CTLF Corpus de textes linguistiques fondamentaux • IMPRIMER • RETOUR ÉCRAN
CTLF - Menu général - Textes

Lima, Luís Caetano de. Orthographia da Lingua Portugueza – T01

| Table des matières | Fiche | Texte |

[Orthographia da lingua portugueza.]

Capitulo I.
Dos nomes, e numeros
das Letras.

O alphabeto Portuguez
consta de 22 . Letras, 16.
Consoantes, ou Liquidas,
e 6. Vogaes. O modo de
as pronunciar he o seguinte.

A bé cê dê é éfe gé agá i éle
éme éne ó pê quê érre ésse tê u
xis ypsilon zê.

Entre as Consoantes contaõ tambem
alguns a letra K, supposto que naõ
se usa della senaõ muito raras vezes.25

Na mesma fórma contaõ ç que só tem
lugar antes das Vogaes A O U, como
em Traça Braço Çujo. Finalmente
as letras consoantes J, e V, que tem
differente figura quando saõ Vogaes ; e
conforme esta conta seriaõ todas 26.

Capitulo II.
Da pronuncia das Vogaes.

Antes de tratar particularmente
de cada Vogal, daremos huma
explicaçaõ dos termos de que usamos
para melhor intelligencia desta obra.

Em primeiro lugar distinguimos
som aberto, e som fechado na
pronuncia das Vogaes A E O, a que
só respeita esta differença.

Som Aberto he quando a Vogal
26soa muito, ou se abre, e carrega
muito nella, como em Páto, Léme,
Tóga
; e para conhecer logo que a Vogal
deve ter hum som aberto lhe pomos
Accento Agudo, como se vé nas
palavras acima.

Som Fechado he quando a Vogal
soa pouco, e se fecha, ou carrega
menos nella, como v.g. em Gamo,
Remo, Pomo
.

Em segundo lugar distinguimos
as Vogaes em inicial, media, e
final, conforme as syllabas ou lugares
em que se encontraõ. Chamamos
Inicial aquella Vogal,porque principîa
a palavra, como em Alma, e o
mesmo nome de Inicial lhe damos tambem
quando està na syllaba inicial do
nome, como em Pálma, para evitar
tantas classes de palavras. Media,
quando està no meyo do nome, ou seja
de trez, ou de mais syllabas ; e Final,
quando se acha no fim das palavras.27

Em terceiro lugar distinguimos as
Vogaes em breves, e longas, para
estabelecer a sua pronuncia.

A

A na primeira syllaba pronuncia-se
humas vezes Aberto, e outras
Fechado, conforme as terminações
das palavras ; porem geralmente fallando
quasi sempre he Aberto.

As palavras de duas syllabas, que
acabaõ em ba, bo, levaõ A aberto,
como v. gr. Aba, Cábo, Nábo.

Do mesmo modo as que se terminaõ
em ca, co. Fáca, Sáca, Fráco,
Táco
.

Em ça, ço. Ráça, Tráça,
Áço, Máço
; e os tempos dos Verbos
Fáça, Fáço.

Em cha, cho. Rácha, Fácha,
Cácho, Mácho
.28

Em da, do. Náda, Fáda, Brádo,
Prádo
. Exceitua-se Cada por
Quisque, onde o A inicial he fechado.

Em fa, fo. Cáfo, Çáfo, Gáfo,
Çáfa, Gáfa
.

Em ga, go. Bága, Trága,
Brága, Chága, Bágo, Págo, Trágo
.

Em ya, yo, Fáya, Sáya,
Máyo, Ráyo
.

Em ja, jo. Hája, Trajo, ou
Traje.

Em la, lo, ou lla, llo.
Cálla, Fálla, Gála, Cállo, Fállo,
Fálo
.

Em lha, lho. Grálha, Málha,
Pálha, Málho, Rálho, Tálho
.

He porem Fechado nas seis seguintes
terminações. Em ma, mo.
Ama, Dama, Fama, Amo, Gamo,
Ramo
, Em na, no. Cana, Lhana,
Plana, Cano, Lhano
, e Plano. Em
nha, nho. Canha, Manha, Banho,
29Tanho
. Exceytua-se Gánho, que
sempre leva A aberto, ou seja Nome,
ou Verbo.

Torna-se a pronunciar A Aberto
nas terminações em pa, po. Cápa,
Lápa, Mápa, Guápo, Sápo, Trápo
.

Em ra, ro. Ara, Cára, Vára,
áro, Fáro, Ráro
.

Em sa, so, ou za, zo. Á za,
Bráza, Cása, Cáso, Rázo, Prázo
.

Em ta, to. Dáta, Náta, Fáto,
Páto
.

Em va, vo. Fáva, Fávo ; e
nos Verbos Cávo, Lávo, Trávo.

Em xa, como em Fáxa, Faxo.

As palavras que acabaõ em E, se
pronunciaõ com A aberto, como v. g.

Áde, Gráde, Cáffre, Cháve, Pádre,
Mádre, Gráve, Tráve
, e os
Verbos Cábe, Sábe.

Quando a Vogal A he seguida de
alguma das Consoantes L R S na mesma
syllaba, tem som Aberto, como
30 Álma, Pálma, árma, Gárfo, Párto,
Pásto, Pálmo, Bálde, Cárne,
árte, Tráste
.

Porem seguindo-se-lhe M ou N
na mesma syllaba, tem som fechado,
como Campo, Mando, Bando, Grande,
Campa, Dança
.

Note-se que os compostos de muitas
syllabas naõ seguem sempre a Vogal
aberta dos seus simples nas terminações
precedentes ; e assim se pronuncîa A
inicial fechado em Artificial, Asmatico,
Pasmado, Rasgado
, ainda que
vem de Arte, Asma, Pásmo, Rásgo,
que tem A inicial aberto.

A regra geral nesta materia he
que nos nomes de trez, e mais syllabas
se pronuncîa ordinariamente o A
inicial fechado em todo o genero de
terminações. Adorno, Acerto, Caminho,
Cativo, Favorecido, Parecido,
Sabedor, Matador, Paragem, Rabugem,
Fadiga, Faisca, Parente,
31Tapete
. O mesmo nos Verbos Batalhar,
Caminhar, Carecer, Parecer,
Amanheço, Anouteço
.

Tambem tem A fechado os nomes
em que o dito A inicial he seguido de
R ou S na mesma syllaba. Cartilha,
Pastilha, Barrete, Casquete, Artelho,
Aspecto, Castigo, Quartilho
,
e os Verbos Martyrisar, Mastigar,
Bastecer, Guarnecer
.

Exceytuaõ-se Armada, Armador,
e os nomes que tem breve a syllaba
Media, como Árvore, Áspide,
Mármore, Bárbaro, Pássaro
, que
levaõ A inicial aberto. Note-se que
ainda que em Arvore se pronuncia A
aberto, em Arvoredo he fechado.

Sendo porem o A seguido na mesma
syllaba de C ou L, pronuncia-se
Aberto. Accesso, Accessorio, Accidente,
Accidental, Alfaya, Alfange,
Alteza, Alguidar, Almazem
.
Exceytua-se Accento, onde se perde
32hum C, e se pronuncîa o A fechado.

Os nomes, que se terminaõ com
Accento Agudo, tem ordinariamente
o A inicial fechado. Cazál, Fatál,
Caráõ, Varáõ, Galé, Maré, Paríz,
chafaríz, Faról, Favôr, Cavadôr,
Atróz
. Incluîmos nesta regra
Favor, e outros semelhantes, ainda
que levem Accento circumflexo, porque
este substitue ali o Accento agudo,
que deveraõ ter, se se pronunciasse
aberta a vogal.

