formação já tratámos: a segunda
fórma-se da voz do presente impessoal do
infinito, accescentando-se-lhe em qualquer
das conjugações hum ia, assim como
de Amar, Amaria; de Defender,
Defenderia; de Applaudir, Applaudiria;
a terceira terminação fórma-se da
voz do presente impessoal do infinito,
mudando-se-lhe em qualquer das conjugações
o r final em sse, como de Amar,
Amasse; de Defender, Defendesse; de
Applaudir, Applaudisse.

O preterito mais que perfeito em
qualquer das conjugações tem a primeira,
e a terceira terminação do preterito
imperfeito do mesmo modo, cujas formações
estão já ditas.

O futuro tem a mesma voz da segunda
raiz, pelo que não tem formação.111

Formação do Modo Infinito.

O presente não se fórma, por ser a
segunda raiz, pelo das vozes verbaes.

O participio acabado em ndo fórma-se
em qualquer das conjugações da voz
do presente impessoal do infinito, mudando-se-lhe
o r final em ndo, como da Amar,
Amando; de Defender, Defendendo;
de Applaudir, Applaudindo.

O participio acabado em nte fórma-se
em qualquer das conjugações da voz
do presente impessoal do infinito, mudando-se-lhe
o r final em nte, como de Amar,
Amante; de Defender, Defendente;
de Ouvir, Ouvinte.

O participio acabado em do, da fórma-se
na primeira, e terceira conjugação
da voz do presente impessoal do infinito,
mudando-se-lhe o r final em do, da, como
v.g. de Amar, Amado, Amada; de
Definir, Definido, Definida; e na segunda
conjugação, mudando o er em ido,
ida, como de Defender, Defendido,
Defendida.112

Advertencia.

O tratarmos sómente da formação da
primeira voz em cada tempo dos verbos,
he, porque della se deduzem, e fórmão
as outras vozes, como se vê em Amava
primeira voz do preterito imperfeito do
verbo Amar, da qual se fórmão as outras
vozes do mesmo tempo Amavas,
Amavamos, Amaveis, Amavão.

§ II.
Das formações dos Tempos compostos do
Verbo em qualquer das Conjugações
regulares.

O preterito perfeito composto do indicativo
fórma-se das vozes do presente
do indicativo do verbo Ter, e da primeira
fórma acabada em o do participio
passivo do verbo conjugado, como v.g.
na conjugação do preterito perfeito do indicativo
do verbo Amar, Tenho amado,
Tens amado, Tem amado, &c., em que
as vozes Tenho, Tens, Tem, &c. são do
presente do indicativo do verbo Ter, e
a palavra Amado posposta a cada huma
113das ditas vozes he a primeira fórma do
participio passivo Amado, Amada.

O preterito perfeito composto do conjunctivo
fórma-se das vozes do presente
do conjunctivo do verbo Ter, e da primeira
fórma do participio passivo do verbo
conjugado, como v.g. no preterito
perfeito do conjunctivo do verbo Amar,
em que diz: Tenho amado, Tenhas
amado
, Tenha amado.

O preterito perfeito composto impessoal
do infinito fórma-se da voz do presente
impessoal do infinito do verbo Ter,
e da primeira fórma do participio passivo
do verbo conjugado, como v.g. no preterito
perfeito impessoal do infinito do
verbo Amar, em que se diz: Ter amado.

O preterito perfeito composto pessoal
do infinito fórma-se das vozes do presente
pessoal do infinito do verbo Ter, e da
primeira fórma do participio passivo do
verbo conjugado, como v.g. no preterito
perfeito pessoal do infinito do verbo
Amar, em que se diz : Ter amado, Teres
amado
, &c.

O preterito mais que perfeito composto
do indicativo fórma-se das vozes do
114preterito imperfeito do indicativo do verbo
Ter, e da primeira fórma do participio
passivo do verbo conjugado, como
v.g. no preterito mais que perfeito do indicativo
do verbo Amar, em que se diz:
Tinha amado, Tinhas amado, &c.

O preterito mais que perfeito composto
do conjunctivo fórma-se das vozes
do mesmo tempo, e modo do verbo
Ter, e da primeira fórma do participio
passivo do verbo conjugado, como v.g.
no pretérito mais que perfeiro do conunctivo
do verbo Amar, em que se diz:
Tivera, ou tivesse amado; Tiveras, ou
tivesses amado.

O futuro imperfeito composto do indicativo
fórma-se das vozes do presente
do indicativo do verbo Haver, e da particula
De anteposta á voz do presente
impessoal do infinito do verbo conjugado,
como v.g. no futuro imperfeito do
indicativo do verbo Amar, em que se
diz: Hei de amar, Has de amar, &c.

O futuro composto do conjuntivo
fórma-se das vozes do mesmo tempo, e
modo do verbo Ter, e da primeira terminação
do participio passivo do verbo
115conjugado, como v.g. no futuro do conjunctivo
do verbo Amar, em q se diz:
Tiver amado, Tiveres amado, &c.

O futuro perfeito composto do conjunctivo
fórma-se das vozes do futuro
imperfeito do indicativo do verbo Ter,
e da primeira terminação do participio
passivo do verbo conjugado, como v.g.
no futuro prefeito do conjunctivo do verbo
Amar, em que se diz: Terei amado,
Terás amado, &c.

O futuro composto impessoal do infinito
fórma-se da voz do presente impessoal
do verbo Haver, e da particula
De anteposta á voz do presente impessoal
do verbo conjugado, como v.g. no
futuro impessoal do infinito do verbo Amar,
em que se diz: Haver de amar.

O futuro composto pessoal do infinito
fórma-se das vozes do presente pessoal
do infinito do verbo Haver, e da particula
De anteposta á voz do presente impessoal
do verbo conjugado, como v.g.
no futuro pessoal do infinito do verbo
Amar, em que se diz: Haver amar,
Haveres de amar, &c.

Tudo o que temos dito das formações
116dos tempos compostos dos verbos
regulares, se acha tambem nas formações
dos tempos compostos dos verbos irregulares,
que nisto são semelhantes aos regulares,
como adiante veremos.

Lição X.
Dos Verbos irregulares.

Verbo irregular he aquelle, que na
formação de alguns tempos, ou pessoas
se affasta da regra da conjugação, a
que pertence.

Entre os verbos huns são irregulares,
porque não conservão em todas as suas
vozes fixas as letras, que tem antes das
duas ultimas, que formão a terminação
da voz do presente impessoal do infinito,
como v.g. o verbo Consent-ir he irregular,
por mudar nas vozes Consinto, Consinta,
e outrasem i o e da syllaba sent,
que tem antes da terminação ir da voz
Consent-ir do presente impessoal do infinito;
de sorte, que para ser regular o
dito verbo, era necessario que em todas
as suas vozes se conservassem invariaveis,
e fixas as ditas letras, ou syllabas Consent
117antes da terminação, porque só esta esta
he, a que deve variar para differençar
os modos, tempos, pessoa, e numeros
para a conjugação do verbo.

Outros verbos são irregulares, porque
não sómente mudão em certas vozes algumas
das letras, que tem antes da terminação
da voz do presente impessoal do infinito,
mas tambem mudão a terminação,
affastando-se da regra de sua conjugação,
como v.g. o verbo Poder he irregular de
ambas as sortes; porque em Pude, primeira
voz do preterito perfeito do indicativo,
não sómente muda em u o o das
letras Pod, que tem antes da terminação
er do presente impessoal do infinito, mas
tambem muda em e a terminação i, que
devia ter, pois, conforme a regra da segunda
conjugação, se deve dizer Podi,
e não Pude; porém o uso introduzio o
dizer-se Pude.

Isto supposto, entremos a conjugar
alguns verbos irregulares; e por serem
muitos, principalmente na segunda, e terceira
conjugação, trataremos só dos mais
necessarios, apontando-se por causa da
brevidade unicamente os tempos, em que
118se não conformão com a regra da conjugação,
a que pertencem.

Lição XI.
Das Conjugações dos Verbos irregulares
da primeira Conjugação.

§. I.
Da Conjugação do Verbo Estar.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu estou. | tu estás. | elle está. | n.p. nós estamos. | vós estais. | elles estão.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu estive. | tu estiveste. | elle esteve. | n.p. nós estivemos. | vós estivestes. | elles estiverão.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu estivera, tu estiveras, &c.119

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. está tu. | n.p. estai vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu esteja.. | tu estejas. | elle esteja. | n.p. nós estejamos | vós estejais. | elles estejão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu estiveva, estaria, ou estivesse. | tu estiveras, estarias, ou estivesse. | elle estivera, estaria, ou estivesse. | n.p. nós estiveramos, estariamos, ou estivessemos. | vós estivereis, estarieis, ou estivesseis. | elles estiverão, estarião, ou estivessem.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu estivera, ou estivesse. | tu estiveras, ou estivesses. | elle estivera,ou estivesse. | n.p. nós estiveveramos, ou estivessemos. | vós estivereis, ou estivesseis. | elles estiverão, ou estivessem.120

Futuro.

tableau n.s. eu estiver. | tu estiveres. | elle estiver. | n.p. nós estivermos. | vós estiverdes. | elles estiverem.

Modo infinito.

Participio do preterito indeclinavel.

tableau estado.

Ao verbo Estar em todos os seus modos,
e tempos se póde ajustar o participio
do presente acabado em ndo de qualquer
verbo, como v.g.: Estou lendo, Estava
lendo
, Estive lendo, &c.

§ II.
Da Conjugação do Verbo Dar.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu dou. | tu dás. | elle dá. | n.p. nós damos. | vós dais. | elles dão.121

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu dei. | tu déste. | elle deo. | n.p. nós démos. | vós déstes. | elles dérão.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu déra. | tu déras. | elle déra. | n.p. nós déramos. | vós déreis. | elles dérão.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. dá tu. | n.p. dai vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu dê. | tu dês. | elle dê. | n.p. nós dêmos. | vós dêis. | elles dêm.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu déra, daria, ou désse. | tu déras, darias, ou désses. | elle déra, daria, ou désse. | n.p. nós déramo, dariamos, ou déssemos. | vós déreis, darieis ou désseis. | elles dérão, darião, ou déssem.122

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu déra, ou désse. | tu déras,ou desses. | elle déra,ou désse. | n.p. nós déramos, ou déssemos. | vós déreis, ou désseis. | elles dérão, ou déssem.

Futuro.

tableau n.s. eu dér. | tu déres. | elle dér. | n.p. nós dérmos. | vós dérdes. | elles dérem.

§ III.
Da Conjugação do Verbo Ficar.

Modo indicativo.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu fiquei. nas outras vozes he regular.

Conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu fique. | tu fiques. | elle fique. | n.p. nós fiquemos. | vós fiqueis. | elles fiquem.123

Pela conjugação do verbo Ficar se podem
conjugar todos os verbos, que na
voz do presente impessoal do infinito acabão
em car, assim como Peccar, Secar.
São irregulares, porque naquellas vozes,
em que devião conservar o e antes do e,
o mudão em q, accrescentando hum a
entre o q, e o e, por se dizer Fique,
Peque, Seque em lugar de Fice, Pece,
Sece.

§ IV.
Da Conjugação do Verbo Julgar.

Modo indicativo.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu julguei. nas outras vozes he regular.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu julgue. | tu julgues. | elle julgue. | n.p. nós juguemos. | vós julgueis. | elles julguem.124

Pela conjugação do verbo Julgar se
podem conjugar todos os verbos, que acabão
em gar, assim como Negar, Assagar.
São irregulares, porque nas vozes,
em que depois do g se segue e, accrescentão
hum u entre o g, e o e, porque
dizemos Julgue, Assague, Negue em lugar
de Julge, Assage, Nege.

Lição XII.
Das Conjugações dos Verbos irregulares
da segunda Conjugação.

§ I.
Da Conjugação do Verbo Fazer.

Modo indicativo.

Tempo Presente.

tableau n.s. eu faço. | tu fazes. | elle faz. | n.p. nós fazemos. | vós fazeis. | elles fazem.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu fiz. | tu fizeste. | elle fez. | n.p. nós fizemos. | vós fizestes. | elles fizerão.125

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho feito, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu fizera. | tu fizeras. | elle fizera. | n.p. nós fizeramos. | vós fizereis. | elles fizerão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha feito, &c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu farei. | tu farás. | elle fará. | n.p. nós faremos. | vós fareis. | elles farão.

Modo conjunctivo.

Termpo presente.

tableau n.s. eu faça. | tu faças. | elle faça. | n.p. nós façamos. | vós façais. | elles fação.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu fizera, faria, ou fizesse. | tu fizeras, farias, ou fizesses. | elle fizera, faria, ou fizesse. | n.p. nós fizeramos, fariamos ou fizessemos. | vós fizereis, farieis, ou fizesseis. | elles fizerão, farião, ou fizessem.126

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenha feito, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu fizera, ou fizesse. | tu fizeras, ou fizesses. | elle fizera, ou fizesse. | n.p. nós fizeramos, ou fizessemos. | vós fizereis, ou fizesseis. | elles fizerão, ou fizessem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tivera, ou tivesse feito, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu fizer. | tu fizeres. | elle fizer. | n.p. nós fizermos. | vós fizerdes. | elles fizerem.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver feito, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu terei feito, &c.

Modo infinito.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter feito.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu feito, &c.127

Futuro composto impessoal.

tableau haver de fazer.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de fazer, &c.

Circumloquios do participio do Preterito.

tableau sendo feito. havendo feito.

Participio passivo do Preterito.

tableau feito, feita.

Os compostos do verbo Fazer, assim
como Satisfazer, Desfazer, tem a mesma
conjugação do seu simplez.

§ II.
Da Conjugação do Verbo Ver.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu vejo. | tu vês. | elle vê. | n.p. nós vemos. | vós vedes. | elles vem.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu via. | tu vias. | elle via. | n.p. nós viamos. | vós vieis. | elles víão.128

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu vi. | tu viste. | elle vio. | n.p. nós vimos. | vós vistes. | elles vírão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho visto, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu víra. | tu víras. | elle víra. | n.p. nós víramos. | vós víreis. | elles vírão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha visto, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. vê tu. | n.p. vede vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu veja. | tu vejas. | elle veja. | n.p. nós vejamos. | vós vejais. | elles vejão.129

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu víra, veria, ou visse. | tu vías, verias, ou visses | elle víra, veria, ou visse. | n.p. nós víramos, veriamos, ou vissemos. | vós víreis, verieis, ou visseis. | elles vírão, verião, ou vissem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho visto, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu víra, ou visse. | tu víras,ou visses. | elle víra, ou visse. | n.p. nós víramos, ou vissemos. | vós víreis, ou visseis. | elles vírão, ou vissem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tivera, ou tivesse visto, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu vir. | tu vires. | elle vir. | n.p. nós virmos. | vós virdes. | elles virem.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver visto, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu terei visto, &c.130

Modo infinito.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter visto.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu visto, &c.

Futuro composto impessoal.

tableau haver de ver.

Pessoal.

tableau n.s. haver eu de ver, &c.

Circumloquios do participio do Preterito.

tableau tendo visto. havendo visto.

Participio passivo do Preterito.

tableau visto. vista.

Os compostos do verbo Ver, Antever,
Rever, Prever, tem a mesma conjugação
do seu simplez.