Sobre a palavra Para se deve notar,
que quando he Verbo tem o A
inicial Aberto. Pára. Quando he proposiçaõ
tem A fechado Pâra, e quando
he nome de Regiaõ leva no fim accento
Agudo. Pará.

A medio se pronuncîa humas
vezes Aberto, e outras Fechado.

Primeiramente he Aberto nas terminações
em aba, abo. Aldrába,
Diábo
.33

Do mesmo mode em aca, aco.
Barráca, Casáca, Buráco, Opáco.

Em aça, aço. Almofáça, Fatáça,
Bagáço, Baráço
.

Em ácha, ácho. Granácha,
Penácho
.

Em ada, ado. Brigáda, Tapáda,
Bocádo, Criádo
. E assim, nos
participios Amáda, Amádo, &c.

Em afa, afo. Garráfa, e nos
tempos dos Verbos Abáfa, Abáfo.

Em aga, ago. Adága, Triága,
Afágo, Tabágo
, huma das Antilhas.

Em aya, ayo. Alfáya, Ataláya,
Desmáyo, Ensáyo
.

Em ala, alo. Bengála, Escála,
e nos Verbos Entálo, Iguálo.

Em alha, alho. Batálha,
Canálha, Barálho, Esgálho
.

He porem Fechado nas seis terminações
seguintes. Em ama, amo. Escama,
Amalgama
, e nos Verbos Derramo,
34Infamo
. Em ana, ano. Cabana,
Catana, Páysano, Vfano
. Em
anha, e anho. Castanha, Pianha,
Façanha, Estranho, Castanho
.

Torna a ser Aberto nas terminações
em apa, apo. Zurrápa, Farrápo,
Escápo
.

Em ara, aro, e aria, ario.

Apára, Tiára, Appáro, çafáro, Canário,
Temerário
, e nos Verbos Compáro,
Depáro, Repáro, &c
.

Em asa, aso, ou aza, azo.
Abrázo, Aprázo, Arrázo.

Em ata, ato. Baráta, Pataráta,
çapáto, Retráto
.

Em ava, avo. Aljáva, Calatráva,
Aggrávo, Escrávo
.

Tambem se pronuncîa A aberto
nas terminações em ade, age, ate,
ave
. Bondáde, Verdáde, Ventágem,
Viágem, Alicáte, Surráte, Arrátel,
Affável, Admirável, Amável
.

Porem as terminações em ame,
35ane
, levaõ A fechado. Arame, Infame,
Baneane
.

Os preteritos perfeitos da primeira
conjugaçaõ Amámos, Andámos tem A
aberto na penultima, para differença
dos presentes do Indicativo Amamos,
Andamos
, que o levaõ fechado.

O mesmo succede nos Plusquam
perfeitos Amára, Andára, onde se
pronuncia Aberto na penultima para os
distinguir dos Futuros Amará, Andará,
que tem Vogal aberta, e accento Agudo
na ultima.

Algumas vezes se pronuncîa A fechado
no meyo das palavras, por ser
breve a syllaba Media, como em Ámago,
pro medulla arboris, Bárbaro,
Cóncavo, Cóvado, Escándalo, Evano,
Fígado, Láparo, Pássaro, Pícaro,
Cámara, Década, Máscara,
Tamaga, Tamara, Sátrapa, Syllaba
.

Quando o A Medio he seguido na
mesma syllaba de alguma das letras
36clrs, pronuncia-se Aberto. Esmeralda,
Madrasta, Retaguarda, Vanguarda,
Embargo, Encargo, Cadarço,
Padrasto, Contracto, Extracto
.

Mas sendo seguido da letra N he o
dito A fechado. Barranco, Encanto,
Laranja, Varanda, Alcance, Alfange,
Infante
.

A final pronuncia-se Aberto
nos Monosyllabos, e outras palavras,
que acabaõ com Accento Agudo,
como Cá, Fá, Lá, Má, Pá, Tá,
Vá, Bachá, Maná, Acolá, Ouxalá,
&c
.

Da mesma sorte nos Monosyllabos,
e outras palavras em al, ar,
e az. Cál, Grál, Sál, Tál, Dár,
Már, Fáz, Páz, Tráz, Corál,
Didál, Vogál, Pumár, Solár, Primáz,
Efficáz
. Da mesma sorte nos Infinitivos
da primeira conjugacaõ Amár,
Estimár, &c
.

As palavras Ambar, Assucar, Aljofar,
37e Nectar, levaõ A aberto, ainda
que carecem de Accento na ultima.

Tambem se pronuncîa A Final
aberto nas segundas, e terceiras pessoas
dos Futuros, onde levaõ accento
agudo. Amarás, Lerás, Ouvirás,
Porás, Amará, Lerá, Ouvirá, Porá
,
para se differençarem dos Preteritos
Amáras, Léras, Ouvíras, Amára,
Léra, Ouvíra
, que em lugar de
Accento Agudo na ultima, o tem na
penultima.

Quanto à terminaçaõ em am, ou
Aõ, como outros escrevem, e de que
trataremos adiante no Capitulo dos
Ditongos, baste por agora dizer que o
seu A he fechado, assim nos nomes
como nos Verbos.

Os Monosyllabos, que naõ tem
Accento Agudo, levaõ A fechado. Da,
Ma, Na, Das, Mas, Nas
. Do mesmo
modo he tambem fechado nos nomes
de muitas syllabas, que carecem
38de Accento final. Fáca, Séta, Fita,
Rosa, Pluma, Fachada, Vereda,
Ferida, Derrota, Arruda
. O mesmo
succede nos tempos dos Amava, Amara,
Amaria, Fazia, Fizera, Faria,
&c
.

E

E na primeira syllaba, humas vezes
se pronuncîa Aberto, e outras Fechado,
conforme as differentes terminações.

Nas em ea, eo, ha esta differença,
que Cea, Pea, Vea, Tea, e
os Verbos Crea, Lea, Mea, naõ só
levaõ E fechado, mas lem-se como se
estivesse escritto : Ceya, Peya, Veya ;
Teya, Creya, Leya, Meya. Pello contrario
os nomes, Céo, Réo, Véo, levaõ
E totalmente aberto.

Nas terminações em ba, bo, se
39pronuncîa E fechado no Verbo Bebo, e
no nome Gebo. Abre-se porem em Fébo,
e nas palavras em que medîa R na
dita terminaçaõ, como em Québra,
Québro
.

Nas em ca, co, se encontra E
aberto em Béca, Méca, e nos Verbos
Pécco, Sécco, Pécca, Sécca. Fecha-se
porem nos nomes Peca, Seca, Beco,
Peco, Seco
.

Nas em ça, ço, he aberto no
nome Péça, e nos Verbos Féço, Méço,
Péço
. Mas fecha-se no nome Preço,
e nos Verbos Creço, Deço, Teço.

Nas em cha, cho, levaõ E
aberto os nomes Brécha, Frécha, Mécha,
Pécha
; pello contrario em Fecho,
ou seja nome ou Verbo.

Nas em da, do, se pronuncîa
E aberto nos nomes Méda, Quéda,
Crédo, Lédo, Médo
(nome de Naçaõ)
e no Verbo Védo. He porem fechado
em Greda, Seda, Bredo, Cedo, Dedo,
40Medo, Quedo
. Mediando R na
dita terminaçaõ abre-se o E em Cédro,
Médro, Médra, Pédra
, e fecha-se
em Pedro.

Nas em ga, go, tem E aberto
Céga, Séga, Cégo, Pégo, a palavra
Prégo, assim nome como Verbo, e os
Verbos Cégo, Régo, Ségo. Exceytuaõse
os nomes Pega, e Rego, que tem E
fechado.