§ III.
Da Conjugação do Verbo Querer.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu quero. | tu queres. | elle quer. | n.p. nós queremos. | vós quereis. | elles querem.131

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu quiz. | tu quizeste. | elle quiz. | n.p. nós quizemos. | vós quizestes. | elles quizerão.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu quizera. | tu quizeras. | elle quizera. | n.p. nós quizeramos. | vós quizereis. | elles quizerão.

Carece do Modo Imperativo.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu queira. | tu queiras. | elle queira. | n.p. nós queiramos. | vós queirais. | elles queirão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu quizera, quereria, ou quizesse. | tu quizeras, quererias, ou quizesses. | elle quizera, quereria, ou quizesse. | n.p. nós quizeramos, quereriamos, ou quizessemos. | vós quizereis quererieis, ou quizesseis. | elles quizerão,quererião ou quizessem.132

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu quizera, ou quizesse. | tu quizeras, ou quizesseis. | elle quizera, ou quizesse. | n.p. nós quizeramos, ou quizessemos. | vós quizereis, ou quizesseis. | elles quizerão, ou quizessem.

Futuro.

tableau n.s. eu quizer. | tu quizeres. | elle quizer. | n.p. nós quizermos. | vós quizerdes. | elles quizerem.

§ IV.
Da Conjugação do Verbo Saber.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu sei. | tu sabes. | elle sabe. | n.p. nós sabemos. | vós sabeis. | elles sabem.133

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu soube. | tu soubéste. | elle soube. | n.p. nós soubémos. | vós soubéstes. | elles soubérão.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu soubéra, tu soubéras, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. sabe tu. | n.p. sabei vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu saiba.. | tu saibas. | elle saiba. | n.p. nós saibamos | vós saibais. | elles saibão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu soubera, saberia, ou soubesse. | tu souberas, saberias, ou soubesse. | elle soubera, saberia, ou soubesse. | n.p. nós souberamos, saberiamos, ou soubessemos. | vós soubesseis, saberieis, ou soubesseis. | elles souberão, saberião, ou soubessem.134

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu soubera, ou soubesse,&c.

Futuro.

tableau n.s. eu souber, tu souberes,&c.

§ V.
Da Conjugação do Verbo Trazer.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu trago. | tu trazes. | elle traz. | n.p. nós trazemos. | vós trazeis. | elles trazem.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu trouxe. | tu trouxeste. | elle trouxe. | n.p. nós trouxemos. | vós trouxestes. | elles trouxerão.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu trouxera, tu trouxeras,&c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu trarei, tu trarás, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. traze tu. | n.p. trazei vós.135

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu traga. | tu tragas. | elle traga. | n.p. nós tragamos. | vós tragais. | elles tragão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu trouxera, traria, ou trouxesse. | tu trouxeras, trarias ou trouxesses. | elle trouxera, traria ou trouxesse. | n.p. nós trouxeramos, trariamos, ou trouxessemos. | vós trouxereis, trarieis, ou trouxesseis. | elles trouxerão, trarião, ou trouxessem.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu trouxera, ou trouxesse, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu trouxer, tu trouxeres, &c.136

§ V.
Da Conjugação do Verbo Valer.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n. s. eu valho, tu vales, elle val, ou vale. nas vozes do plural he regular.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu valha. | tu valhas. | elle valha. | n.p. nós valhamos. | vós valhais. | elles valhão.

§ VI.
Da Conjugação do Verbo Poder.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu posso. nas outras vozes he regular.137

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu pude. | tu pudéste. | elle pôde. | n.p. nós pudémos. | vós pudéstes. | elles pudérão.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu pudéra, tu pudéras, &c.

Carece do Modo Imperativo.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu possa. | tu possas. | elle possa. | n.p. nós possamos. | vós possais. | elles possão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu pudera, poderia, ou pudesse. | tu pudéras, poderias ou pudesse. | elle pudéra, poderia ou pudesse. | n.p. nós pudéramos, poderiamos, ou pudessemos. | vós pudéreis, poderieis, ou pudesseis. | elles puderão, poderião, ou pudessem.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu pudéra, ou pudésse, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu puder, tu pudéres, &c.138

Modo infinito.

Participio do preterito indeclinavel.

tableau podido.

§ VII.
Da Conjugação do Verbo Dizer.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu digo, tu dizes, elle diz. | nas vozes do plural he regular.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu disse. | tu disseste. | elle disse. | n.p. nós dissemos. | vós dissestes. | elles disserão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho dito, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu dissera, tu disseras, &c.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha dito, &c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu direi. | tu dirás. | elle dirá. | n.p. nós diremos. | vós direis. | elles dirão.139

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu diga. | tu digas. | elle diga. | n.p. nós digamos. | vós digais. | elles digão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu dissera, diria, ou dissese. | tu disseras, dirias, ou dissesses. | elle dissera, diria, ou dissesse. | n.p. nós disseramos, diriamos, ou dissessemos. | vós dissereis, dirieis, ou dissesseis. | elles disserão, dirião ou dissessem.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenha dito, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu dissera, ou dissesse, &c.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tivera, ou tivesse dito, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu disser, tu disseres, &c.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver dito, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu terei dito, &c.140

Modo infinito.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter dito.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu dito, &c. | participio passivo do preterito. | dito, dita. | os verbos compostos do verbo dizer, | assim como contradizer, desdizer, seguem | a mesma conjugação do seu simples.

§ VIII.
Da Conjugação do Verbo Ler.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu leio. | tu lês. | elle lê. | n.p. nós lemos. | vós lêdes. | elles lem.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu lea. | tu leas. | elle lea. | n.p. nós leamos. | vós leais. | elles lêão.141

Pela conjugação do verbo Ler se póde
conjugar o verbo Crer, porque tem a
mesma conjugação.

§ IX.
Da Conjugação do Verbo Eleger.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu elejo. nas outras vozes he regular.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu eleja. | tu elejas. | elle eleja. | n.p. nós elejamos. | vós elejais. | elles elejão.

Modo infinito.

Participios passivos do preterito.

tableau elegido, indeclinavel. | eleito, eleita.

Do primeiro usão alguns na conjugação
activa.142

Pela conjugação, que dissemos do verbo
Eleger, se podem conjugar todos os
verbos, que acabão em ger, assim como
Reger, Proteger. São irregulares, porque
mudão o g em i nas vozes, em que
ao g se segue o, ou a, porque dizemos
Elejo, Eleja, em lugar de Elego, Elega.

Lição XIII.
Das Conjugações dos Verbos irregulares
da terceira Conjugação.

§ I.
Da Conjugação do Verbo Ir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu vou. | tu vás. | elle vai. | n.p. nós vamos. | vós ides. | elles vão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu hia. | tu hias. | elle hia. | n.p. nós hiamos. | vós hieis. | elles hião.143

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu fui, tu foste, &c.

São as mesmas vozes do preterito perfeito
do indicativo do verbo Ser.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu fora, tu foras, &c. como no verbo ser.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. vai tu. | n.p. ide vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu vá. | tu vás. | elle vá. | n.p. nós vamos. | vós vades. | elles vão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu fora, iria ou fosse. | tu foras, irias, ou fosses. | elle fora, iria, ou fosse. | n.p. nós foramos, iriamos, ou fossemos. | vós foreis, irieis, ou fosseis. | elles forão, irião ou fossem.144

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu fora, ou fosse, &c. como no verbo ser.

Futuro.

tableau n.s. eu for, tu fores, &c. como no verbo ser.

§ II.
Da Conjugação do Verbo Vir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu venho. | tu vens. | elle vem. | n.p. nós vimos. | vós vindes. | elles vem.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu vinha. | tu vinhas. | elle vinha. | n.p. nós vinhamos. | vós vinheis. | elles vinhão.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu vim. | tu vieste. | elle veio. | n.p. nós viémos. | vós viestes. | elles vierão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho vindo, &c.145

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu viera. | tu vieras. | elle viera. | n.p. nós vieramos. | vós viereis. | elles vierão.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha vindo, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. vem tu. | n.p. vinde vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu venha. | tu venhas. | elle venha. | n.p. nós venhamos. | vós venhais. | elles venhão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu viera, viria ou viesse. | tu vieras, virias, ou viesses. | elle viera, viria, ou viesse. | n.p. nós vieramos, viriamos, ou viessemos. | vós viereis, virieis, ou viesseis. | elles vierão, virião, ou viessem.146

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenha vindo, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu viera, ou viesse, &c.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tivera ou tivesse vindo, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu vier. | tu vieres. | elle vier. | n.p. nós viermos. | vós vierdes. | elles viérem.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver vindo, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu terei vindo, &c.

Modo infinito.

Preterito perfeito impessoal.

tableau ter vindo.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu vindo, &c.

Participio do presente.

tableau vindo.

Circumloquio do participio do preterito.

tableau tendo vindo.

Participio passivo do preterito.

tableau vindo, vinda.147

Os verbos Convir, Avir, Desconvir,
compostos do verbo Vir, tem a mesma
conjugação do seu simples.

§ III.
Da Conjugação do Verbo Pedir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu peço. | tu pedes. | elle pede. | n.p. nós pedimos. | vós pedis. | elles pedem.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu peça. | tu peças. | elle peça. | n.p. nós peçamos. | vós peçais. | elles peção.

O verbo Medir se conjuga da mesma
sorte. São irregulares; porque nas vozes,
em que ao d se segue o, ou a, mudão
em á, porque dizer: Péço, Méço, em
lugar de Pédo, Médo.148

§ IV.
Da Conjugação do Verbo Ouvir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu ouço. | tu ouves. | elle ouve. | n.p. nós ouvimos. | vós ouvís. | elles ouvem.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu ouça. | tu ouças. | elle ouça. | n.p. nós ouçamos. | vós ouçais. | elles oução.

§ V.
Da Conjugação do Verbo Induzir.

O verbo Induzir só he irregular na
terceira pessoa do presente do indicativo,
em que se diz Induz em lugar de
Induze. A mesma irregularidade tem os
verbos Conduzir, Produzir, Reduzir,
Luzir, e seu composto Reluzir.149

Da Conjugação do Verbo Servir.

Tempo presente.

tableau n.s. eu sirvo. nas mais vozes he regular.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu sirva. | tu sirvas. | elle sirva. | n.p. nós sirvamos. | vós sirvais. | elles sirvão.

Pela conjugação do verbo Servir se
podem conjugar os verbos Vestir, Despir,
Repetir, Digerir, Fregir, Advertir,
Mentir, Ferir, Seguir, e seus compostos,
Conseguir, Perseguir, Proseguir,
Sentir, e seus compostos Consentir, Persentir,
porque todos mudão o e em i nas
vozes, em que o verbo Servir o muda
tambem; pois assim como dizemos Sirvo
em lugar de Servo, tambem usamos dizer
Visto, Dispo, em lugar de Vesto, Despo.150

§ VI.
Da Conjugação do Verbo Subir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu subo. | tu sobes. | elle sobe. | n.p. nós subimos. | vós subis. | elles sobem.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. sobe tu. | n.p. subi vós.

Pela conjugação do verbo Subir se
podem conjugar os verbos Engulir, Tussir,
Fugir, Bulir, Construir, Destruir,
Cuspir, Acudir, Sacudir, Sumir, e seu
composto Consumir, Cubrir; e seus compostos
Descubrir, Encubrir; porque nas
vozes, em que o verbo Subir muda o u
em o, o mudão tambem os sobreditos verbos.151

§ VII.
Da Conjugação do Verbo Sahir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu saio. nas outras vozes he regular.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu saia. | tu saias. | elle saia. | n.p. nós saiamos. | vós saiais. | elles saião.

Pela conjugação do verbo Sahir se
pódem conjugar os verbos Cahir, e os seus
compostos Descahir, Recahir, porque
nas vozes, em que o verbo Sahir muda
o h em i, o mudão tambem os sobreditos
verbos.152

§ VIII.
Da Conjugação do Verbo Affligir.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu afflijo. | tu affliges. | elle afflige. | n.p.nós affligimos. | vós affligis. | elles affligem.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu afflija. | tu afflijas. | elle afflija. | n.p. nós afflijamos. | vós afflijjais. | elles afflijão.

Pela conjugação do verbo Affligir se
podem conjugar os verbos acabados em
gir, assim como Dirigir, Rugir, Mugir,
Cingir, porque tambem mudão o g em j
nas mesmas vozes em que o muda o verbo
Affligir.153

Lição XIV.
Da Conjugação dos Verbos irregulares,
que no Infinito acabão em or.

Conjugação do Verbo Por.

Modo indicativo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu ponho. | tu poens. | elle poem. | n.p. nós pomos. | vós pondes. | elles poem.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu punha. | tu punhas. | elle punha. | n.p. nós punhamos. | vós punheis. | elles punhão.

Preterito perfeito.

tableau n.s. eu puz. | tu puzeste. | elle poz. | n.p. nós puzemos. | vós puzestes. | elles puzerão.

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenho posto, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu puzera. | tu puzeras. | elle puzera. | n.p. nós puzeramos. | vós puzereis. | elles puzerão.154

Preterito mais perfeito que perfeito composto.

tableau n.s. eu tinha posto, &c.

Futuro imperfeito.

tableau n.s. eu porei. | tu porás. | elle porá. | n.p. nós poremos. | vós poreis. | elles porão.

Futuro imperfeito composto.

tableau n.s. eu hei de pôr, &c.

Modo imperativo.

Futuro.

tableau n.s. poem tu. | n.p. ponde vós.

Modo conjunctivo.

Tempo presente.

tableau n.s. eu ponha. | tu ponhas. | elle ponha. | n.p. nós ponhamos. | vós ponhais. | elles ponhão.

Preterito imperfeito.

tableau n.s. eu puzera, poria ou puzesse. | tu puzeras, porias, ou puzesses. | elle puzera, poria, ou puzesse. | n.p. nós puzeramos, poriamos, ou puzessemos. | vós puzereis, porieis, ou puzesseis. | elles puzerão, porião, ou puzessem.155

Preterito perfeito composto.

tableau n.s. eu tenha posto, &c.

Preterito mais que perfeito.

tableau n.s. eu puzera, ou puzesse. | tu puzeras,ou puzesses. | elle puzera, ou puzesse. | n.p. nós puzeramos, ou puzessemos. | vós puzereis, ou puzesseis. | elles puzerão, ou puzessem.

Preterito mais que perfeito composto.

tableau n.s. eu tivera, ou tivesse posto, &c.

Futuro.

tableau n.s. eu puzer. | tu puzeres. | elle puzer. | n.p. nós puzermos. | vós puzerdes. | elles puzerem.

Futuro composto.

tableau n.s. eu tiver posto, &c.

Futuro perfeito composto.

tableau n.s. eu terei posto, &c.

Modo infinito.

Tempo presente impessoal.

tableau por.156

Pessoal.

tableau n.s. pôr eu. | pores tu. | pôr elle. | n.p. pormos nós. | pordes vós. | pôrem elles.

Preterito perfeito composto impessoal.

tableau ter posto.

Pessoal.

tableau n.s. ter eu posto. | teres tu posto. | ter elle posto. | n.p. termos nós posto. | terdes vós posto. | terem elles posto.

Futuro composto impessoal.

tableau haver de pôr.

Pessoal.

tableau n.s. haver de eu pôr. | haveres tu de pôr. | haver elle de pôr. | n.p. havermos nós de pôr. | haverdes vós de pôr. | haverem elles de pôr.