Nas em ja, jo, se pronuncîa E
fechado no nome Pejo, e nos Verbos
Seja, Vejo. He porem aberto nos nomes
Bréjo, Téjo.

Nas em la, lo, levaõ E aberto
Péla, Tréla, Véla, Prélo, e os Verbos
Gélo, Zélo. Pello contrario he fechado,
nos substantivos Gelo, Grelo,
Pelo, Zelo
, como tambem nos Verbos
a que se segue algum Artigo, como
Fela, Vela, Felo, Velo.

Quando a letra L se acha dobrada,
humas vezes leva E aberto como
41em Bélla, Célla, Nélla, Sélla, Béllo,
e no Verbo Séllo
; e outras fechado
como em Pella, Pello, e no Substantivo
Sello.

Nas em lha, lho, se acha E
fechado em Selha, Telha ; e Aberto
em Vélha, Vélho.

Nas em ma, mo, se pronuncîa
E fechado em Ema, Gema, Rema,
Tema, Gemo, Remo
(tanto nome
como Verbo, Temo, Tremo. He porem
aberto no Substantivo Démo.

Nas em na, no, he tambem fechado.
Pena, Scena, Feno, Peno.

Nas em nha, nho, se fecha
da mesma sorte nos nomes Brenha,
Grenha, Lenha, Penha, Lenho
; e
nos Verbos Tenho, Venho.

Nas em pa, po, se pronuncîa E
fechado em Sepa, Cepo ; e aberto em
Trépa, Trépo.

Nas em ra, ro, levaõ E aberto
os nomes Féra, Héra, Méra, Féro,
42Méro
; e os Verbos Éra, Déra,
Géra, Géro, Quéro
. He porem fechado
nos nomes Cera, Pera, Pero ; e
no Verbo Lera.

Quando a letra R se acha dobrada,
humas vezes leva E aberto, como nos
nomes, Guérra, Sérra, Térra, Férro,
Pérro
, e no Verbo Érro. Outras
vezes leva E fechado, como nos nomes
Cerro, Erro.

Nas em sa, so, ou za, zo,
tem E aberto os nomes Réza, Léza,
Lézo
; e os Verbos Pézo, Rézo ; mas
fecha-se nos nomes Peso, Teso.

Nas em ta to, se pronuncîa
aberto nos nomes Méta, Séta, e em
Créta Ilha, e nos Verbos Gréta, Gréto,
e Fechado nos nomes Greta, Peta,
Preta, Teta, Preto, Treta
.

Nas em va vo, tem E aberto o
Substantivo Léva, fallando de gente de
guerra, e o Verbo Léva, Lévo. Fecha-se
porem no nome Trevo, e nos
Verbos Devo.43

Entre as palavras, que acabaõ em
E se pronuncîaõ com E inicial aberto
os nomes Bréve, Crépe, Fébre, Lébre,
Léme, Léque, Léve, Séte
; e os
Verbos Bébe, Céde, Créce, Déve, Fére,
Péde, Tréme
. Levaõ porem E fechado
os nomes Rede Sede ; e os Verbos
Lede, Sede, Teve, Vede.

Quando a Vogal E he seguida de
alguma das letras L, R, S, na mesma
syllaba, humas vezes tem som aberto
como nos nomes Érra, Fésta, Guélra,
Méscla. Pésca, Sérpa, Térra,
Cérto, Déstro, Férro, Gésto, Mélro,
Pérto, Sérvo, Péste, Sérpe, Véste
.

Outras vezes tem som fechado
como em Bespa, Cerca, Cesta, Felpa,
Lesma, Resma, Terça, Cerco, Cesto,
Festo, Mesmo, Nervo, Termo, Desde,
Deste, Neste, Verde
.

As palavras em que se segue M ou
N tem sempre E fechado. Crença,
Tença, Genro, Penso, Tempo, Tenro,
44Vento, Gente, Quente, Rente
, com
os Verbos Mente, Pende, Rende, Vende.

Note-se, que os compostos de
muitas syllabas naõ seguem sempre a
Vogal aberta dos seus simples ; e assim
levaõ E fechado os nomes Ervado, Ferrado,
Festivo, Servido
, ainda que venhaõ
de Érva, Férro, Fésta, e Sérvo,
que tem E aberto.

Os nomes que se terminaõ com algum
accento, tem E inicial fechado.
Leál, Reál, Meláõ, Lezáõ, Relé,
Recêm, Retêm, Febrîl, Perrexîl, Senhôr,
Metedôr
. Da mesma sorte os Infinitivos
Levar, Deter, Remir, Repor.

Geralmente se póde dizer que todo
o E inicial nos nomes, e Verbos de
muitas syllabas tem som fechado. Detença,
Merenda, Espaço, Esqueço,
Repente, Semente, Rebelliaõ Restauraçaõ,
Remeiro, Thesoureiro
. Exceituaõ-se
Mésinha, Séteira, Sédiço, e
45alguns esdruxulos, como Fétido ; Trépido.

E medio se pronuncîa humas vezes
Aberto, e outras fechado.

Primeiramente nas terminações
em ea, eo, ha muita variedade ; e
ainda que dellas havemos de fallar no
Capitulo dos Ditongos, naõ deixaremos
de dizer aqui quanto à terminaçaõ
ea, que muitas vezes he o seu E medio
Breve, e Fechado, como em Codea,
Femea, Gavea, Lendea, Semea,
Chicorea, Serodea
, e nos Imperativos
Lede-a, Tende-a, Ponde-a.

Outras vezes he Longo, e Fechado
como em Area, Balea, Cadea, Candea,
Correa, Serea
, e nos Verbos Passea,
Ratea, Rodea, Semea
; e neste caso se
pronuncîa o E Medio, como se fora
ey. Areya, Baleya.

Finalmente se pronuncîa E aberto
em Idéa, Judéa, como se estivesse escrito
Idéya, Judéya.46

Semelhante variedade se encontra
na terminacaõ em eo ; porque humas
vezes leva E Breve fechado, como
nos Imperativos Ledeo, Sedeo, Tendeo,
Pondeo
. Outras vezes Longo, e
fechado, como em Hebreo, Judeo,
Orpheo
, e nos Preteritos Ardeo, Bateo,
se naõ he que antes se devem escrever
Ardeu, Bateu.

Nos nomes Asseo, Correo, e nos
Verbos Receo, Semeo, se pronuncîa
E fechado como se fora ey. Asseyo,
Correyo, Receyo, Semeyo
.

Finalmente succede ser aberto em
Aréo, chapéo, Mantéo, Boléo, e
nos seus Pluraes.

Nas terminações em eba, ebo,
se pronuncîa E fechado. Manceba,
Mancebo, Percebo, Recebo
. Exceytua-se
o Verbo Amancébo.

Nas em aca, eco, se pronuncîa
E aberto. Charnéca, Fanéca, Canéca,
Rabéca, Taréco, Desséco
.47

Nas em eça, eço, se encontra
E aberto em Tripéça, e nos Verbos
Coméço, Despéço, Esquéço, Aderéço,
Amanhéço, Arreféço, Arreméço, Tropeço
.

Outras vezes he fechado como nos nomes
Appreço, Adereço, Tropeço, Arremeço ;
e nos Verbos Conheço, Pareço,
Pereço, Aborreço, Adormeço,
Anouteço, Amadureço, Encareço
.

Nas em echa, echo, tem E
aberto Esmécho, e fechado Desfecho.

Nas em eda, edo, se pronuncîa
E fechado nos nomes, Azeda,
Lameda, Vereda, Azedo, Arremedo,
Enredo, Lagedo, Penedo
. Porem
levaõ E aberto os Verbos Azédo,
Enrédo, Arremédo
.

Nas em efa, efo, se encontra
E Aberto em Sanéfa, Sinaléfa, Taréfa.

Nas em ega, ego, tem E fechado
os nomes Despego, Emprego,
48Lamego, Morcego, Refego, Socego
.

Pello contrario levaõ E aberto os
nomes Colléga, Entréga, Refréga, e
os Verbos Apégo, Despégo, Emprégo,
Entrégo, Esfrégo, Navégo, Socégo
.

Nas terminações em eja, ejo,
se pronuncîa E fechado em Carqueja,
Cereja, Cerveja, Igreja, Bocejo,
Cortejo, Dezejo, Despejo
. Do mesmo
modo nos Verbos Bocejo, Corejo,
Cotejo, Dezejo, Despejo, Revejo,
Varejo
, e nas terminações em A. Exceytuaõ-se
Envéja, e Envéjo.

Nas em ela, elo, ou ella,
ello
, se pronuncîa humas vezes E
aberto como em Adéla, Amarélla,
Barréla, Cadéla, Canéla, Fivella,
Janéla, Mazéla, Panéla, Singéla,
Tigéla, Castéllo, Farélo, Marmélo,
Martéllo, Murzélo
.

Outras yezes he fechado como em
Estrella, Cabello, Camelo, Capello,
Ourelo
; e nos Verbos a que se segue
49algum artigo, como Bebela, Fazela,
Dizelo, Trazelo
.

Nas em elha, elho, se pronuncîa
E fechado em Abelha, Azelha,
Gadelha, Ovelha, Parelha, Segurelha,
Artelho, Coelho, Espelho, Francelho,
Vermelho
.

Tambem he fechado em ema,
emo
. Algema, Alfazema, Diadema,
Extremo, Supremo
, e no Verbo
Espremo.

Do mesmo modo em ena, eno.

Açucena, Cayena, Camena, Ameno,
Aceno
, e nos Verbos Aceno, Apeno,
Condeno
.

Igualmente se fecha em enha,
enho
. Estamenha, Jurumenha, Resenha,
Sardenha, Engenho, Ferrenho
;
e os Verbos Contenho, Convenho,
Mantenho, Retenho
.

Nas em epa, epo, se pronuncîa
E Aberto. Carépa, Atrépo, Decépo.50

Nas em era, ero, levaõ E
aberto os nomes Esféra, Espéra, Sevéro ;
e os Verbos Espéro, Impéro,
Tempéro, Desespéro, Considéro, Exaspéro,
Exagéro, Recupéro, Vitupéro
,
com os Preteritos Disséra, Houvéra,
Fizéra, Tivéra, Puzéra
.

He porem fechado nos nomes Esmero,
Tempero
, e nos Preteritos Metera,
Soffrera, Retera, Revera,
Tresleva
.

Nas em esa, eso, ou eza,
ezo
, se pronuncîa E fechado. Destreza,
Duqueza, Empreza, Grandeza,
Largueza, Limpeza, Aceso,
Desprezo
. Exceytua-se o Verbo Desprézo.

Nas em eta, eto, tem E aberto
o nome Facéto, e o Verbo Acarréto.
He porem fechado nos nomes Bayoneta,
Carreta, Cometa, Galheta,
Mareta, Planeta, Carreto, Espeto
,
e nos Verbos Cometo, Arremeto.51

Nas em eva, evo, se pronuncîa
E fechado no Verbo Atrevo.

Nas palavras que acabaõ em E se
encontra humas vezes E aberto, como
em Estrépe, Guruméte, Maméde,
Mafaméde, Topéte
; e nos Verbos
Confére, Prefére, Refére, Acométe,
Compéte, Prométte, Repéte, Amanhéce,
Arreféce, Esquéce
.

Outras vezes he fechado como
nos nomes Banquete, Bofete, pro
Mensa, Ferrete, Parede, Ramalhete,
Sinete, Tamborete, Tapete
. E nos
Verbos Anoutece, Resplandece, Escurece,
Carece, Parece, Adormece
.

Quando ao E medio se segue na
mesma syllaba alguma das letras C R S,
humas vezes he aberto como em Affécto,
Insécto, Intérno, Inférno, Incésto,
Excésso, Catérva, Cavérna
.
Da mesma sorte nos Verbos Apérto,
Despérto, Enxérto, Entérro, Infésto,
Resérvo, Refrésco
.52

Outras vczes se pronuncîa se pronuncîa fechado,
principalmente nos Substantivos,
cujos Verbos tem E aberto. Acerto,
Aperto, Apresto, Concerto, Enterro,
Enxerto, Desterro, Governo, Refresco
.
Alem disto se fecha tambem em
Enferma Enfermo, Esquerda, Esquerdo,
Soberba, Soberbo
.

Geralmente fallando os nomes, e
Verbos, em cuja syllaba Media se encontra
M ou N, levaõ E fechado. Comenda,
Fazenda, Merenda, Tormenta,
Coentro, Exemplo, Accendo, Assento,
Pretendo
; e nos Gerundios Fazendo,
Querendo
.

Muitas vezes succede ser fechado
o E Medio, porque he breve a syllaba,
como em Áspero, Célebre, Cérebro,
Cónego, íngreme, Pécego,
Próspero, Sóffrego, Néspera, Témpera,
&c
. Advirta-se que Próspera, e
Témpera tem E breve, quando saõ nomes,
e longo quando saõ Verbos.
Prospéra, Tempéra.53

E Final, pronuncia-se aberto nos
Monosyllabos que levaõ Accento agudo.
Fé, Pé, Sé, Thé.

He fechado nos Verbos Dè, Lè,
Sè, Vè
, que levaõ Accento Grave ;
e nas Particulas De Me Se Te, e no
Relativo Que onde naõ ha Accento.

Da mesma maneira se fecha nos
Monosyllabos que acabaõ em M. Bèm
Cèm, Dèm, Lèm, Nèm, Quèm Sèm,
Tèm, Vèm
, onde tambem se poem
Accento Grave.

E pella mesma razaõ nos que se
terminaõ em S ou Z . Dès, Lès, Fèz,
Mèz, Pèz, Rèz, Très, Vèz
. Exceytua-se
o nome Numeral Déz, e o
Verbo Quéz que tem Accento Agudo
com E aberto.

Nos nomes de mais syllabas, que
acabaõ em Agudo se pronuncîa E aberto.
Caffé, Galé, Libré, Maré, Polé.
Exceytua-se Porque, onde he fechado.54

Tambem se abre na terminaçaõ
em el. Broquél, Burél, Coronél,
Cayrél, Papél, Paynél, Pincél, Tropél
.

Na terminaçaõ em em naõ se pronuncîa
E fechado, mas este soa como
se fora ei. Bellem, Porem, Santarem,
como se estivesse escrito Belleim, Pereim,
Santareim
.

Torna a ser aberto na terminaçaõ
em er. Culhér, Mulhér, Talhér,
Sumilhér
. Exceytua-se Prazer, Desprazer,
e os Infinitivos da segunda
Conjugaçaõ Arder, Bater, com alguns
outros Verbos, em que se suppoem
Accento Circumflexo.

O nome Caracter ainda que naõ
tem no fim Accento Agudo, naõ deixa
de levar E aberto.

Na terminaçaõ em es, ou ez, se
pronuncîa E fechado nos nomes Nacionaes
Francez, Inglez, &c. Da mesma
sorte nos nomes Arnez, Entremez,
55Torquez, Tremez, e nos Preteritos,
Desfez, Prefez, Refez
.
Exceytuaõ-se os nomes Convéz, e Revéz,
que levaõ E aberto com Accento
Agudo.