Participios activos do Presente.

tableau pondo, poente.

Circumloquios do Participio do Preterito

tableau sendo posto. havendo posto.

Participio passivo do Preterito.

tableau posto, posta.157

Os verbos compostos do verbo Pôr,
que são Antepor, Compor, Descompor,
Depor, Dispor, Expor, Interpor, Impor,
Oppor, Prepor, Propor, Pospor, Repor,
Suppor, Presuppor, Transpor, tem
a mesma conjugação do seu simples. Todos
carecem do participio activo acabado
em ente, tirando o verbo Depor, que
tem Depoente, e Oppor, Oppoente.

Lição XII.
Dos Verbos irregulares defectivos.

Ha huns verbos irregulares, a que
chamão defectivos por lhe faltarem
algumas vozes.

Desta classe he o verbo Prazer, porque
não tem mais no modo indicativo,
que Praz, terceira pessoa do singular do
presente. Prouve, terceira pessoa do singular
do preterio perfeito. Prouvera, terceira
pessoa do singular do preterito mais
que perfeito. No modo conjunctivo Praza,
terceira pessoa do singular do presente.
Prazeria, terceira pessoa do singular
do preterito imperfeito. Prouver,
158terceira pessoa do singular do futuro do
conjunctivo.

O verbo Feder não tem as vozes, em
que depois do d se segue o, ou a, porque
não usamos dizer: Fedo, Feda, &c.
O verbo Monir só tem as terminações,
em que depois do n se segue i; porque
sómente usamos dizer v.g. Monia, Monio,
Monindo, &c. e não Móno, Mónes,
&c.

Outros verbos ha defectivos, que o uso
ensinará; porque são muitos, a que faltão
algumas vozes por se não acharem usadas,
assim como os verbos Impedir, Despedir,
que não tem usada a primeira pessoa
do singular do Indicativo, porque não
usamos dizer Impido, Despido. Tambem
não são usadas as vozes do presente do
Conjunctivo destes verbos. Advertindo-se,
que os antigos usárão da voz Impida, de
que hoje ainda alguns usão.159

Livro IV.
Dos Preteritos, e Participios do Preterito
dos Verbos.

O tratar-se particularmente dos preteritos
dos verbos, he porque em
todas as conjugações ha verbos irregulares,
que se affastão das regras geraes
na formação do preterito perfeito do indicativo;
pelo que se faz precisa esta
noticia por se formarem do dito preterito,
o preterito mais que perfeito
do indicativo, e a voz acabada em sse
do preterito imperfeito, e do mais que
perfeito do conjunctivo, e o futuro do
conjunctivo dos referidos verbos, como
se vê v.g. no verbo Trazer, em que se
formão do preterito do indicativo
Trouxe o preterito mais que perfeito
do mesmo modo Trouxera, e a voz Trouxesse
dos preteritos imperfeito, e mais que
perfeito do conjuntivo, e o futuro do
conjunctivo Trouxer. Juntamente se trata
do participio do preterito dos por
se acharem nestes algumas irregularidades,
que se devem saber, porque ajudão
160a formar os tempos compostos dos verbos,
de que se derivão, assim na voz activa,
como na passiva.

Lição I.
Dos Preteritos, e Participios do preterito
dos Verbos da primeira Conjugação.

Os verbos da primeira conjugação fazem
o preterito em ei, e o participio
em ado, e ada, como v.g. Amar,
que faz Amei, Amado, Amada.

Excepção I.
[O verbo Estar muda no preterito…]

O verbo Estar muda no preterito, e
tem o participio de huma só fórma indeclinavel,
porque faz Estive, Estado.

Excepção II.
Dos Verbos, que tem o Participio indeclinavel
de huma só fórma.

Vasar na significação de despejar Vasei,
Vasado. Escapar, Escapei, Escapado.
Enchugar, Enchuguei, Enchugado.161

Estes verbos tem o Participio indeclinavel
de huma só fórma, (por não terem
uso na voz passiva) que só serve para os
tempos compostos da voz activa.

Excepção III.
Dos Verbos, que mudão no Participio.

Matar faz no preterito Matei, e toma
o Participio Morto, Morta do verbo
Morrer. Pagar, Paguei, Pago, Paga.
Soltar, Soltei, Solto, Solta.

O Participio Pago, Paga do verbo
Pagar he contração de Pagado, Pagada.
Tambem Solto, Solta he contração
de Soltado, Soltada.

Lição II.
Dos Preteritos, e dos Participios do preterito
da segunda Conjugação.

Os verbos da segunda conjugação fazem
o preterito em i, e o Participio
em ido, e ida, assim como Escolher,
que faz Escolhi, Escolhido, Escolhida.162

Excepção I.
Dos Verbos, que mudão no preterito.

Saber faz Soube, Sabido, Sabida.
Trazer, Trouxe, Trazido, Trazida.
Querer, Quiz, Querido, Querida. Ter,
Tive, Tido, Tida. Do mesmo modo os
seus compostos, assim como Deter, que
faz Detive, Detido, Detida.

Excepção II.
Dos Verbos, que mudão no Preterito,
e no Participio.

Dizer faz Disse, Dito, Dita. Do
mesmo modo os seus compostos, assim como
Contradizer, que faz Contradisse,
Contradito, Contradita. Fazer, Fiz,
Feito, Feita. Do mesmo modo os seus
compostos, assim como Desfazer, que
faz Desfeito, Desfeita.

Excepção III.
Dos Verbos, que mudão no Participio.

Ver, Vi, Visto, Vista. Do mesmo
modo os seus compostos, assim como Rever,
163que faz Revi, Revisto, Revista.
Escrever, Escrevi, Escrito, Escrita.
Do mesmo modo os seus compostos, assim
como Prescrever, que faz Prescrevi, Prescrito, Prescrita.

Excepção IV.
Dos Verbos, que tem dous Participios.

Romper, Rompi, Rompido, Roto,
Rota. Morrer, Morri, Morrido, a6 Morto,
Morta. Incorrer, Incorri, Incorrido,
Incurso, Incursa. Suspender, Suspendi,
Suspendido, Suspenso, Suspensa.
Eleger, Elegi, Elegido, Eleito, Eleita.

Advertencia.

Nos verbos, que tem dous Participios,
o participio indeclinavel de huma só fórma
acabada em o serve para ajudar a formar
os tempos compostos da voz activa;
e o declinavel de duas fórmas serve para
a voz passiva, como v.g. no verbo
Romper o Participio indeclinavel Rompido
se usa nos tempos compostos da voz
164activa, porque dizemos v.g. Pedro tinha
rompido o segredo
; e o Participio declinavel
Roto, Rota junto com o verbo auxiliar
Ser se usa na voz passiva, porque
costumamos dizer v.g. O segredo foi roto
por Pedro,
e não rompido por Pedro.

Lição III.
Dos Preteritos, e Participios do preterito
dos Verbos da terceira Conjugação.

Os verbos da terceira conjugação fazem
o preterito em i, e o Participio
em ido, ida, assim como Admittir,
que faz Admitti, Admittido, Admittida.

Excepção I.
Dos Verbos, que mudão no Preterito.

Ir faz Fui, Ido, Ida.

Excepção II.
Dos Verbos, que mudão no Preterito, e
no Participio.

Vir faz Vim, e muda no Participio,
porque faz Vindo, Vinda. O seu composto
165Convir tem o Participio de huma
só fórma, porque faz Convim, Convido.
Mas Reconvir faz Reconvim, Reconvindo,
Reconvinda.

Excepção III.
Dos Verbos, que mudão no Participio.

Cubrir faz Cubri, Cuberto, Cuberta.
Do mesmo modo os seus compostos,
assim como Encubrir, que faz Encubri,
Encuberto, Encuberta. Abrir, Abri,
Aberto, Aberta. Fregir, Fregi, Frito,
Frita. Imprimir, Imprimi, Impresso,
Impressa.

Lição IV.
Dos Preterito, e Participio do Verbo Por,
e seus compostos.

O Verbo Por faz no Preterito Puz, e
no Participio Posto, Posta. Do mesmo
modo os seus compostos, assim como
Compor, que faz Compuz, Composto,
Composta.166

Lição V.
Da natureza do Participio, e sua
divisão.

Participio he hum nome adectivo,
que participa (do que lhe provém o
nome) do verbo, de que se deriva a propriedade
de mostrar tambem o tempo,
em que se obra a cousa, que significa,
como v.g. o Participio Reinante, que significa
não só a pessoa, que reina, mas
tambem mostra que reina no tempo presente.

O Participio ou he activo, ou passivo.

Participio activo he aquelle, que significa
o que obra alguma acção no tempo
presente, como v.g. Amante, que significa
o que obra a acção de amar no
tempo presente.

Participio passivo he aquelle, que significa
o que padeceo a acção, que alguem
obrou no tempo passado,como v.g.
o Participio passivo Amado, Amada, que
significa o que padeceo a acção de amar,
que obrou no tempo passado.167

Advertencia.

Entre os Participios passivos ha huns,
a que por abuso damos tambem a significação
activa, como v.g. Calado, quando
significa o que cala; Agradecido o
que agradece; Entendido o que entende;
Lido o que lê; Desenganado o que desengana;
Preferido o que prefere.

Livro V.
Das Partes indeclinaveis da Oração.

Lição I.
Da Preposição.

Preposição he huma voz indeclinavel,
que por si só não tem significação
completa, mas posta na oração antes do
nome, rege a este para estar no caso,
que ella pede.

Exemplo. Se eu disser: Em, esta palavra,
que he huma preposição, por si só
proferida não tem significação completa.
168Mas se eu disser: Em Lisboa está o Colegio
de Nobres
, então a preposição Em
rege o nome Lisboa, a que se antepoem,
e se faz que esteja em ablativo.

As preposições, que se seguem regem
genitivo.

Acerca, Antes, Além, Aquém, Atrás,
Detráz. De, Diante, Depois,
Dentro, Fóra, Longe, Perto. a7

As preposições, que se seguem, regem
accusativo, e são: A, Até, Contra, Desde,
Entre, Para, Perante, Segundo,
Sobre, Apóz, preposição antiga, a qual
se acha tambem com genitivo.

Outras preposições regem ablativo, e
são: Com, De, Em, Por, Sem, Sob. A
preposição De humas vezes pede genitivo,
outras ablativo. A preposição A rege
dativo, e ablativo.169

Lição II.
Do Adverbio.

Adverbio he huma voz indeclinavel,
que por si só não significa nada completamente;
mas junta na oração a outra
palavra, lhe declara o modo da sua significação.
Exemplo. Quando digo v.g.
Pedro fallou elouquentemente, a palavra
elouquentemente he adverbio, que junta
ao verbo fallou exprime o modo, ou circunstancia
da acção de fallar, que o dito
verbo significa, isto he, declara que a
acção de fallar foi com eloquencia.

Ha varias especies de adverbios, por
serem diversos os seus modos de significar.
As mais notorias são as seguintes.

De affirmar: Sim, Certamente, Na verdade,
Sem dúvida.

De negar: Não, Nada, De nenhuma
sorte
.

De mostrar: Eis-aqui, Eis-ahi, Eis-alli.

De perguntar: Porque, Como, Como assim,
Porque razão.170

De comparar: Assim como, Semelhantemente,
Do mesmo modo.

De lugar: Ahi, Alli, Aqui, , Onde,
Donde.

De tempo: Agora, Ainda, Hoje, Hontem,
Ante-hontem, Amanhã,
Logo, Nunca, Sempre.

De quantidade: Mais, Menos, Muito,
Pouco.

De qualidade: Bem, Sabiamente, Facilmente,
Felizmente.

Advertencia.

1 Os adverbios de qualidade, que
tem terminação mente, fórmão-se dos
adjectivos sendo estes de duas terminações,
da terminação feminina acabada
em a, accrescentando-se-lhes as syllabas
mente, como v.g. no adjectivo Douto,
Douta, da terminação feminina Douta,
accrescentando-se-lhe as syllabas mente,
fórma o adjeverbio Doutamente. Se o
adjectivo he huma só terminação, accrecentando-se
a esta as syllabas mente,
se fórma o adverbio, assim como de Eloquente,
Eloquentemente.171

2 Algumas das sobreditas palavras,
a que damos o nome de adverbio, o não
são por sua natureza, mas são tidas por
taes pelo officio, que fazem de declararem,
como os verdadeiros adverbios, o
modo da significação das palavras, a que
se ajuntão, como v.g. Sem Dúvida, que
na realidade não he adverbio, por se
compor da preposição Sem, e do nome
Dúvida.

Lição III.
Da Conjunção.

Conjunção he huma voz indeclinavel,
que por si só não tem significação
completa, mas posta no discurso, serve
de ajuntar os membros, ou partes delle,
do que lhe provém o nome. Exemplo.
Quando digo v.g. Pedro lê, e Paulo
escreve
, a palavra ê he conjunção;
porque neste discurso, que consta de dous
membros, ou sentenças, ata, e une a sentença,
ou oração Pedro lê á sentença,
ou oração Paulo escreve.

Ha varias especies de conjunção. As
mais notaveis são as seguintes.172

Copulativa: E, Tambem.

Disjuntiva: Ou, Nem.

Causaes: Porque, Por quanto, Pois, &c.

Condicionaes: Se, Ainda que, Senão,
Com tanto que.

Conclusivas: Logo, Por consequencia,
Pelo que, Por tanto,
Por causa.

Declarativas: A saber, Assim como, Verbi
gratia
.

Advertencia.

As conjunções são como os adverbios,
de duas sortes: huma são de sua
natureza, assim como E, Ou; outras o
não são de sua origem, e se conhecem,
por serem compostas de diversas palavras,
como v.g. Por consequencia, que se compoem
da preposição Por, e do nome Consequencia;
A saber, que se compoem da
preposição A, e de Saber, voz infinita
do presente do infinito do verbo Sei.173

Lição IV.
Da Interjeição.

Interjeição he huma voz indeclinavel,
que seve para exprimir as varias paixões
da nossa alma.

Como são diversas as paixões da alma,
por isso para se declararem se inventárão
differentes especies de interjeição.
As mais usuaes são as que se seguem.

De dor: Ai.

De repugnancia: Apage, Fóra.

De incitar: Eia.

De sentimento, exclamação, e de pedir
Socorro: Ah.

De espanto: Ahi.

De suspender: Ta.

De chamar, prazer, pezar, desejo, admiração,
exclamação: O.

Advertencia.

Algumas das sobreditas palavras não
são interjeições por sua natureza, assim
como Ahi, que na realidade he adverbio,
174mas toma-se como interjeição, quando
he sinal de espanto.

Livro VI.
Da Prosodia.

Prosodia he huma parte da Grammatica,
que ensina a pronunciar as syllabas
com o seu devido accento.

A syllaba ou he longa, ou breve. a8
Syllaba longa he aquella, em cuja pronunciação
se levanta a voz, ferindo-se
a vogal, como v.g. na palavra Hora
he longa a primeira syllaba , por se
levantar a voz na sua pronunciação, ferindo-se
a vogal o.175

Syllaba breve pelo contrario he aquella,
em cuja pronunciação se abaixa a voz
se ferir a vogal, como v.g. na sobredita
palavra Hora a ultima syllaba ra
he breve, por se abaixar a voz na sua
pronunciação sem se ferir a vogal a.