Finalmente se pronuncîa E fechado
Final, em todas as palavras que naõ
acabaõ em E Agudo. Trave, Leme,
Vide, Bosque, Rude, Bondade, Tapete,
Semide, Pagode, Virtude, &c
.

I

Faz-se differença de i Vogal a j
Consoante ; porem o J grande tem
sempre a mesma figura, ou seja Consoante
ou Vogal.

Ainda que no I naõ haja a differença
de Som Aberto, ou Fechado,
com tudo naõ falta que observar sobre
a sua Accentuaçaõ, e quantidade das
syllabas.56

Quando á Accentuaçaõ as palavras
que acabaõ em id, e il, levaõ
Accento Circumflexo, como mais largamente
diremos adiante. Davîd, Madrîd,
Brazîl, Burîl, Ceytîl, Gentîl,
&c
.

Exceytuaõ-se desta regra os Adjectivos
Dócil, Fácil, Fértil, Hábil,
Estéril
, que levaõ Accento Agudo na
primeira, ou penultima.

As palavras que se terminaõ em
im tambem levaõ Accento Grave, ou
Circumflexo. Fìm, Mìm, Rìm, Sìm,
Chapîm, Jasmîm, Motîm, Cherubîm,
Seraphîm
.

Do mesmo modo os nomes em
ir. Nadîr, Ophîr ; e os Infinitivos
Rìr, Caîr, Medîr, Ouvîr, Repetîr,
&c
.

Assim tambem os nomes em is,
ou iz. Matrîz, Perdîz, Vernîz.
Exceytua-se Cáliz, ou Calix, que
tem Accento Agudo na penultima.57

Quanto à quantidade das syllabas
he a Vogal I breve ou longa conforme
a natureza das palavras, de que senaõ
póde dar regra certa ; pois que achando-se
entre as mesmas letras tem muitas
vezes differente quantidade, segundo
a diversa significaçaõ ; como v.
gr. Pánico, de Panicus, e Paníco,
sorte de Pano de linho. Do mesmo
modo Exército de Exercitus, e Exercíto,
de Exerceo. Séria, de Serius,
e Sería, de Ser.

Nos nomes que se derivaõ da Lingua
Latina, se deve reccorrer á dita
Lingua, para se pronunciarem conforme
a quantidade que lá tem as palavras.
Deste modo pronunciamos Amígo,
com I longo, porque vem de Amicus ;
e Pállido com I breve, porque,
vem de Pállidus.

Porem ainda esta mesma regra está
sogeita a muitas exceições, tanto a
respeito dos nomes, como dos Verbos,
58pois dizemos Gemído com I longo,
ainda que venha de Gémitus, e
Destíno com a penultima tambem longa,
ainda que venha de Déstino.

Quanto aos Verbos se póde dizer
que sempre saõ longos em Portuguez,
ainda que sejaõ breves no Latim, como
se verá da lista, que se segue.

verbos | verbos
Portuguezes. | Latinos.
Agíto | de | Agito.
Allucíno | de | Allúcino.
Amplifíco | de | Amplífico.
Anímo | de | Ánimo.
Annuncío | de | Annúntio.
Anticípo | de | Antícipo.
Applíco | de | Ápplico.
Arbítro | de | Árbitror.
Calumnío | de | Calúmnior.
Comunîco | de | Comúnico.
59Comprímo | de | Cómprimo.
Concilío | de | Concílio.
Concíto | de | Cóncito.
Contamíno | de | Contámino.
Dedíco | de | Dédico.
Denuncío | de | Denúntio.
Destíno | de | Déstino.
Dissípo | de | Díssipo.
Domíno | de | Dominor.
Examíno | de | Exámino.
Excíto | de | Éxcito.
Exímo | de | Éximo.
Explíco | de | Éxplico.
Exprímo | de | Éxprimo.
Fabríco | de | Fábrico.
Fulmíno | de | Fúlmino.
Glorío | de | Glórior.
Gratifíco | de | Gratificor.
Habíto | de | Hábito.
Hesíto | de | Hésito.
Implíco | de | Ímplico.
Incíto | de | Íncito.
Limíto | de | Límito.
60Litígo | de | Lítigo.
Maquíno | de | Máchinor.
Medíto | de | Méditor.
Milíto | de | Mílito.
Mutílo | de | Mútilo.
Negocío | de | Negótior.
Obstíno | de | Óbstino.
Opprímo | de | Opprimo.
Pacifíco | de | Pacífico.
Palpíto | de | Pálpito.
Particípo | de | Partícipo.
Precipíto | de | Praecípito.
Predestíno | de | Praedéstino.
Prejudíco | de | Praejúdico.
Pronuncío | de | Pronúntio.
Raciocíno | de | Ratíotinor.
Reedifíco | de | Reedífico.
Recíto | de | Récito.
Reconcilío | de | Reconcílio.
Renuncîo | de | Renuntio.
Reprímo | de | Réprimo.
Sacrifíco | de | Sacrífico.
Signifíco | de | Signífico.
61Sollicíto | de | Sollícito.
Supplíco | de | Súpplico.
Supprímo | de | Súpprimo.
Termíno | de | Término.
Varío | de | Vário.
Vicío | de | Vítio.
Vomíto | de | Vómito.

O que naõ padece duvida he terem a
penultima longa todos os Participios
da segunda, e terceira conjugaçaõ.
Querído, Sabído, Ouvído, Vestído.

Da mesma sorte tem sempre I longo
os Preteritos Fogíra, Sentíra, para
differença dos Futuros Fogirá, Sentirá,
que tem no fim Accento Agudo.
Tambem he longa a penultima nos
mais tempos. Fogía, Fogiría, Sentía,
Sentiría
.

Com a occasiaõ da lista precedente
apontaremos tambem aqui alguns
Verbos com as penultimes em A e E,
que sendo breves em Latim, saõ longos
62no Portuguez, visto que os naõ
apontamos tratando das ditas Vogaes.

port. | lat.
Aggrávo | de | Ággravo.
Altéro | de | Áltero.
Celébro | de | Célebro.
Compáro | de | Cómparo.
Considéro | de | Consídero.
Contráho | de | Cóntraho.
Degenéro | de | Degénero.
Delibéro | de | Delíbero.
Exaggéro | de | Exággero.
Exaspéro | de | Exáspero.
Impéro | de | Ímpero.
Impétro | de | Ímpetro.
Modéro | de | Módero.
Numéro | de | Número.
Penétro | de | Pénetro.
Prepáro | de | Préparo.
Recupéro | de | Recúpero.
Refrigéro | de | Refrígero.
63Regenéro | de | Regénero.
Remunéro | de | Remúnero.
Reverbéro | de | Revérbero.
Repáro | de | Réparo.
Sepáro | de | Séparo.
Supéro | de | Súpero.
Toléro | de | Tólero.
Venéro | de | Véneror.
Vitupéro | de | Vitúpero.

Os Verbos com as penultimas em
O, e U se apontaraõ quando tratarmos
destas Vogaes.

O

O na primeira syllaba humas vezes
he fechado, e outras aberto,
conforme as differentes terminações.

Primeiramente he fechado nas terminações
em oa, oo, ou sejaõ Nomes,
ou Verbos. Boa, Broa, Doa,
64Goa, Loa, Moa, Noa, Roa, Soa, Toa, Voa,
Do-o, Mo-o, Ro-o, So-o, To-o, Vo-o
.

Tambem he fechado nas terminações
em ba, bo . Loba, Lobo, Bobo.
Exceytua-se o Verbo Dóbo. Mediando
R nas ditas terminações abre-se a Vogal
O nos Nomes Óbra, Cóbra, Dóbra,
Sóbra
, e nos Verbos Óbro, Cóbro,
Dóbro, Sóbro
; màs fecha-se nos
Substantivos Cobro, Dobro, Sobro ; e
na proposiçaõ Sobre.