Ás vezes sobre a vogal da syllaba
longa se poem o seguinte sinal, (’) a que
chamão accento agudo; ou este, (^) a
que chamão accento circunflexo. O primeiro
seve para denotar, que se deve
pronunciar a vogal, fazendo hum som
aberto, como se vê na vogal o da primeira
syllaba do verbo Gósto. O segundo
denota, que se deve pronunciar a vogal,
fazendo hum som fechado, como se vê
na vogal o da primeira syllaba do nome
Gôsto.

Nenhuma vogal he perpetuamente longa,
ou breve, porque póde se breve, ou
longa, conforme a palavra, em que se
achar; e por isso não tratamos das syllabas
primeiras, e medias, pois sómente para
ultima syllaba, por ser certa a terminação
da palavra, se póde dar regra
para se saber se a vogal he longa, ou
breve.176

Lição I.
Das palavras acabadas em letra vogal.

As palavras acabadas em a tem a ultima
breve, assim como Fama, Casa,
Defendêra.

Excepções.
[He longa a terminação a…]

He longa a terminação a em Acolá,
Tafetá, Maná, Alvorá, Pará, Oxalá.

Tambem he longa na terceira pessoa
do singular do futuro imperfeito do indicativo
dos verbos, assim como em Amará,
Defenderá, e em Está terceira pessoa
do singular do presente do indicativo
do verbo Estar.

Nas palavras monosyllabas, isto he,
de huma só syllaba, he tambem longo o
a final, assim como em , , ,
, , e A interjeição, e nos verbos
, , . Tirão-se A artigo, e A
preposição, quando não faz som aberto,
que são breves.

As palavras acabadas em e tem a ultima
breve, como v.g. nos nomes Bosque,
177Fome; e nos verbos, assim como
Ame, Vive.

Excepções.
[He longa a terminação e…]

He longa a terminação e em Café,
Fricacé, Galé, Polé, Maré, Pontapé.

Tambem he longa nas palavras monosyllabas,
como v.g. em , , . Tirão-se
os Pronomes Me, Te, Se, Lhe, De
preposição; e E conjunção, que são breves.

As palavras acabadas em i tem a ultima
longa, assim como em Aqui, Alli;
e nos verbos Amei, Defendi.

As palavras acabadas em o tem a ultima
breve, assim como nos nomes Filho,
Livro; e na primeira pessoa do singular
do indicativo dos verbos, v.g. Amo, Defendo.

Excepções.
[He longa a terminação o…]

He longa a terminação o em Rocló,
Teiró, Ventó, Filhó, Beilhó, Enxó,
Avó, Avô; e nas palavras monosyllabas
, , . O’ interjeição. Tira-se O
artigo, que he breve.178

As palavras acabadas em u tem a ultima
longa, assim como em Nu, Cru,
Amou, Breu. Tira-se Tribu, que he breve.

Lição II.
Das palavras acabadas em L.

As palavras acabadas em al tem a
ultima longa, assim como Coral,
Fatal, Portugal. Tirão-se Tentugal,
Setuval, que são breves.

As palavras acabadas em el tem a ultima
longa, assim como Burel, Painel, Granel,
Pincel.

Excepção.
[He breve o el final…]

He breve o el final nos nomes adjectivos,
que acabão em vel, assim como
Admiravel, Infallivel, Possivel.

As palavras acabadas em il tem a ultima
longa, assim como em Abril, Buril,
Gomil, Gentil, Anil.

Excepções.
[He breve o il final…]

He breve o il final, em Docil, Facil,
Fertil.179

As palavras acabadas em ol tem a ultima
longa, assim como Anzol, Farol,
Caracol, Lençol, Paiol.

As palavras acabadas em ul tem a ultima
longa, assim como Paul, Taful,
Azul.

Excepções.
[He breve o ul final…]

He breve o ul final em Consul, e no
seu composto Pro-Consul.

Lição III.
Das palavras acabadas em M, e N.

As palavras acabadas conforme huns
em am, econforme outros no ditongo
ão tem a ultima longa, assim como
nos nomes Lição, Occasião, Tostão;
e na terceira pessoa do plural do futuro
imperfeito do indicativo dos verbos, como
v.g. Amarão, Defenderão, Definirão.

Excepções.
[He breve a terminação am…]

He breve a terminação am, ou ão
nos nomes Benção, Sotão, Frangão, Orgão,
Rabão; e na terceira pessoa do plural
180do presente do indicativo dos verbos
da primeira conjugação, como v.g. Amão,
Fallão. Exceptuão-se Dão. Estão,
que são longas.

He tambem breve a terminação ão na
terceira pessoa do plural do presente do
conjunctivo dos verbos da segunda, e
terceira conjugação, assim como Defendão,
Aplaudão; e dos verbos acabados
em or, assim como Ponhão, Componhão;
e na terceira pessoa do plural dos preteritos
imperfeito, perfeito, e mais que
perfeito do indicativo; e dos preteritos
imperfeito, e mais que perfeito do conjunctivo
dos verbos, assim como Amavão,
Amárão, Amarião.

As palavras acabadas em em tem a
ultima breve, assim como Imagem, Pagem,
Ventagem, Ordem; e nos verbos,
como v.g. Amem, Defenderem, Definissem,
Lerem.

Excepções.
[He longa a terminação em…]

He longa a terminação em em Desdem,
Bem, Vintem e no verbo Vem,
seus compostos Convem, Desconvem: e
181no verbo Tem, e seus compostos Retem,
Detem, Mantem, Contém.

As palavras acabadas em im, om, um
tem a ultima longa, assim como Salamim,
Som, Jejum.

As palavras acabadas, conforme alguns,
em an, e on tem a ultima longa,
assim como Lan, Irman, Canon. Exceptuão-se
dos nomes em an Iman, que tem
a ultima breve.

Lição IV.
Das palavras acabadas em R.

As palavras acabadas em ar, er, ir,
or, ur tem a ultima longa, como
v.g. nos nomes Altar, Prazer, Vizir,
Ardor, Aljesur; e nos verbos, assim como
Amar, Defender, Applaudir, Por.

Excepções.
[Dos nomes acabados em ar…]

Dos nomes acabados em ar he este
breve em Assucar, Nectar, Aljofar,
Ambar; e dos nomes acabados em ir he
este breve em Martyr.182

Lição V.
Das palavras acabadas em S.

§ I.
Das palavras acabadas em as, aens, ais.

As palavras acabadas em as tem a
ultima breve, como v.g. o plural
dos nomes, que no singular acabão em a
breve, assim como Casas, Glorias. Tambem
he breve a terminação as nos verbos,
assim como Louvas, Louváras,
Louvarias.

Excepções.
[He longa a terminação as…]

He longa a terminação as no nome
Thomás; e no plural dos nomes, que no
singular acabão em a longo, assim como
Tafetás, Alvarás; e na segunda pessoa
do singual do futuro imperfeito do indicativo
dos verbos, assim como Amarás,
Defenderás, Applaudirás.

He tambem longa a terminação as
no verbos Estás; e nas palavras monosyllabas,
assim como em Mas; e no verbo
183Dás. Tira-se As plural do artigo A,
que he breve.

As palavras acabadas em aens plural
de certos nomes, que no singular acabão
em ão tem a ultima longa, assim como
Escrivaens, Tabelliaens.

As palavras acabadas em ais tem a
ultima longa, assim como os nomes Cais,
Arrais, e o adverbio Mais. He tambem
longa a terminação ais nos verbos, assim
como Amais, Defendais.

§ II.
Das palavras acabadas em es, ens, eis.

As palavras acabadas em es são breves,
como v.g. plural dos nomes,
que no singular acabão em e breve,
assim como Noites, Bosques; e nos
verbos v.g. Ames, Defendestes, Applaudires.

Excepções.
[He longa a terminação es…]

He longa a terminação es no plural
dos nomes, que no singular acabão em e
longo, como v.g. Marés, Polés; e nas
palavras monosyllabas, como v.g. És,
184Lês, Dês, Vês. Tira-se lhes, que he
breve.

As palavras acabadas em ens tem a
ultima breve, como v.g. o plural dos nomes,
que no singular acabão em em breve,
assim como Vertigens, Ventagens.

Excepções.
[He longa a terminação ens…]

He longa a terminação ens no plural
dos nomes que acabão em em longo, como
v.g. Bens, Vintens. He tambem
longa no verbo Vens, e seus compostos
Convens, Desconvens; e no verbo Tens,
e seus compostos Detens, Retens.

As palavras acabadas em eis, ou eys
tem a ultima longa, como v.g. no plural
dos nomes, que no singular acabão em
ey, assim como Reys, Vice-Reys, Leys.

Tambem he longa a terminação eis
na segunda pessoa do plural do presente
do indicativo dos verbos da segunda conjugação,
assim como Defendeis, Sabeis;
e na segunda pessoa do plural do futuro
imperfeito do indicativo dos verbos, qualquer
que seja a conjugação, assim como
Amareis, Defendereis, Applaudireis.185

Excepções.
[He breve a terminação eis…]

He breve a terminação eis no plural
dos nomes adjectivos, que no singular
acabão em vel, assim como Possiveis, Impossiveis.

He tambem breve a terminação eis
na segunda pessoa do plural do preterito
imperfeito, e do preterito mais que perfeito,
assim do Indicativo, como do Conjunctivo
dos verbos, como v.g. Defendieis,
Defendêreis, Defenderieis, e Defendesseis.

§ III.
Das palavras acabadas em is, ins.

As palavras acabadas em is tem a ultima
longa, como v.g. o plural dos
nomes, que no singular acabão em il longo,
assim como Subtis, Civis.

Tambem he longa a terminação is
nos verbos, assim como Applaudis, Ouvis.

Excepções.
[He breve a terminação is…]

He breve a terminação is nos nomes
Parentesis, Perifrasis.186

As palavras acabadas em ins tem a
ultima longa, como v.g. o plural dos nomes,
que no singular acabão em im, assim
como Salamins, Jasmins.

§ IV.
Das palavras acabadas em os, us, oens,
ons, uns.

As palavras acabadas em os, tem a ultima
breve, como v.g. Domingos;
e o plural dos nomes, que no singular acabão
em o breve, assim como Filhos,
Livros.

He tambem breve a terminação os nas
pessoas dos verbos, assim como Defendamos,
Defendiamos, Defendêramos, Defenderiamos,
Defendessemos.

Excepções.
[He longa a terminação os…]

He longa a terminação os no plural
dos nomes, que no singular acabão em ó
longo, assim como Roclós, Enxós, Avós.

Tambem he longa nas palavras monosyllabas
como v.g. Lós, Mós, Nós,
plural do nome . Tirão-se os Pronomes
187Nós, Vós no Dativo, ou Accusativo,
quando não tem antes de si a preposição
a, e Os, plural do artigo O, que
são breves.

As palavras acabadas em us tem a ultima
longa, assim como o Santissimo Nome
de Jesus; e o plural dos nomes, que no
singular acabão em u, como v.g. Nus,
Crus. Tirão-se Tribus plural do nome
Tribu, que he breve.

As palavras acabadas em oens, plural
de certos nomes, que no singular acabão
em ão, tem a ultima longa, assim como
Questões, Opiniões.

As palavras acabadas em ons, uns,
plural dos nomes acabados em om, um,
tem a ultima longa, assim como Sons,
Jejuns.

Lição VI.
Das palavras acabadas em Z.

As palavras acabadas em az tem a
ultima longa, assim como Atanaz,
Antraz.

He tambem longa a terminação az
em Faz, terceira pessoa do singular do
presente do Indicativo do verbo Fazer;
188e nos compostos, assim como Desfaz,
Contrafaz.

As palavras acabadas em ez tem a ultima
longa, assim como Convez, Arnez,
Mez.

He tambem longa a terminação ez na
terceira pessoa do singular do preterito
perfeito do Indicativo do verbo Fazer,
e seus compostos Fez, Desfez.

Excepções.
[He breve a terminação ez…]

He breve a terminação ez nos nomes
Patronimicos Dominguez, Gonçalvez,
Fernandez.

As palavras acabadas em iz tem a ultima
longa, assim como Verniz, Matriz.

Tambem he longa a terminação iz,
em Fiz, primeira pessoa do singular do
preterito perfeito do Indicativo do verbo
Fazer, e nos seus compostos, assim como
Desfiz, Refiz.

Excepções.
[He breve a terminação iz…]

He breve a terminação iz nos nomes
Caliz, Lapiz.189

As palavras acabadas em oz tem a ultima
longa, assim como Arroz, Antroz,
Veloz; e a terceira pessoa do singular
do preterito perfeito do Indicativo
do verbo Por, e seus compostos Poz,
Compoz, Repoz.

As palavras acabadas em uz tem a
ultima longa, assim como Capuz, Arcabuz.

Tambem he longa a terminação uz
na terceira pessoa do singular do presente
do Indicativo dos verbos Induzir, Conduzir,
Reduzir, a saber: Induz, Conduz,
Reduz; e na primeira pessoa do singular do
preterito perfeito do Indicativo
do verbo Por, e seus compostos, a
saber: Puz, Compuz, Dispuz. Repuz,
&c.190

Parte II.
Da Syntaxe.

Proemio.

Syntaxe a9 he a recta composição das
partes da oração entre si.

A oração he certa composição de
palavras, com que de huma cousa se affirma, ou
nega outra.

I. Exemplo. Pedro ama a Deos. Estas
palavras compoem huma oração, porque
nellas se affirma de Pedro ser amante
de Deos.

II. Exemplo. Pedro não he Filosofo.
Estas palavras formão huma oração, porque
nellas se nega de Pedro o ser Filosofo.

A Syntaxe ou he simples, ou figurada.
Da figurada tratamos em lugar separado.

Syntaxe simplez, ou regular he a composição
191das partes da oração, ordenada
conforme as regras geraes da Grammatica.

A Syntaxe simplez ou he de concordancia,
ou de regencia.

Syntaxe de concordancia he a união
de duas, ou mais partes da oração, que
sendo da mesma, ou diversa especie, convem
em alguma cousa.

Exemplo da concordancia de palavras
da mesma especie.

A virtude he formosa. Nesta oração
ha duas palavras da mesma especie, por
serem nomes, que são o substantivo Virtude,
e o adjectivo Formosa, e ambas
concordão em estarem no nominativo, no
numero singular, e em serem do genero a10
feminino.192

Exemplo da concordancia de palavras
de diversa especie.

O vicio tem grande fealdade. Nesta
oração ha duas palavras de differente especie,
que são o nome Vicio, e o verbo
Tem; mas sem embargo desta differença,
concordão em serem ambas do numero
singular, e da terceira pessoa.

Syntaxe de Regencia he, quando certas
partes da oração por força do seu
modo de significar regem o nome, e o
determinão, para que se ponha neste, ou
naquelle caso.

Exemplo. Eu escrevo em Lisboa. Nesta
oração a preposição Em por força do
seu modo de significar rege o nome Lisboa,
determinando-o, para que de necessidadse
esteja em ablativo.193

Livro I.
Da Syntaxe de Concordancia.

Lição I.
Da Concordancia do Substantivo com outros
Substantivos, e da Concordancia
do Adjectivo com o Substantivo.

Regra I.

Quando na oração concorrem dous,
ou mais substantivos continuados pertencentes
para a mesma cousa, sem
que entre elles possa mediar a conjunção
E, concordão todos em caso, isto he,
poem-se todos no mesmo caso, em que
está o primeiro, a quem pertecem, ainda
que sejão de diverso genero, e numero.
A mesma regra ha na Syntaxe Latina.

Exemplo. Tito delicias de Roma
foi pai da patria
. Nesta oração são
substantivos continuados Tito, e delicias
pertencentes a huma mesma cousa, por
se affirmar delicias de Tito; e por isso
concordão em caso por estarem ambos
em nominativo, mas não em genero, por
194ser Tito masculino, e delicias feminino;
nem tambem em numero, por estar Tito
no singular, e delicias no plural.

Regra II.

O nome adjectivo a11 concorda com o
195seu substantivo em genero, a12 numero, e
caso. A mesma regra ha na Syntaxe Latina.196

Exemplo. O homem sabio aborrece os
vicios
. Nesta oração o adjectivo sabio
concorda com o seu substantivo homem masculino
em genero, por estar na terminação,
maasculina, e em numero, e em caso,
porque ambos estão no numero singular,
e em nominativo.

Lição II.
Das Concordancias do Verbo com o seu
nominativo.

Regra unica.

O Verbo na oração concorda com o
seu nominativo em numero, a13 e
197pessoa. a14 A mesma regra he na Syntaxe Latina.198

Exemplo. Pedro escreve. Nesta oração
o verbo Escreve concorda com o seu
nominativo Pedro em numero, porque
ambos estão no singular, e em pessoa;
porque o verbo Escreve está na terceira
pessoa conncordando com o nome Pedro
pertencente á terceira pessoa.

Livro II.
Da Syntaxe de Regencia.

Na oração Portugueza ha sómente
duas partes, ou palavras, que regem
caso, que são o verbo Activo, e a
199Preposição; e quatro casos, que são regidos,
a saber: Genitivo, Dativo, Accusativo,
e Ablativo; porém trataremos de
todos os casos do nome por sua ordem;
porque sabido o officio, que cada hum
faz na oração, facilmente se percebem as
regras da Syntaxe de Regencia.

Lição I.
Do Nominativo.

Regra unica.

Em toda a oração o verbo no modo
finito pede nominativo a15 antes de
200si a16 claro, ou occulto. b17 Esta regra ha
tambem na Syntaxe Latina.201

Exemplo. Quando digo: Eu escrevo
Grammatica
. Nesta oração o verbo Escrevo
do modo finito tem antes de si o
nominativo Eu claro. Quando digo: Estudo
a lingua Grega
. Nesta oração o verbo
Estudo tem antes de si o nominativo
Eu occulto, pois val o mesmo que dizer:
Eu estudo a lingua Grega.

Lição II.
Do Genitivo. a18

Regra I.

Todas as vezes que na oração concordarem
juntos dous substantivos, de que
hum significa a cousa possuida, e outro
202o possuidor, este segundo, que significa o
possuidor da cousa, ou para quem ella
pertence, se poem em genitivo regido da
preposição De. Na Syntaxe Latina tambem
se poem o substantivo do possuidor
em genitivo. a19

Exemplo. Pedro edificou a casa de
Antonio
. Nesta oração concorrem juntos
dous substantivos, que são Casa, e Antonio,
dos quaes o primeiro significa a
cousa possuida, e segundo o possuidor;
e por isso está em genitivo regido da preposição
De.203

Regra II.
Dos Adjectivos.

Os adjectivos, que significão cousa
abundante, ou falta; sciente, ou ignorante;
rica, ou pobre; lembrada, ou esquecida,
tem depois de si genitivo regido da
preposição De, em cujo caso se poem o substantivo,
que significa a cousa, de que ha
abundancia, ou falta; fciencia, ou ignorancia,
&c. Tambem este na oração Latina a20 se poem em genitivo.

Exemplo. O anno he abundante de
frutos
. Nesta oração o substantivo Frutos
está em genitivo regido da preposição
De, por significar a cousa, de que ha
abundancia, o qual se póde mudar para
o ablativo regido da mesma preposição
204De, pela razão de que os adjectivos, que
significão cousa rica, ou pobre; abundante,
ou falta, na Syntaxe Latina podem ter
genitivo, ou ablativo.

Aos adjectivos partitivos, numeraes,
comparativos, e superlativos se póde ajuntar
genitivo do plural (não sendo de nome
colletivo, porque então deve ser do
singular) regido da preposição De; e este
genitivo do plural póde mudar para
ablativo regido da mesma preposição
De, ou para accusativo com a preposição
Entre.

I. Exemplo. Nenhum dos Soldados
depreze a Arte Militar
. Nesta oração
o substantivo Soldados se acha em genitivo
do plural depois do partitivo Nenhum
regido da preposição De; e tambem se
póde dizer que está em ablativo, por ser
este caso na lingua Portugueza, quando
se lhe antepoem a preposição De semelhante
ao genitivo. Póde-se mudar o dito
genitivo Soldados para accusativo com a
preposição Entre, dizendo-se: Nenhum
entre os Soldados despreze a Arte Militar
.

II. Exemplo. Muitos da Cidade aprendem
205Rhetorica
. Nesta oração o substantivo
Cidade se acha em genitivo depois
do adjectivo numeral Muitos, mas no
numero singular por ser nome collectivo.

Regra III.
Dos Verbos.

Aos verbos de accusar, e abvsorver se
ajunta genitivo regido da preposição De,
em cujo caso se poem o nome, que significa
o crime, ou pena. Na oração Latina
tambem se lhes ajunta genitivo. a21

Exemplo. Accusei a Pedro de furto.
Nesta oração o substantivo Furto está em
genitivo regido da preposição De, por significar
o crime, de que Pedro foi accusado.
Tambem podemos dizer que está
em ablativo, por haver exemplos de mudarem
os Latinos o genitivo do crime,
ou pena em ablativo regido da preposição
De.206

Aos verbos Compadecer-se, Envergonhar-se,
Ensastiar-se, Esquecer-se, Lembrar-se,
e outros se ajunta genitivo regido
da preposição De, em cujo caso se
poem o nome, que significa a cousa, de
que ha compaixão, vergonha, fastio,
esquecimento, e lembrança.

Exemplo. Compadeço-me muito de Pedro.
Nesta oração o substantivo Pedro está
em genitivo regido da preposição De,
por ser o nome, que significa a pessoa, de
que ha compaixão.

Ao verbo Ser se ajunta genitivo regido
da preposição De. O mesmo caso se
lhe ajunta na oração Latina.

Exemplo. Este livro he de Paulo.
Nesta oração o substantivo Paulo depois
do verbo He está em genitivo regido da
preposição De, por significar o possuidor
do livro.

Regra IV.
Das Preposições.

Algumas preposições regem genitivo,
e são aquellas, de que já fizemos menção,
quando tratámos da preposição.207

Exemplo. Fallo ácerca de Grammatica.
Nestra oração a preposição Acerca
rege o genitivo de Grammatica. a22

Regra V.

A alguns adverbios se ajunta genitivo.
O mesmo he na oração Latina. b23

Exemplo. Assás de trabalho tive na
jornada
. Nesta oração o substantivo Trabalho
está em genitivo depois do adverbio
Assás regido da preposição De.208

Lição III.
Do Dativo. a24

Regra I.

Todo o dativo na lingua b25 Portugueza
he regido da preposição A clara,
ou occulta.

Aos adjectivos, que significão cousa
proveitosa, ou damnosa; agradavel, ou
desagradavel; fiel, ou infiel; favoravel,
ou contraria; semelhante, vizinha, &c.
se ajunta dativo, em cujo caso se poem o
nome da pessoa, ou cousa, a quem he
proveitosa, ou damnosa; agradavel, ou
desagradavel, &c. O mesmo he na Syntaxe
Latina.209

I. Exemplo. A paz he util aos Póvos.
Nesta oração o substantivo Póvos
depois do nome adjectivo Util está em
dativo regido da preposição A, por ser a
cousa, a quem a paz he proveitosa.

II. Exemplo. A guerra he nociva aos
Póvos
. Nesta oração o substantivo Póvos
está em dativo regido da preposição A
depois do adjectivo Nociva, por ser o
nome da cousa, a quem a guerra he damnosa.

Advertencias.

A alguns dos sobreditos adjectivos se
póde mudar o dativo para accusativo com
a preposição Para: taes são Util, Damnoso;
Agradavel, Desagradavel; Fiel,
Infiel, v.g. Util a todos, ou para todos.

Aos adjectivos Contrario, Vizinho
em lugar do dativo se póde pôr genitivo,
como v.g. Contrario a todos, ou de
todos
; Vizinho ao mar, ou do mar.

Regra II.

Aos verbos Declarar, Entregar,
Dar, Mandar, Prometter, Favorecer,
210Restituir, Servir, Obedecer, Antepor,
Pospor, Lisonjear, Agradar, Applicar,
e outros se ajunta dativo, em cujo
caso se poem o nome da pessoa, a quem
se declara, entrega, , manda, &c.

Exemplo. Declarei a Pedro hum segredo.
Nesta oração o substantivo Pedro
está em dativo a26 de proveito regido da
preposição A, por ser o nome da pessoa,
a quem se declarou o segredo.211

Advertencia.

Alguns verbos ha, a que se póde mudar
o dativo para accusativo com a preposição
Para. Taes são Mandar, Applicar,
v.g. Mandei hum livro a Pedro,
ou para Pedro
.

Lição IV.
Do Accusativo.

Regra I.

Todo o accusativo he regido pelo verbo
activo, a27 ou por alguma preposição.
A mesma regra ha na Syntaxe Latina.

Regra II.

Todo o verbo activo pede, e rege depois
de si accusativo, b28 em cujo caso se
212poem o nome, que significa o paciente da
oração. A mesma regra ha na Syntaxe Latina.

Exemplo. Eneas matou a Turno. Nesta
oração o verbo activo Matou tem depois
de si o accusativo Turno, ao qual
213rege a29 por ser a pessoa, ou a paciente, a
que se dirigio, a acção de matar, que
obrou Turno.

Regra III.

Algumas preposições regem accusativo.
A mesma regra ha na Syntaxe Latina.

Exemplo. Escrevi esta Grammatica
segundo as doutrinas dos melhores Grammaticos
.
Nesta oração o nome Doutrinas
está em accusativo regido da preposição
Segundo.214

Regra IV.

O nome, que na oração significa o
lugar, para onde alguma cousa vai, ou
se leva, poem-se em accusativo regido da
preposição Para. A mesma regra ha na
Syntaxe Latina.

Exemplo. Pedro vai para Castella.
Nesta oração o nome Castella está em accusativo
regido da preposição Para, que
tem de si, por significar o lugar para
onde Pedro vai. Tambem se póde pôr
o nome Castella em accusativo regido da
preposição A, Dizendo-se: Pedro vai a
Castella
.

Lição V.
Do Vocativo.

O vocativo entre os casos do nome serve
para significar a pesoa, ou cousa,
com quem se falla. a30215

Exemplo. O’ Portugal, já as bellas
letras em ti florecem
. Nesta oração o substantivo
Portugal está em vocativo por
ser a cousa, com quem se falla.

Lição VI.
Do Ablativo. a31

Regra I.

Todo o ablativo he regido por huma
preposição clara, ou occulta. b32216

Regra II.

O nome, que na oração significa a causa,
de que alguma cousa procede, poem-se
em ablativo com a preposição Por, e ás
vezes com a preposição De. Tambem se
poem algumas vezes em ablativo com a
preposição A.

Na oração Latina poem-se tambem
em ablativo.

Exemplo de ablativo com a preposição Por.

Pedro fugio por medo. Nesta oração
o nome Medo está em ablativo regido pela
preposição Por por significar a causa da
fugida de Pedro.

Exemplo de ablativo com a preposição De.

Pedro morreo de febre. Nesta oração
o nome Febre está em ablativo regido pela
preposição De por significar a causa da
morte de Pedro.217

Exemplo de ablativo com a preposição A.

Pedro morreo á fome. Nesta oração o
nome Fome, por significar a causa da morte
de Pedro, está em ablativo regido pela
preposição A posta em lugar a33 da preposição
Por, pois val o mesmo que dizer:
Pedro morreo por fome.

Regra III.

O nome, que na oração significa o instrumento,
com que se faz alguma cousa,
poem-se em ablativo com a preposição
Com. Na oração Latina poem-se tambem
em ablativo.

Exemplo. Paulo ferio a Francisco com
a espada
. Nesta oração o nome Espada,
por significar o instrumento com que Francisco
foi ferido, está em ablativo regido
pela preposição Com.218

Regra IV.

O nome, que na oração significa o modo,
com que se faz alguma cousa, poem-se
em ablativo com a preposição Com, e
ás vezes com a preposição De. Tambem
algumas vezes se poem em ablativo com
a preposição A. Nesta oração Latina poem-se
tambem em ablativo.

Exemplo de ablativo com a preposição
Com.

Escrevo com cuidado. Nesta oração o
nome Cuidado, por significar o modo, com
que escrevo, está em ablativo com a preposição
Com.

Exemplo de ablativo com a preposição De.

O cavallo vai de andadura. Nesta oração
o nome Andadura, por significar o
modo, com que anda o cavallo, está em
ablativo com preposição De.

Exemplo de ablativo com a preposição A.

Paulo veste á moda. Nesta oração o
nome Moda, por significar o modo de vestir
de Paulo, está em ablativo com a preposição
219A, significando esta o mesmo que
Por, pois val o mesmo que dizer: Paulo
veste pela moda
.

Regra V.

O nome, que na oração significa a
mesma, de que alguma cousa se faz,
poem-se em ablativo com a preposição De.
Na oração Latina poem-se tambem em
ablativo.

Exemplo. Perdi huma cadea de ouro.
Nesta oração o nome Cadea, por significar
a materia, de que se compoem a cadea,
está em ablativo com a preposição
De.

Regra VI.

O nome, que na oração significa a
cousa, em que alguem excede a outrem,
poem-se em ablativo com a preposição Em.
Na oração Latina põem-se tambem em
ablativo.

Exemplo. Alexandre excedeo a Dario
no valor
. Nesta oração o nome Valor, por
significar a cousa, em que Alexandre levou
excesso a Dario, está em ablativo, a
220que chamão de exesso, regido pela preposição
Em, que lhe precede.

Regra VII.

O nome, que na oração significa o
preço, por que alguma cousa se compra,
ou vende, poem-se em ablativo com a preposição
Por, e ás vezes em ablativo com
a preposição A, posta em lugar de Por.
Na oração Latina poem-se tambem em
ablativo.

Exemplo de ablativo com a preposição Por.

Comprei hum livro por dez tostões.
Nesta oração os nomes Dez tostões, por
significarem o preço, por que o livro foi
comprado, estão em ablativo com a preposição
Por, de quem são regidos.

Exemplo de ablativo com a preposição A.

O Mercador vendeo a dez tostões o
covado de panno
. Nesta oração os nomes
Dez tostões estão em ablativo de preço
com a preposição A, de quem são regidos,
221posta em lugar de Por, pois val o
mesmo que dizer: O Mercador vendeo
por dez tostões o covado de panno
.

Regra VIII.

O nome, que na oração significa o
preço, em que alguma cousa he avaliada,
poem-se em ablativo com a preposição
Em, e ás vezes com a preposição A. Na
oração Latina poem-se em ablativo.

Exemplo de ablativo com a preposição Em.