Nas em ca, co, levaõ O aberto
os nomes Chóca, Róca, Tróca, Fróco ;
e os Verbos Tóco, Tróco. Exceytuaõ-se
os nomes Coco, Choco, Troco.

Nas em ça, ço, se pronuncîa
O aberto em Cóça, Móça, Róça, Fecha-se
porem em Moça, pro Juvencula,
Poça, Moço, Poço, Troço.

Do mesmo modo se abre nas em
cha, cho. Rócha, Tócha. Tiraõse
Mocha, Mocho.

Nas em da, do, se encontra O
65 aberto em Móda, Póda, Róda, Módo,
e nos Verbos Pódo, Ródo. Fecha-se porem
em Voda, Rodo, Todo.

Nas em fa, fo, se abre em Mófa ;
e se fecha em Fofo, Mofo.

Nas em ga, go, pronuncîa-se
aberto em Bóga, Dróga, Tóga, e nos
Verbos Jógo, Rógo, Vógo. Da mesma
sorte se abre tambem nos Pluraes como
v. g. Fógos, Jógos, Rógos, ainda que
os Singulares Fogo, Jogo, Rogo, tenhaõ
O fechado.

Mediando a letra R nas ditas terminações
leva O aberto Sógra ; mas fecha-se
em Sogro, e Logro, sendo Substantivo,
porque quando Lógro, he
Verbo, tem O aberto.

Nas em ja, jo, levaõ O fechado
Nojo, Tojo
.

Pello contrario se abre nas em LA,
LO
. Bóla, Cóla, Sóla, Dólo, Pólo.
Tiraõ-se os nomes Bolo, Rolo, Tolo,
Rola
.66

He fechado nas em lha, lho.
Olha, Folha, Polha, Rolha, Olho,
Molho, Solho
; e nos Verbos Colho,
Tolho
. Exceytuaõ-se os nomes Mólho,
pro Manipulus, e Ólhos, e Mólhos,
no Plural, com os Verbos Ólho, Mólho.

Nas terminações em ma, mo,
se fecha esta Vogal em Broma, Goma,
Roma, Gomo, Pomo, Tomo
, e em
Como, ou seja Verbo, ou Adverbio.
Abre- se porem no Verbo Tómo.

Nas em na, no, se pronuncîa
O fechado em Nona, Tona, Mono,
Nono
.

Nas em nha, nho, tem O fechado
Cronha, Fronha, Ronha
, e os
Verbos Ponha, Sonha, Ponho, Sonho,
assim Verbo, como Substantivo.

Nas em pa, po, se pronuncîa
O aberto em Ópa, Cópa, Trópa, Cópo,
e no Verbo Tópo. Exceytua-se Sopa.67

Tambem se abre em ra, ro,
nos nomes Hóra, Nóra, e no Adverbio
Fóra ; como tambem nos Verbos
Córo, Chóro, Móro, Chóra, Móra.

Tem porem O fechado o Verbo
Fora, e os nomes Choro, Coro, Goro,
Soro
, ainda que se abra em alguns
pluraes, como Córos, Góros, Póros,
Tóros
, estes dous tambem no Singular
tem O aberto.

Nas em sa, so, ou za, zo,
he aberto no Verbo Gózo, porem no
Substantivo Gozo, se pronuncîa o O
fechado.

Nas em ta, to, levaõ O aberto
os nomes Bóta, Cóta, Nóta, Róta,
quando he hum Tribunal de Roma,
Sóta, e os Verbos Bóto, Cóto,
Nóto, Fróto
, e Vóto, ou seja Verbo,
ou Nome. Pello contrario he fechado
em Gota, Goto, e no Adjectivo Rota,
Roto
.

Nas em va, vo, tem O aberto
68Cóva, Nóva, Próva, Sóva, Tróva
;
e o Verbo Próvo. Levaõ porem O fechado
os Singulares Ovo, Novo, Povo,
ainda que os Pluraes o tenhaõ
aberto Óvos, Nóvos, Póvos. Tambem
se fecha no Verbo Movo.

Nas em xa, xo, se pronuncîa
O fechado em Coxa, Froxa, Roxa,
Coxo, Froxo, Roxo
.

Quanto à terminaçaõ em E tem
primeiramente O aberto os nomes Bóde,
Bófe, Bróche, Cóffre, Dóte,
Fóme, Lóte, Móte, Nóbre, Póbre,
Póte, Róque, Tópe, Tóque, Tróte,
Zóte
. E os Verbos Cólhe, Cóme, Móve,
Tóme, Pòde
, sendo presente que
no Preterito tem O aberto.

Da mesma sorte aquelles nomes,
em que a Vogal O he seguida de alguma
Consoante na mesma syllaba. Bósque,
Cóldre, Córte
de animaes, Fólle, Gólpe,
Mólde, Mólle, Mórte, Nórte, Pórte,
Pósse, Sórte, Tósse
.69

Exceytuaõ-se Corte de Principe,
Torpe ; como tambem Coche, Odre,
Podre
, e a Proposiçaõ Sobre, que levaõ
O fechado. Na mesma exceiçaõ
se comprehendem os Nomes, e Verbos
em que se segue M, ou N. Conde,
Donde, Ponte, Compre, Ponde, Rompe,
Monde, Sonde
.

Nas terminações que naõ saõ em
E, sendo a Vogal O da primeira syllaba
acompanhada de alguma das letras
L R S, tem som aberto nos nomes Bórla,
Córda, Cósta, Fórma, Fósca,
Mórna, órta, Pórta, Pósta, Sólfa,
Tórta
, e nos Verbos Córto, Fórmo,
Gósto, Móstro, Póstro, Tórno
.

Levaõ porem O fechado os nomes
Masculinos Corpo, Corvo, Corro, Forno,
Forro, Golfo, Gosto, Horto,
Mosto, Poldro, Polvo, Porco, Porto,
Rostro, Soldo, Sorvo, Toldo,
Tordo, Torto
. Os Adjectivos Morno,
Morto, Posto
: e os Verbos Corro,
70Morro, Sorvo
. Exceytua-se Bórdo,
que ou seja Verbo, ou Nome, sempre
leva O aberto.

Da mesma sorte tem O fechado alguns
Femininos, como Bolça, Colcha,
Forca, Força, Forma
de official, Mosca,
Polpa, Rosca, Sorva
.

Finalmente se a letra, que se seguir
à Vogal O na mesma syllaba, for
M, ou N, tambem se pronuncîa O
fechado. Onda, Pomba, Sonda ; e assim
nos Nomes Masculinos, e nos Verbos.

Geralmente se póde dizer que O
na primeira syllaba he fechado nos Nomes
que tem mais de duas syllabas.
Morada, Cobarde, Corisco, Roteiro,
Sobrado
.

Exceytuaõ-se as palavras Córádo,
Mórgádo, Sómente, Cónesia
, e poucas
outras, que tem Accento Agudo
na primeira syllaba.

Tambem se fecha nas que acabaõ
71em algum Accento. Corál, Forál
Broquél, Tropél, Gomîl, Motîm,
Bolôr, Mogôr, Foráõ, Coraçáo
. Do
mesmo mode nos Verbos Morar, Motejar,
Doer, Promover, Bolir, Produzir
.

O Medio, humas vezes he fechado,
e outras aberto, conforme a differença
das terminações.