Taxárão o livro em hum cruzado.
Nesta oração os nomes Hum cruzado estão
em ablativo com a preposição Em,
de quem são regidos, por significarem o
preço, em que o livro foi taxado.

Exemplo de ablativo com a preposição A.

Taxárão cada folha do livro a dous
vintens
. Nesta oração os nomes Dous vintens
estão em ablativo com a preposição
A, de quem são regidos, significando esta
o mesmo que Em, pois val o mesmo
222que dizer: Taxárão cada folha do livro
em dous vintens
.

Regra IX.

O nome, que na oração significa o
espaço de tempo, que alguma cousa dura,
poem-se em ablativo regido occultamente
pela preposição Por. Na oração Latina
poem-se em accusativo, ou em ablativo
conforme a preposição que o rege.

Exemplo. Estive doente seis mezes.
Nesta oração os nomes Seis mezes, por
significarem o espaço de tempo, que durou
a doença, estão em ablativo regido
occultamente pela preposição Por, pois
val o mesmo dizer: Estive doente
por seis mezes
.

Regra X.

O nome, que na oração significa o
tempo, em que alguma cousa succede, ou
se faz, poem-se em ablativo, humas vezes
com a preposição Em clara, ou occulta,
outras com a preposicão De, ou Por, ou
A. Na oração Latina poem-se em ablativo.223

Exemplo de ablativo com a preposição
Em clara.

Em Novembro do anno 1755 houve
em Portugal hum grande terremoto
.
Nesta oração o nome Novembro, por significar
o tempo, em que sucedeo o terremoto,
está em ablativo com a preposição
Em clara, de quem he regido.

Exemplo de ablativo com a preposição
Em occulta.

Esta tarde hei de ir ao campo. Nesta
oração os nomes Esta tarde estão em
ablativo regido pela preposição Em occulta,
pois val o mesmo que dizer: Nesta
tarde hei de ir ao campo
.

Exemplo de ablativo com a preposição De.

De noite assoprão os ventos. Nesta
oração o nome Noite está em ablativo
com a preposição De, de quem he regido.224

Exemplo de ablativo com a preposição Por.

Pela tarde no Verão refresca o vento.
Nesta oração o nome Tarde está em
ablativo com a preposição Por, de quem
he regido, pois val o mesmo que dizer:
Por a tarde no Verão refresca o vento.

Exemplo de ablativo com a preposição A.

A’ meia noite cantão Matinas os Religiosos
no Coro
. Nesta oração os nomes
Meia noite estão em ablativo com a preposição
A, de quem são regidos, posta a
dita preposição em lugar de Por, ou Em,
pois val o mesmo que dizer: Pela meia
noite, ou na meia noite cantão Matinas
os Religiosos no Coro
.

Regra XI.

O nome, que na oração significa o espaço,
ou distancia, que ha de hum lugar
a outro, poem-se em ablativo regido occultamente
pela preposição Por. Na oração
Latina poem-se em accusativo, ou em
ablativo, conforme a preposição que o rege.225

Exemplo. A minha casa dista da tua
cem passos
. Nesta oração os nomes Cem
passos
, por significarem a distancia, que
ha entre ambas as casas, estão em accusativo
regido occultamente da preposição
Por, pois val o mesmo que dizer: A minha
casa dista da tua cem passos
.

Regra XII.

O nome, que na oração significa o lugar,
por onde alguem vai, ou alguma
cousa se leva, ou sahe, poem-se em ablativo
regido pela preposição Por. Na oração
Latina poem-se em accusativo, ou
em ablativo, conforme a preposição que
o rege.

Exemplo. Pedro vai por Castella.
Nesta oração o nome Castella está em ablativo
regido da preposição Por por significar
o lugar, por onde Pedro vai.

Regra XIII.

O nome, que na oração significa o lugar,
onde alguma cousa está, ou se faz,
poem-se em ablativo com a preposição Em.
226Na oração Latina humas vezes se poem
em genitivo, outras em ablativo.

Exemplo. Paulo está em Roma. Nesta
oração o nome Roma, por significar o
lugar, em que Paulo está, se acha em ablativo
com a preposição Em.

Advertencia.

As sobreditas regras se observão, quando
se não oppõem a alguma da Syntaxe;
pois quando dizemos v.g. A espada de
Paulo ferio a Francisco
, nesta oração o
nome Espada, ainda que significa o instrumento,
com que Francisco foi ferido,
não está em ablativo, mas sim em nominativo,
pela regra, que ensina, que o nome,
que na oração significa o agente, que
obra a acção, que o verbo affirma, se
poem em nominativo.

Regra XIV.

A alguns adjectivos se ajunta ablativo
com a preposição De. Desta classe são:
Diverso, Privado, Recebido, Desterrado,
Alheio, Despojado, Digno, Indigno,
e outros.227

Exemplo. A Grammatica he diversa
da Rhetorica
. Nesta oração o nome Rhetorica,
depois do adjectivo Diversa, está
em ablativo com a preposição De.

Regra XV.

A alguns verbos se ajunta ablativo
com a preposição De. Desta classe são os
verbos Carecer, Necessitar, Abundar,
Esquecer, Despojar, Separar, Encher,
Absorver, e outros muitos, que tem depois
de si ablativo, em cujo caso se poem
o nome, que significa a cousa, de que se
carece, necessita, absorve, &c.

Exemplo. Pedro carece de ler. Nesta
oração o verbo Ler a34 no presente impessoal
do infinito seve por figura de ablativo
228regido pela preposição De, por significar
a cousa, de que Pedro tem carencia.

Regra XVI.

A oração activa resolve-se em passiva,
fazendo o mesmo sentido. Para o que passa
o accusativo da oração activa para nominativo
da oração passiva; e o nominativo
da oração activa para ablativo na
oração passiva regida pela preposição Por;
e o verbo activo muda-se para passivo,
ficando no mesmo modo, e o tempo, e só
varía ás vezes no numero, e pessoa para
concordar com o seu nominativo.229

Exemplo. Francisco aborrece os vicios.
Esta oração activa resolve-se em passiva
desta fórma: Os vicios são aborrecidos
por Francisco
. Onde se vê que o nome
Vicios, que na activa era accusativo,
passou para nominativo; e o vebo Aborrece
da activa, que estava no modo indicativo,
no tempo presente, no numero
singular, e na terceira pessoa, se muda
para a voz passiva São aborrecidos, ficando
no mesmo modo, tempo, e pessoa; e
só varía o numero, por ser o nominativo
Vicios da passiva do numero plural, quando
o da activa Pedro era do numero singular.
Finalmente o nome Pedro, que na
activa estava em nominativo, passou para
ablativo com a preposição Por.

Lição XVII.
Do Barbarismo, e Solecismo.

Depois de tratar da recta composição
das partes da oração, me pareceo
tambem necessario tratar dos dous vicios,
que fazem a oração defectuosa, para que
os evite, quem quizer fallar com toda a
propriedade e perfeição.230

Os vicios da oração são Barbarismo,
e Solecismo.

Barbarismo he o uso vicioso de alguma
palavra na oração, commetette-se por
varios modos.

Quando se pronuncía a palavra sem
o devido accento, como v.g. quando se
diz: Espiríto em lugar de Espirito; ou
quando se não profere com letras devidas,
como v.g. quando se diz: Gazula
em vez de Gazua; Trouve em vez de
Trouxe; Diata em vez de Dieta.

He o Barbaritismo menos viciosos, que
o Solecismo, pois este póde viciar toda
huma oração, e aquelle huma só palavra;
porém sem embargo disso he mais estranhavel,
e se dissimula menos.

Solecismo he huma viciossa composição
das partes da oração. Commette-se

Quando algumas partes na oração não
guardão a devida concordancia, como v.g.
dizer: Homem honesta por homem honesto.
As aves canta por as aves cantão;
ou quando as mesmas partes não guardão
a devida regencia, como v.g. dizer: Amo
ás letras por amo as letras
.

Commette-se tambem, quando na oração
231falta alguma palavra, como v.g. dizer:
Sei aprendeis Filosofia por sei, que
aprendeis Filosofia
; ou quando na oração
sobra alguma palavra, como v.g. He justo
de amar a Deos por he justo amar a
Deos
.

Ha com tudo huma certa composição
da oração, que parece Solecismo, e na
realidade não he viciosa, por ser composição
figurada, que se reduz ás regras da
Grammatica regular, como veremos no
seguinte Livro.

Livro II.
Da Syntaxe figurada.

Lição I.
Da definição da Syntaxe figurada; da
Figura, e sua divisão.

Syntaxe figurada he a composição das
partes da oração ordenada fóra das
regras da Syntaxe simplez, conforme o
uso, e estylo da lingua.232

Figura da Syntaxe he, quando na oração f
altão, sobrão, ou se transpoem palavras.

Os Grammaticos assinão varias figuras.
Conforme alguns, são as seguintes:
Ellipse, Zeugma, Syllepse, Syntese,
Enallage, Pleonasmo, Hyperbaton. De
todas tratamos por sua ordem.

Lição II.
Da Figura Ellipse.

Ellipse he huma figura, de que usamos,
quando na oração para a sua
perfeita composição falta huma, ou mais
palavras.

Exemplo. Estou tratando da Syntaxe
figurada
. Nesta oração para a sua perfeita
composição falta a palavra Eu, que se
subentende, pois quer dizer: Eu estou
tratando da Syntaxe figurada
.

Usa-se da figura Ellipse, quando na
oração o verbo não tem nominativo, ou
accusativo expresso, e o adjectivo tem o
seu substantivo occulto, e tambem quando
se acha algum nome em ablativo sem
233ter antes de si a preposição, que o rege;
e em outras muitas occasiões, por ser
muito frequente o seu uso, pois por meio
della tambem se evita a larga expressão
de palavras, que já pelo contínuo uso de
fallar se subentendem, e suppoem sabidas,
como v.g. quando saudamos a alguem,
dizendo-lhe: Bons dias, já todos entendem
de fóra estas palavras, ou outras semelhantes
te dê Deos, as quaes pelo uso
de se não exprimirem, se alguem disser,
fallará conforme as regras commuas da
Grammatica, mas não segundo o costume
da lingua.

Lição III.
Da Figura Zeugma.

Zeugma he huma especie de Ellipse,
que se usa, quando muitas sentenças
se referem a alguma palavra, a qual pedirião,
se cada huma dellas se puzesse
por si só.234

Exemplo.

Da Hespanha as tropas manda Lucidoro,
As de Ethiopia o rigido Alabruno,
As de Numida o sabio Artimidoro,
As de Negricia o feroz Rosanbruno¤,
As Tingitanas o feroz Lidoro,
As de Marrocos o cruel Manbrunno,
As de Zafira o rigido Aloandro,
As de Fez o galhardo Polexandro.

Menezes Henriqueida Cant 3. Estancia 71.

Em cada hum dos sobreditos versos
se contém huma oração; e ao verbo Manda
da primeira se referem todas as outras,
por se subenteder em cada huma
dellas, pois quer dixer: As tropas de
Etthiopia manda o rigido Alabruno. As
tropas de Numidia manda o sabio Artimidoro.
As tropas de Negricia manda o
fero Rosanbruno, &c.

Algumas vezes se torna a entender a
palavra com a mudança de algun accidente,
como v.g. As aguias voárão, huma
da parte do Oriente, outra da parte do
Occidente, onde o verbo Voárão
da primeira
oração se torna a entender na segunda,
e terceira, mudando o numero,
235pois passa do plural para o singular voou,
pois quer dizer: As aguias voárão, huma
voou da parte do Oriente, outra
voou da parte do Occidente
.

Lição III.
Da Figura Syllepse.

Sylllepse he huma especie de Ellypse,
que se usa, quando na oração, concorrendo
muitos substantivos do singualar de
diverso genero, o adjectivo posto no plural
parece que conncorda com o substantivo
do genero mais nobre; ou quando na
oração, concorrendo muitos nominativos
do singular de diversas pessoas, parece
que o verbo posto no plural concorda
com o nominativo da pessoa mais nobre.

Exemplo de Adjectivo.

Paulo e Maria estão contratados
para casarem
. Nesta oração o adjectivo
Contratados na terminação masculina parece
que concorda em genero com o substantivo
Paulo masculino, por ser de genero
mais nobre, que o substantivo Maria
236feminino. Mas parece assim, por faltarem
palavras, pois quer dizer: Paulo,
e Maria estes dous sujeitos estão contratados
para casarem
. Onde se vê, que o
adjectivo Contratados no plural só concorda
em genero, numero, e caso com
o substantivo Sujeitos do plural, que se
entende occulto.

Exemplo de Verbo.

Eu, e Pedro militámos na India. Nesta
oração o verbo Militámos na primeira
pessoa parece que concorda em pessoa
com o nominativo Eu primeira pessoa,
por ser mais nobre que o nominativo Pedro
terceira pessoa. Mas parece no assim,
por faltarem palavras, pois quer dizer:
Eu, e Pedro nós ambos homens militámos
na India
. Onde se vê, que o verbo
Militámos no plural concorda em numero,
e pessoa com o nominativo Nós do
plural, que se entende occulto.237

Lição IV.
Da Figura Synthese.

Synthese he huma especie de Ellipse,
que se usa, quando na oração o adjectivo,
ou verbo não concorda com o substantivo,
que proferimos, mas sim com
outro, que se entende occulto. Esta he de
duas sortes, de genero, e de numero.

Exemplo de Genero.

Mas já o Planeta, que no Ceo primeiro
Habita, sinco vezes apressada,
Agora meio rosto, agora inteiro
Mostrára, em quanto ao mar cortára a armada.

Camões Lusiadas Canto 5. Estancia 24.

Onde se vê, que o adjectivo Apressada
na terminação feminina não concorda
com o substantivo Planeta, que está claro,
mas sim com o substantivo Lua, que o
Poeta tinha na mente, pois faltão palavras;
e quer dizer: Mas já a Lua planeta,
que no Ceo primeiro habita, sinco
vezes apressada agora meio rosto, &c.
238

Exemplo de Numero.

Parte cortão a carne em talhadas.
Nesta oração, que tomamos do Poeta Virgilio,
traduzindo-a da lingua Latina na
Portugueza o verbo Cortão não concorda
em numero com o nominativo do singular
Parte, mas sim com o nominativo
do plural Alguns homens, que está occulto,
pois quer dizer: Alguns homens,
que erão huma parte dos companheiros,
cortão a carne em talhadas
.

Lição V.
Da Figura Enallage.

Enallage he huma especie de Ellipse,
que se usa, quando parece que as partes
da oração se poem humas por outras,
e os seus accidentes huns por outros.

Exemplo de partes.

Que foi daquelle cantar
Das gentes tão celebrado.

Camões Redondilha 26.239

Onde parece que o verbo Cantar se
poz em lugar do nome Canto; mas parece
assim por faltarem palavras, pois
quer dizer: Que he feito daquelle divertimento,
que se chama cantar, das gentes
tão celebrado
.

Exemplo de accidente.

Se eu disser, v.g. Nesta Arte são
muitos os nossos erros
, o plural Os nossos
errros
se poem em lugar de singular
Os meus erros por ser eu hum só o que
fallo.

Lição VI.
Da Figura Pleonasmo.

Pleonasmo he, quando na oração se
accrescenta alguma palavra superflua.

Exemplos. Se dissermos v.g. Quando
Pedro subia para cima, Paulo descia, para
baixo
, as palavras Para cima, e Para
baixo
são Pleonasmo; porque basta
dizer: Quando Pedro subia, Paulo descia,
porque quem sóbe anda para cima,
e quem desce anda para baixo. Da mesma
sorte as palavras Para trás são Pleonasmo,
240quando dizemos: Elle recuou para
trás
, porque basta dizer: Elle recuou.

Tambem quando dizemos: Eu com os
olhos o vi
, as palavras Com os olhos são
Pleonasmo, porque basta dizer: Eu o vi;
porém não será Pleonasmo o dizer: Eu
com os olhos chorosos o vi
, porque então
o adjectivo Chorosos declara a circunstancia
de ser visto com os olhos cheios de
lagrimas. Tambem será Pleonasmo o dizer:
Viver vida, dormir sono; porém o
não será, se disser: Viver vida trabalhosa,
dormir sono largo
.

Algumas vezes o Pleonasmo dá força,
e graça ao discurso, como v.g. quando
dizemos: Eu com estes olhos o vi.
Eu com estes ouvidos o ouvi. Tambem
usamos dizer: Parece-me a mim, lembrar-me
a mim
, sendo a palavra A mim Pleonasmo,
porque basta dizer: Parece-me,
lembra-me
; porém he hum idiotismo
da lingua Portugueza.241

Lição VII.
Da Figura Hyperbaton, e suas especies.

Hyperbaton se usa, quando na oração
se não guarda a ordem natural
das palavras.

Exemplo. A quinta de Pedro comprou
Paulo
. Nesta oração achão-se as palavras
fóra da sua ordem Grammatical, ou natural;
porque devendo o nominativo Paulo
estar antes do verbo Comprou, se acha
depois delle; e o accusativo Quinta devendo
estar depois do verbo Comprou, se
acha antes, por ser esta a ordem Grammatical
da dita oração: Paulo comprou a
quinta de Pedro
.

Ha varias especies de Hyperbaton,
que são; Anastrofe, Tmesis, Parenthesis,
Synchisis.

Anastrofe he, quando certas palavras,
que devem estar antes de outras, se poem
depois.

Usamos desta figura nos tempos compostos
dos verbos, quando entre o verbo
Auxiliar, e o composto se antepoem algum
dos seguintes pronomes Me, Te,
242Se, Lhe, Nos, Vos, Lhes, como v.g.
Amarte-hei, onde o verbo Auxiliar Hei
está depois da voz Amar, devendo estar
antes; pois a ordem natural da primeira
voz do futuro perfeito composto do Indicativo
do verbo Amar he: Hei de Amar.
Advertindo-se, que quando usamos desta
figura nos ditos tempos compostos se tira
de entre os verbos a preposição De, que
entre tambem na composição, pondo-se
em seu lugar alguns dos sobreditos pronomes.

Tmesis he, quando alguma palavra
composta se interrompe com alguma palavra,
que no meio se lhe mette, dividindo-a.

Usamos desta figura nos tempos compostos
dos verbos por constarem de diversas
palavras, que se costumão dividir,
mettendo-se no meio alguma palavra; o
que succede sempre, quando usamos da figura
Anastrofe, como v.g. em Amar-te-hei,
a palavra Te posta no meio divide as
diversas palavras, de que se compoem a
primeira voz do futuro perfeito composto
do Indicativo do verbo Amar.

Parenthesis he, quando se interrompe
243a oração com algumas palavras, e depois
se torna a continuar.

Exemplo. Alexandre morreo (segundo
dizem) de trinta e dous annos
. Esta
oração se interrompe com as palavras Segundo
dizem
, e depois se torna a continuar.

Synchisis he, quando na oração se acha
a ordem das palavras muito confusa.

Usa-se desta figura no verso principalmente,
como se vê nos seguintes do nosso
insigne Poeta Vasco de Quevedo Mousinho
no seu Poema, intitulado Affonso
Africano
Cant. 3. Estanc. 73.

Entre todos co’ o dedo eras notado
Lindos moáos de Arzilla em galhardia.

Onde se vê a ordem natural das palavras
da oração muito confusa; e para se lhe
desfazer a sua confusão, e se pôrem as
palavras na sua ordem Grammatical, se deve
dizer: Em galhardia eras notado com
o dedo entre todos os lindos moços de Arzilla
.244

Livro III.
Da Figura da Dicção.

Lição I.
Da Figura, e sua divisão.

Figura da Dicção he, quando na palavra
se tira, ou accrescenta letra, ou
se poem huma letra por outra.

Ha varias especies de figuras: as que
são necessarias para a perfeita intelligencia
das regras da Grammatica são as seguintes:
Synalefa, Aferese, Syncope, Apocope,
Antithese, Prothese. De todas trataremos
por sua ordem.

Lição II.
Da Synalefa.

Synalefa he huma figura, da qual usamos,
quando se supprime no fim da dicção
a vogal final por se lhe seguir outra
dicção, que começa por vogal.

Usa-se na preposição De, quando se
lhe seguem os artigos o, os, a, as, pois
245perde a vogal e, ajuntando-se com a vogal
do artigo seguinte, e se pronuncião
ambas as palavras, como se fossem huma
só, pois dizemos: Do, Dos, Da, Das,
em lugar de De-o, De-os, De-a, De-as,
como já dissemos, quando tratámos dos
artigos.

Da mesma sorte a preposição De perde
a vogal e, se ajunta com a vogal
do principio dos pronomes Elle, Este,
Esse, Aquelle, Isto, Isso, Aquillo, quando
se lhes antepoem no genitivo, e no
ablativo, porque dizemos Delle, Deste,
Desse, Daquelle, Disto, Disso, Daquillo
em lugar De-elle, De-este, De-esse,
De-aquelle, &c. Antes de alguns adverbios,
que começão por vogal, perde
tambem a dita preposição a vogal e;
porque dizemos: Dantes, Daqui, Dalli,
em lugar De-antes, De-aqui, De-alli.

Usa-se a figura Synalefa nos Pronomes
Me, Te, Lhe, quando se lhes seguem
o, os, a, as; porque então perdem a
vogal final e, e se ajuntão com a vogal
da palavra seguinte, pronunciando-se ambas,
como se fossem huma só; porque
246dizemos: Mo, Mos, Ma, Mas, To,
Tos, Ta, Tas, Lho, Lhos, Lha, Lhas,
em lugar de Me-o, Me-os, Me-a, Me-as,
Te-o, Te-os, Te-a, Te-as, Lhe-o, Lhe-os,
Lhe-a, Lhe-as, como v.g. qundo dizemos:
Entregárão-mo, Derão-ta, Affirmárão-lho
em lugar de Entregárão-me-o,
Derão-te-a, Affirmárão-lhe-o.

Os Poetas usão da figura Synalefa na
medição das syllabas do verbo por differente
modo; porque escrevem, e pronuncião
a vogal final da palavra, e só na
medição do verso a absorbem na vogal
do principio da palavra, que se segue,
como se vê no seguinte verso do nosso
Poeta Andrade Nunes da Silva.

Pelo estudo se adquire immortal fama

Onde se fazem tres synalefas, absorbendo-se
a vogal o do fim da palavra Pelo
na vogal e do principio da palavra Estudo;
a vogal e do fim da palavra Se na
vogal a do principio da palavra Adquire;
a vogal e do fim da palavra Adquire na
vogal i da palavra Immortal. O que tudo
claramente se mostra, escrevendo-se o
sobredito verso sem as ditas vogaes, e
247pondo-se nos lugares destas o final de apostrofe.

Pel’ estudo s’ adquir’ immortal fama.

Lição III.
Da Figura Aferese.

Aferese he, quando no principio da
palavra se tira alguma letra.

Usa-se na preposição Em, quando se
antepoem aos artigos o, os, a, as; porque
então perde a vogal do principio e,
e muda o m em n pela figura Antithese,
de que adiante trataremos, e se ajunta
com o artigo, escrevendo-se, e pronunciando-se
ambas as palavras, como se fosse
huma só; porque dizemos No, Nos,
Na, Nas, em lugar de Em-o, Em-os,
Em-a, Em-as, como já dissemos, quando
tratámos dos artigos.

Da mesma sorte a preposição Em perde
a vogal inicial e, e muda o m em n,
quando se antepoem ao ablativo dos Pronomes
Elle, Este, Esse, Aquelle, Isto,
Isso, Aquillo; porque dizemos Nelle,
Neste, Nesse, Naquelle, Nisto, Nisso,
248Naquillo em lugar de Em-elle, Em-este,
Em-esse, Em-aquelle, &c.

Lição IV.
Da Figura Syncope.

Syncope he, quando do meio da palavra
se tira huma, ou mais letras.

Usa-se quando dizemos Mór em lugar
de Maior, pois se contrahe esta palavra,
tirando-se-lhe do meio as letras a,
i. A palavra Santo tambem se contrahe,
dizendo-se São, quando se antepoem aos
nomes proprios de homem, que principião
por letra consoante, tirando-se o
nome Thomás; porque dizemos v.g. São
Domingos
, São Francisco em lugar de
Santo Francisco, de Santo Domingos.

Faz-se a dita contracção na palavra
Santo, tirando-se-lhe a penultima letra t,
e mudando-se pela figura Antithese, de
que ao diante fallaremos, o n em m, o
qual costumamos denotar com este sinal
(’) chamado til.

A palavra Grande tambem se contrahe,
dizendo-se Grão Cairo, Grão Mestre,
249Grão Prior, Grão Turco, Grão
Visir
, Grão Duque de Toscana. Faz-se
a dita contracção na palavra Grande, tirando-se-lhe
a penultima letra d, e mudando-se
pela figura Antithese o e final
em o, e o n em m, o qual se denota com
o sinal do til.

Usa-se da figura Syncope em todas as
pessoa, assim do singular, como do plural
do preterito imperfeito do indicativo
do verbo Haver, quando se pospoem á
voz infinita do presente de qualquer verbo,
dividindo-os pela figura Tmesis alguma
das seguintes palavras: Me, Te, Se,
Lhe, Nós, Vós, Lhes. O, Os, A, As;
porque dizemos v.g. Ama-lo-hia, Ama-lo-hias,
Amar-te-hião em lugar de Ama-lo-havia,
Ama-lo-havias, Amar-te-havião.
Tambem ha contracção na primeira,
e segunda pessoa do plural do presente
do indicativo do sobredito verbo no
futuro imperfeito composto de qualquer
verbo, quando dizemos v.g. Nós hemos
de amar
, Vós heis de amar, em lugar de
Nós havemos de amar, Vós haveis de
amar
. E tambem quando entremediando
algum pronome na fórma sobredita, dizemos
250v.g. Amar-nos-hemos, Amar-me-heis,
em lugar de Amar-nos-havemos, Amar-me-haveis.

As vozes infinitas Dizer, Fazer se
contrahem no futuro imperfeito composto
do indicativo dos verbos Dizer, Fazer,
quando se lhe pospoem as vozes do verbo
auxiliar Haver, dividindo-os pela figura
Tmesis alguma das seguintes palavras:
Me, Te, Se, Lhe, Nós, Vós,
Lhes. O, Os, A, As; porque dizemos
v.g. Dir-te-hei, Dir-me-has, Dir-vos-ha.
Falo-hemos, Far-lhe-heis, Far-se-hão
em lugar de Dizer-te-hei, Dizer-me-has,
Dizer-vos-ha. Faze-lo-hemos, Fazer-lhe-heis,
Fazer-se-hão.

Lição V.
Da Figura Apocope.

Apocope he quando do fim de alguma
palavra se tira alguma letra, ou
letras.

Usa-se quando na oração concorrem
juntos dous, ou mais adverbios acabados
em mente; porque então nos antecedentes
ao ultimo se tirão as syllabas mente, pela
251razão se ser a sua repetição extensa, e
desagradavel, como v.g. quando dizemos:
Pedro orou breve, sabia, e elegantemente,
onde aos adverbios Brevemente,
Sabiamente se tirão as syllabas mente,
pois val o mesmo dizer: Pedro orou
brevemente, sabiamente e elegantemente
.

Lição VI.
Da Figura Antithese.

Antithese he, quando na palavra se
poem alguma letra por outra.

Usa-se esta figura nas vozes dos verbos
acabadas em s, ou r, porque mudão
o s, ou r em l, seguindo-se-lhes alguma
das seguintes palavras, O, Os; A, As,
como v.g. quando dizemos: Nós defendemolo.
He-nos conveniente defendelos,
onde a voz verbal Defendemos muda o s
em l, por lhe seguir a palavra O, pois
val o mesmo que dizer: Defendemos-o.
Da mesma sorte a voz Defender muda o
r em l, por se lhe seguir a palavra Os,
pois val o mesmo que dizer: Defender-os.252

Lição VII.
Da Figura Prothese.

Prothese he, quando no principio da
palavra se accrecenta alguma letra.

Usa-se esta figura nas palavras O, A,
porque se lhes accrescenta no principio hum
n, quando se seguem ás vozes dos verbos
acabados em ão, ou em; porque quando
dizemos v.g. Disserão-no, Dissessem-no, a
ccrescentamos á palavra o hum n, e val o
mesmo que dizer: Disserão-o, Dissessem-o.
A razão deste uso, e dos sobreditos he a
Eufonia, isto he, a maior suavidade na
pronunciação das palavras.

Fim.253

1a Desta definição se collige
ser a oração Portugueza
o fim das regras da Grammatica Portugueza.

2a Sem embargo de ser a Etimologia a terceira
parte da Grammatica, commummente os Grammaticos
della tratarão em primeiro lugar, por dar
a noticia da diversidade, e propriedades das palavras,
que entrão na oração, cuja sciencia he
necessaria para se entender bem a Ortografia, e
Prosodia.

3a Desta variedade he tambem causa a diversidade
da Ortografia, com que se escrevem as mesmas
palavras por diversos modos, pois hums escrevem
v. g. Rendeo com o ditongo eo, e outros.
Rendeo com o ditongo eu. Huns escrevem v. g.
Dividio, Rey, Náo, Foy, Fuy: outros Dividiu,
Rei, Náu, Fui.

4a No numero das mudas entra a letra F, não
obstante preceder-lhe som de vogal, conforme Scaligero,
Sanches, e outros.

5a Na verdade eu não descubro a razão, por
que os Grammaticos dizem, que as letras semivogaes,
v.g. L, M se pronuncião, como se escrevem
Ele, Eme; pois he certo, que nas sylabas
La, le, li, lo. lu. Ma, me, mi, mo, mu não pronunciamos
Ela, Ele, &c. Ema, Eme, &c. Do
que collijo serem todas as letras consoantes mudas,
porque só soão, ajuntando se-lhes vogal. A
averiguação da verdade deixo ao juizo dos Doutos.

6a O Participio Morrido acha-se usado.

7a No numero das preposições porão alguns Acima,
Ao-redor, Abaixo, A’roda, Conforme, Defronte,
quando na realidade o não são; pois Acima
he palavra composta da preposição A; e do
nome Cima. Ao redor se compoem da preposição
A, do artigo O, e do nome Redor. As outras palavras
tambem são compostas de preposições, e
nomes, tirando Conforme, que he hum adjectivo.