Primeiramente nas terminações
em oa, oo, levaõ O fechado, e breve
os nomes Égoa, Légoa, Mágoa,
Névoa, Nódoa, Póvoa, Régoa, Táboa,
Trégoa
. Da mesma sorte os Verbos,
a que se segue algum artigo. Ponho-a,
Tenho-o
; e os Gerundios Sendo-a,
Sendo-o
.

He porem longo, ainda que fechado,
nos nomes Canôa, Forôa, Leitôa,
Lisbôa, Podôa
; e assim nos Verbos
Magôo, Arrezôo, Magôa, Arrezôa,
e outros semelhantes.

Nas terminações em oba, obo,
72levaõ O fechado Alcoba, Arroba, Alfarroba.

Nas em oca, oco, se pronuncîa
O fechado em Bioco, Descoco, e
nos seus Pluraes. He porem aberto em
Barróca, Mandióca, Massaróca ; e
nos Verbos Convóco, Deslóco, Destróco,
Provóco, Retóco Revóco
.

Nas em oça, oço, tem O fechado
os nomes Caroço, Destroço, Pescoço,
Tramoço, Alvoroço
, e em alguns
destes Pluraes, como Destroços,
Alvoroços
. Mas abre-se em Caróços,
Pescóços, Tramóços
, e no Verbo Destróço.

Nas em ocha, ocho, he
aberto em Carócha, Garrócha, e no
Verbo Arrócho, ainda que se feche no
Substantivo.

Nas em oda, odo, tem O fechado
o Substantivo Engodo ; porem
abre- se nos Verbos Engódo, Accomódo,
Desacomódo
.73

Nas em ofa, ofo, se encontra
O fechado em Estofo, e aberto em
Galhófa.

Nas em oga, ogo, he aberto
em Synagóga, e nos Verbos Affógo,
Desafógo, Revógo
; mas fecha-se no
Substantivo Desafogo.

Nas em oya, oyo, se pronuncîa
aberto no nome Tramóya, e nos
Verbos Apóyo, Combóyo ; fecha-se porem
nos nomes Apoyo, Saloyo.

Nas em oja, ojo, levaõ O fechado
os nomes Arrojo, Despojo, Entojo ;
e aberto os Verbos Anójo, Arrójo,
Despójo, Entójo
.

Nas em ola, olo, tem O fechado
Cebola, Miolo, Rebolo, Tejolo
.
Pello contrario se abre nos nomes Angóla,
Argóla, Bandeyróla, Galinhóla,
Santóla, Vióla
; e nos Verbos
Assólo, Atóbo, Consólo, Viólo. Quanto
aos Pluraes pronuncia-se O aberto
em Miólos, e fechado em Rebolos,
Tejolos
.74

Nas em olha, olho, se encontra
O fechado nos nomes Ferrolho,
Refolho, Repolho
; no Feminino Escolha,
e nos Verbos Escolho, Recolho,
&c
. Entre os Pluraes levaõ O
aberto Abrólhos, Antólhos, e fechado
Ferrolhos, Refolhos, Repolhos
.

Nas em oma, omo, tem O fechado,
Mafoma, Maroma, Redoma
,
e o Verbo Engomo.

Nas em ona, ono, se fecha a
Vogal O em Atafona, Azeitona,
Mangerona
, e Cidade de Ancona.

Tambem he fechado nas em
onha, onho. Peçonha, Bolonha,
Vergonha, Medonho, Medronho
; e
nos Verbos Componho, Deponho, Proponho,
Reponho, Supponho
.

Nas em opa, opo, leva O fechado
Estopa, Cachopo
, e aberto no
Plural Cachópos.

Nas em ora, oro, se abre nos
nomes Amóra, Demóra, Çamóra,
75Espóra
: No Adverbio Agóra ; e nos
Verbos Aaóro, Descóro, Devóro, Demóro,
Namóro
. Fecha-se porem em Senhora,
e nos tempos dos Verbos Compora,
Propora, Dispora
, em lugar
de Compusera. Assim tambem se fecha
nos Femininos de alguns nomes em or,
fechado, v. g. Falladora, Gritadora,
Contendora, Gastadora
, de Fallador,
Grittador, &c.

Do mesmo modo nos Adjectivos
Masculinos Fermoso, Forçozo, Manhozo,
Medrozo, Teimoso, Viçozo
.

Porem os Adjectivos Femininos
tem O aberto. Formósa, Forçóza, Medróza,
&c
. com os seus Pluraes
como tambem os Pluraes Masculinos
Fermósos, Forçósos, &c. Do mesmo
modo se abre nos Verbos Despózo,
Espózo
.

Nas em ota, oto, levaõ O fechado
os nomes Gafanhoto, Minhoto,
Arroto, Escota
. Pello contrario he
76 aberto em Bolóta, Derróta, Devóta,
Gaivóta
; e nos Verbos Denóto, Derróto,
Arróto, Desbóto, Embóto,
Enxóto, Esgóto
.

Nas em ova, ovo, tem O fechado
os nomes Enxova, Escova, e
os Verbos Commovo, Promovo. He porem
aberto nos Verbos Appróvo, Compróvo,
Repróvo, Renóvo
.

Nas em oxa, oxo, se encontra
O fechado no Nome Pintarroxo, e
no Verbo Afroxo.

Nas palavras que acabaõ em E
humas vezes se acha O aberto, como
em Batoque, Bigóde, Capóte, Galópe,
Garróte, Magóte, Pagóde, Estóque,
Remóque
.

Outras vezes fechado como em
Adobe, Arrobe.

Tambem se fecha nos Pluraes dos
Nomes em or, com O fechado no Singular,
como Assores, ou Açores,
Horrores, Lavores, Tambores, Terrores
,
77de Açôr, Horrôr, Lavôr,
Tambôr, e Terrôr.

Porem nos Pluraes dos nomes em
or, com O aberto, se abre tambem
a dita Vogal. Mayóres, Menóres, Suóres,
de Mayór, Menór, Suór.

Quando a Vogal O Media he seguida
de alguma das letras L R S, na
mesma syllaba, pronuncîa-se aberta
nos Nomes Amóstra, Apósta, Bigórna,
Escólta, Escórva, Refórma,
Albórque, Confórme, Consórte, Enórme,
Desórdem
.

Da mesma sorte nos Verbos Abórdo,
Apórto, Apósto, Confórto, Dezembólço,
Desgósto, Embólço, Enfórco,
Confórto, Confórmo, Engólfo,
Entórno, Esfórço, Escórvo, Estórvo,
Refórço, Refórmo, Tresbórdo
.

He porem fechado nos nomes Cachorra,
Lagosta, Madorna, Masmorra,
Pachorra, Aborto, Absolto,
Absorto, Cachorro, Composto, Conforto,
78Contorno, Dezembolço, Desgosto,
Disposto, Embolço, Encosto,
Esforço, Estorvo, Reforço, Reposto,
Soccorro
.

Da mesma sorte se fecha em alguns
Verbos, como Absolvo, Dissolvo,
Resolvo, Reccorro, Soccorro
.
Tambem he fechado se a letra que se
seguir à Vogal O na mesma syllaba,
for M, ou N, Confronto, Engonço,
Encontro, Escondo, Esconço, Redondo
.

Algumas vezes succede ser fechada
a Vogal O Media, porque he breve
a tal syllaba, como em Áncora,
Árvore, Átomo, Apóstolo, Bácoro,
Cómmodo, Góndola, Pérola, Pólvora,
Rémora, Tábola, Témporas, Vésporas,
Sýmbolo, Sýnodo
.