8a Nas linguas vulgares, rigorosamente fallando,
não ha syllabas longas, nem breves, por se
distinguirem pelo accento, como adverte o douto
Uberto Folieta de Lingua Latina usa, &c prestantia
lib 3. O mesmo succede hoje na lingua Latina,
na qual por se ter perdido a antiga pronunciação
já se não distinguem as syllabas pelos tempos,
a que chamão quantidade, mas sim pelo accento.

9a A palavra Syntaxe he Grega, e significa o
mesmo, que a Portugueza composição.

10a Por seguirmos a frase commua dos Grammaticos,
dizemos que o adjectivo concorda em genero
com o substantivo, pois na realidade os adjectivos
não tem genero, mas sim fórmas para
concordarem com os substantivos, como já advertimos
em outro lugar.

11a Esta regra comprehende tambem os Pronomes
adjectivos relativos, que se distinguem dos
mais adjectivos em citarem na oração entre dous
casos do mesmo nome. O caso, que está antes,
chama-se antecedente, e o que está depois consequente.
Porém em quanto á concordancia, concordão
os ditos relativos em tudo com o caso
consequente, que de ordinario se não exprime na
oração, v.g. quando digo: Vi a Pedro, o qual
está enfermo
, onde o adjectivo qual se acha entre
dous casos do mesmo nome, que são o accusativo
Pedro antecedente, que está expresso, e o nominativo
Pedro consequente, que está occulto,
com quem concorda em genero masculino, numero
singular, e caso de nominativo, pois val o
mesmo mesmo dizer: Vi a Pedro, o qual está
enfermo
.

Verdade he, que o vulgo dos Grammaticos
ensina, que o relativo concorda com o seu substantivo
antecedente em genero, e numero, mas
não sempre em caso; porém procede este tão
grande erro de examinarem a Ellipse, por
virtude da qual se entende occulto o consequente,
com quem concorda o relativo em genero,
numero, e caso na fórma sobredita, como advertem
Sanches, Sciopio, outros Grammaticos
de grande nome.

Temos huns adjectivos, que são : Isto, Isso,
Aquillo, Tudo, Ninguem, Alguem, Outrem, Quem,
a que na oração se não póde ajuntar substantivo
expresso, com quem concordem, porque não podemos
dizer v.g. Isto negocio, Isso successo, &c.
Do que se collige ser hum dos idiotismos da lingua
Portugueza, que o uso introduzio por brevidade
do fallar, pois Isto val o mesmo que dizer;
Esta cousa; Isso, Essa cousa; Aquillo, Aquella cousa;
pelo que podemos dizer, que os ditos adjectivos,
quando delles usamos na oração, só concordão
com os substantivos, que temos na mente.

12a Alguns Grammaticos dizem, que concorrendo
dous, ou mais substantivos de diverso genero,
deve concordar o adjectivo no plural em genero
com substantivo masculino, por ser o genero
masculino mais nobre, que o feminino, como v.g.
neste exemplo: João e Maria são dotados de virtude,
em que dizem, que o adjectivo dotados concorda
em genero com o substantivo João masulino,
por ser mais nobre, que o substantivo Maria
feminino; porém fallão assim, por não reflectirem,
que nesta, e semelhantes oraáîes faltão palavras,
que se subentendem, pois a sobredita oração
quer dizer: João, e Maria estes dous sujeitos
são dotados de virtudes; onde claramente se vê,
que o adjectivo dotados só concorda em genero,
numero, e caso com o substantivo sujeitos, que
se não exprime. Veja-se o que dizemos, quando
tratamos da figura Syllepse.

13a Parece que se não observa a dita regra no
verbo Haver, quando pelo costume da lingua lhe
ajuntamos na terceira pessoa do singular nominativo
do plural, como v.g. quando dizemos: Ha
muitos homens, que amão as sciencias
; aonde parece
que ao verbo Ha na terceira pessoa do singular do
presente do indicativo lhe serve de nominativo o
substantivo Homens no numero plural; porém não
he assim, por faltarem palavras, que se subentedem,
e quer dizer: Ha numero de pessoas, que
são muitos homens, que amão as sciencias
; onde claramente
se vê, que ao verbo Ha só lhe serve de
nominativo o substantivo occulto numero, com
quem concorda em estar no numero singular, e
na terceira pessoa. Veja-se o que dizemos, tratando-se
da figura Syllepse.

14a Alguns Grammaticos por não reflectirem no
uso da figura Syllepse accrescentão huma regra,
dizendo, que no caso de concordarem na oração
dous, ou mais nominativos pertencentes a diversas
pessoas, deve o verbo concordar no plural em
pessoa com o nominativo da pessoa mais nobre,
v.g. quando dizemos: Eu, e Francisco estudamos
em Coimbra
, onde ensinão os ditos Grammaticos,
que o verbo Estudámos está na primeira pessoa,
por concordar com o nominativo Eu primeira
pessoa, por ser mais nobre, que o nominativo
Francisco terceira pessoa, pela regra de ser a primeira
pessoa mais nobre, que a segunda, e terceira;
e a segunda, que a terceira; porém certamente
se enganão, por faltarem palavras na dita
oração, que se subentendem, pois quer dizer,
Eu, e Francisco nós ambos homens estudámos em Coimbra,
aonde se mostra, que o verbo Estudámos está
na primeira pessoa do plural, por concordar
com o nominativo do plural Nós primeira pessoa,
que se entende occulto, e não por concordar com
o nominativo do singular Eu primeira pessoa, por
ser esta mais nobre, que a terceira Francisco, como
dizem os taes Grammaticos. A muitos parecerá
novidade esta Syntaxe, mas he doutrina dos
Grammaticos mais célebres, como Sanches,
Lancelloto, e outros, que chegárão a conhecer
as causas das regras da Syntaxe.

15a O nominativo significa o agente da oração,
isto he, o sujeito, ou cousa, que exercita a significação
do verbo; pois na oração v.g. Pedro ama
as letras
, Pedro he nominativo, por significar
o sujeito, ou agente, que obra a acção de amar,
que o verbo Ama affirma. Não he regido por parte
alguma da oração; e se póde dizer que he o
regente do verbo, porque este depende delle para
lhe exercer a sua significação.

16a Na collocação das palavras a oração tem sua
ordem natural, pois o nominativo se poem primeiro,
e depois o verbo, e depois deste o accusativo.
E quando além do nominativo dantes tem
o verbo outro nominativo, he porque este pertence
para aquelle, como v.g. quando digo: O
homem he animal racional
, onde o verbo He tem
depois de si outro nominativo Animal racional,
que pertence ao nominativo Homem, que está
dantes, como predicado, que delle se affirma.

17b Regularmente sendo o sujeito da primeira,
ou segunda pessoa, assim do singular, como do
plural, se calla o nominativo, e só se exprime,
quando distinguimos a acção diversas, v.g. Eu
leio,e tu escreves
, ou quando da sua expressão resulta
maior harmonia á oração, como v.g. Se tu
cantares eu cantarei
.

Tambem se costuma callar o nominativo aos
verbos chamados impropriamente impessoaes; pois
quando dizemos v.g. Chove, não se exprime o
nominativo, por não ser necessario declarar-se,
pois já todos o suppoem, e subentedem qualquer
destes nominativos Ceo, Ar, Nuvem, ou o
nominativo cognato (chamado assim, por se derivar
do mesmo verbo) Chuva, pois val o mesmo
que dizer: O Ceo chove, ou a chuva chove.

Pelo contrario tambem algumas vezes se costuma
callar o verbo, exprimindo-se o nominativo,
quando este se ajunta a alguns adverbios, os
que deo fundamento para alguns Grammaticos
dizerem, que tambem alguns adverbios pedem
nominativo; porém isto he erro, por ser entender
occulto o verbo, que pede o tal nominativo;
pois quando dizemos v.g. Eis-aqui a estrada de Mafra,
o nominativo Estrada he, não do adverbio
Eis-aqui, mas sim do verbo Está, que se entende
occulto, pois val o mesmo que dizer: Eis-aqui
está a estrada de Mafra
.

18a O genitivo entre os casos do nome substantivo
serve para significar o possuidor de alguma
cousa. Pelo possuidor se entende grammaticalmente
fallando, assim o senhor da cousa, como
a cousa possuida, quando esta se contempla hum
como possuidor, isto he, como aquillo, a quem
pertence alguma cousa; pois quando dizemos
v.g. Esta casa he do Comprador, o substantivo Comprador
está em genitivo, por significar o possuidor
da casa; porém se dissermos: Este he o Comprador
da casa, então a cousa possuida, que he a
casa, se contempla hum como possuidor, isto he,
como aquella cousa, a quem pertece o Comprador.

19a Com a differença sómente de ser regido o
genitivo do substantivo, que lhe precede.

20a Na lingua Latina o genitivo, que se ajunta
aos adjectivos, he regido de substantivo, que se
entende occulto, por não haver nella preposição,
que peça genitivo, como adverte o insigne Vossio
no liv. 7. de Art. Gramm. cap II. contra
o vulgo dos Grammaticos, que ensinão ser regido
o dito genitivo do adjectivo, sem advertir que
este por si só não significa completamente, como
significa o nome substantivo.

21a Mas he regido de hum substantivo, que se
entende occulto, conforme Perizonio, Sanches,
e outros. E o mesmo he quando se ajunta
aos outros verbos.

22a No genitivo De Grammatica a preposição De,
que se antepoem ao nome Grammatica, não rege
o caso, em que este se acha, por se achar debaixo
do regimen da preposição Acerca, que anteposta
tem maior força, não obstante pedir tambem genitivo,
como pede a preposição De. O mesmo
succede com as outras preposições, que pedem
genitivo.

23b Na lingua Latina tomão-se alguns adverbios
como nomes virtuaes para regerem genitivo, e
em outros subentende-se hum substantivo para reger
o dito caso. Esta he a opinião mais plausivel
dos Grammaticos modernos.

24a O dativo entre os casos do nome serve na
oração para significar a pessoa, ou cousa, que recebe
proveito, ou damno. Alguns Grammaticos
lhe chamão dativo de attribuição, tomando-o na
oração como termo, a que se attribue, ou refere
alguma cousa. Outros lhe chamão dativo de acquisição,
por significar o termo, que na oração adquire
alguma cousa.

25b Na lingua Latina o dativo não he regido
por parte alguma, conforme a opinião dos Grammaticos
de melhor nota.

26a Ainda que o dativo de proveito, ou damno
se perceba melhor nos adjectivos, e verbos, que
exprimem claramente, utlidade, ou perda, como
v.g. nos adjectivos Util, Pernicioso, e nos verbos
Favorecer, e Desfavorecer, com tudo se se entender
bem a sua natureza, não se deixará de conhecer,
que tambem com os adjectivos, e verbos, que
não exprimem claramente o dito proveito, ou perda,
significa a pessoa, ou cousa, a que se attribue
algum proveito, ou damno, como v.g. no exmplo
desta regra: Declarei a Pedro hum segredo, em
que ao verbo Declarei, sem embargo de não significar
expressamente proveito, se ajunta o dativo
Pedro, que de proveito por ser o nome da pessoa,
que se toma, como que recebe proveito em
lhe declarar o segredo.

27a O accusativo regido pelo verbo activo serve
para significar o paciente da oração, que he a pessoa,
ou cousa, a que se dirige a acção do agente,
que significa o nominativo.

28b Nesta regra se comprehendem tambem os verbos,
a que o vulgo dos Grammaticos chama neutros,
como v.g. os verbos Viver, Morrer, Correr,
os quaes tambem regem depois de si accusativo,
ainda que de ordinario o não exprimem,
pois quando dizemos v.g. Pedro vive, já todos suppoem,
e subentendem depois do verbo activo Vive
o seu accusativo cognato, ou semelhante Vida,
que he o paciente da oração, ainda que occulto;
por quanto he a todos manifesto ser a vida, aquillo,
que Pedro vive; e a razão de não se exprimir
de ordinario o dito accusativo he o não augmentar
o sentido da oração; porque tanto val dizer: Pedro
vive vida
, como Pedro vive. Veja-se o que dizemos
a respeito destes verbos, quando tratamos
da figura Pleonasmo.

Tambem se incluem na mesma regra os participios
activos indeclinaveis, porque regem accusativo,
como os verbos de que nascem; pois quando
dizemos v.g. Lendo os livros, aprendemos as sciencias,
nesta oração o nome os livros está em accusativo
regido do participio activo indeclinavel lendo,
que nasce do verbo Ler.

Dos participios activos declinaveis o participio
Temente do verbo Temer se usa com accusativo,
quando dizemos v.g. Pedro he temente a Deus.
O nosso Poeta usou do participio Imitantes do verbo
Imitar, (cujo participio se não acha recebido
pelo uso) dando-lhe tambem accusativo, quando
disse:

Tem das suas ricas, e imitantes
A cor da Aurora…¤

Lusiadas Cant. 10 Estanc. 102.

Porém ainda que neste uso imitamos aos Latinos,
com tudo he rarissimo na lingua Portugueza, porque
nella se tomão os ditos participios como huns
meros adjectivos verbaes, que não regem caso.

29a E não a preposição A, que se lhe antepoem
por não reger esta caso, quando se acha debaixo
do regimen de verbo activo, ou de outra preposição,
que peça accusativo.

30a O vocativo não he regido por não pedir parte
alguma da oração vocativo, pois a particula O,
que ás vezes lhe precede, he huma interjeição, que
não rege caso algum; e adverte o insigne Sanches
na sua Grammatica Latina, que o vocativo
está na oração, como fóra do seu contexto; por
quanto quer se ponha, quer se tire, sempre a oração
faz sentido perfeito.

31a O ablativo entre os casos do nome serve para
significar a causa, donde alguma cousa procede,
o instrumento, o modo, com que se faz, a materia,
de que se compoem, o tempo, em que se faz,
o tempo que dura, o lugar, onde se faz, se está,
lugar donde se parte, lugar por onde se parte,
o espaço, ou distancia, que ha de hum lugar a outro.

32b Nesta regra se comprehende tambem o ablativo,
a que alguns Grammaticos chamão absoluto,
por entenderem erradamente que não he regido
de preposição, quando na verdade o he, como se
vê, quando dizemos v.g. Feita a paz, cessa a calamidade
da guerra
. Onde os nomes Feita a paz estão
em ablativo regido pela preposição Com, que se
entende occulta, pois val o mesmo que dizer: Com
a paz feita cessa a calamidade da guerra
.

33a A preposição A tem varios usos na lingua Portugueza;
porque ás vezes serve em lugar de outras
preposições, significando o mesmo que esta
significação.

34a Na lingua Latina tambem se toma algumas
vezes por figura o verbo Infinito, como nome virtual
indeclinavel, valendo por varios casos. Na
Portugueza não sómente se toma como nome virtual,
mas tambem se declina em qualquer das
pessoas em todos os tempos por meio de preposições,
ou do artigo singular O, como se vê v.g.
na primeira pessoa Ler do presente do Infinito do
verbo Leio, que se póde declinar na fórma seguinte.

Numero singular

tableau n o ler…he proveito. | g. de, ou do ler…os livros he o uso o melhor mestre. | d. a, ou ao ler…sempre me appliquei. | ac. ler, ou o ler…desprezão os ignorantes. | abl. de, ou do ler…se tira muita utilidade.

Não se declina no plural, porque não costumamos
dizer Os ler, dos ler, &c. Tambem não
admitte o artigo feminino A, porque não usamos
dizer v.g. Da ler a Grammatica, mas sim De ler,
ou do ler a Grammatica.