No particular da Quantidade da Vogal
O se deve observar, q̃ ha varios Verbos
em Portuguez, a tem longa, ainda
que no Latim, donde se derivaõ, a tenhaõ
79breve, como succede entre outros
nos seguintes.

port. | lat.
Accomódo | de | Accómodo.
Arrógo | de | Árrogo.
Avóco | de | Ávoco.
Collóco | de | Cólloco.
Convóco | de | Cónvoco.
Denóto | de | Dénoto.
Immólo | de | Ímmolo.
Incommódo | de | Incómmodo.
Incorpóro | de | Incórporo.
Innóvo | de | Ínnovo.
Interrógo | de | Intérrogo.
Prorógo | de | Prórogo.
Provóco | de | Próvoco.
Revóco | de | Révoco.
Viólo | de | Víolo.

O Final pronuncîa-se aberto nos
Monosyllabos que levaõ Accento Agudo,
como Dó, Ló, Mó, Nó, Pó, Só.80

Da mesma sorte nos que acabaõ
em Consoante, com tanto que tenhaõ
o mesmo Accento Agudo. Cór pro Memoria,
Cóz, Fóz, Ról, Sól, Vóz :
nos Pronomes Nós, Vós, no Comparativo
Mór, e finalmente nos Pluraes
dos nomes acima.

Naõ levando Accento Agudo se
pronuncîa O fechado, como nas particulas
Do, No, To, Dos, Nos, Tos :
em Bom, Dom, Som, Tom : em Cor
pro Colore, Dor, Flor ; e nos Verbos
For, Por, Poz.

Nos Nomes de mais syllabas havendo
Accento Agudo se pronuncîa O
aberto. Filhó, Pharaó, Teiró, Ventó.

Tambem se abre nos Nomes em
ol. Caracól, Faról, Girasól, Lançól,
Rouxinól, Tiról
.

Pello contrario os que acabaõ em
or, tem ordinariamente O fechado.
Amôr, Ardôr, Pudôr, Pendôr, Calôr,
Favôr, Sabôr, Lavôr, Pavôr,
81Senhôr, Directôr, &c
. Assim, tambem
os Infinitivos Compôr, Depôr, Oppôr,
Suppôr, Repôr, Transpôr
.

Exceytuaõ-se desta regra os Comparativos
Mayór, Menór, Peór, e o
Nome Suór, que levaõ O aberto.

Nas terminações em os, ou oz,
tem O aberto os nomes Atróz, Cadóz,
Feróz, Retróz, Albernóz, Badajós
.
He porem fechado em Algôz, Arrôz,
e nos Preteritos Compôz, Depôz,
Dispôz, Expôz, Suppôz, &c
.

Finalmente se pronuncîa O fechado
no fim de todas as palavras que naõ
levaõ algum Accento. Fado, Perto,
Fisco, Porto, Rumo, Estado, Espelho,
Vestido, Despojo, Repuxo
.82

U

A Vogal U, tem differente figura
do V Consoante, excepto nas letras
Maiusculas, em que sempre se
uza de V. Advirtaõ os Francezes, que
o som desta Vogal he o mesmo que elles
daõ ao seu Ditongo ou.

Quanto á Accentuaçaõ, naõ admitte
Accento Agudo, por naõ poder
pronuncîar-se com tom aberto, como
tambem succede à Vogal I ; e assim leva
Accento Grave, ou Circumflexo,
conforme a natureza das syllabas.

Tem lugar primeiramente nos
Monosyllabos Cru, Mu, Tu, Cruz,
Crus, Hum, Huns, Luz, Mus,
Nus, Puz, Sul
.

Nos nomes de mais syllabas que
acabaõ em U puro, como Pégû, Perû.83

Na terminaçaõ em ul, como
Azûl, Báûl, Paûl, Tafûl. Exceytuase
Consul, que carece totalmente de
Accento na ultima syllaba.

Na terminaçaõ em um, Algûm,
Jejûm, Nenhûm
, e nos seus Pluraes.

Na em us, ou uz, Alcaçûz,
Alcatrûz, Arcabûz, Capûz, Ormûz
.

Da mesma sorte nos Preteritos da
quarta Conjugaçaõ : Compûz, Dispûz,
Repûz, Pospûz, Transpûz
.

Quanto à quantidade a Vogal U
he quasi sempre longa, excepto nas
palavras, que vem do Grego, ou do
Latim, e nellas succede serem breves,
como as seguintes.

Angulo | Arduo | Assiduo
Capitulo | Circulo | Credulo
Cumulo | Fatuo | Lugubre
Obstaculo | Oculo | Oraculo
Posthumo | Purpura | Regulo
Seculo | Vestibulo | Vocabulo.84

Deve-se porem observar nesta
exceyçaõ, que ainda muitas vezes succede
terem syllaba longa em Portuguez
algumas palavras, que a tinhaõ
breve em Latim. Assim se pronuncîa
Refúgo, e Regúlo, com a penultima
longa, ainda que venhaõ de Refugus,
e de Regula, que a tem breve. Sobre
tudo se pronuncîaõ longos em Portuguez
varios Verbos, que em Latim
tem a Penultima breve, sem alguma
alteraçaõ de letras, como se vè da lista
seguinte.

port. | lat.
Accumúlo | de | Accúmulo.
Attenúo | de | Atténuo.
Attribúo | de | Attríbuo.
Argúo | de | Árguo.
Augúro | de | Áuguro.
Coagúlo | de | Coágulo.
Compúto | de | Computo.
85Congratúlo | de | Congratulor
Constitúo | de | Constituo.
Constrúo | de | Cónstruo.
Continúo | de | Contínuo.
Contribúo | de | Contríbuo.
Cumúlo | de | Cumulo.
Depúto | de | Députo.
Destrúo | de | Déstruo.
Dispúto | de | Dísputo.
Dissimúlo | de | Dissímulo.
Distribúo | de | Distríbuo.
Edúco | de | Éduco.
Especúlo | de | Spéculor.
Estimúlo | de | Stímulo.
Extenúo | de | Exténuo.
Insinúo | de | Insínuo.
Institúo | de | Instítuo.
Instrúo | de | ínstruo.
Macúlo | de | Máculo.
Occúpo | de | Óccupo.
Perpetúo | de | Perpétuo.
Postúlo | de | Póstulo.
Preoccúpo | de | Preóccupo.
86Repúto | de | Réputo.
Restitúo | de | Restítuo.
Suppúto | de | Súpputo.

Y

Esta Vogal he tomada dos Gregos,
entre os quaes tinha o mesmo tom
que a Vogal, U dos Francezes ; porem
tanto no Latim, como na mayor parte
das Linguas vulgares se lhe dá o som
da vogal I.

Tem toda a força de letra Vogal
nas palavras tiradas do Grego, como
Abysmo, Estylo, Mysterio, Symbolo
Synodo, Syllaba
, Em outros lugares
naõ tem bastante força para formar
syllaba á parte ; e por isso se poem
antes ou depois de outra Vogal.

Y Inicial servindo de primeira letra
nos nomes, ainda que se encontre
muitas vezes nas Linguas Franceza,
87e Ingleza, naõ tem lugar na Portugueza,
salvo em alguns Nomes Estrangeiros
Geographicos, como Yepes
em Castella a Nova, Ygualada
em Catalunha, YorcK em Inglaterra,
Yviça no Mediterraneo, e Yvoix no
Luxembaug Francez.

Y Medio se encontra primeiramente
no meyo de muitos nomes acabados
em A, como Faya, Raya, Alfaya,
Meya, Teya, Alheya, Boya,
Troya, Tramoya, Tapuya
.

Da mesma sorte nos Nomes em O.
Mayo, Rayo, Balayo, Freyo, Meyo,
Alheyo, Moyo, Apoyo, Saloyo
. E
nos Verbos Cayo, Sayo, Veyo, Conveyo,
Apóyo, Combóyo
: como tambem
nos tempos a que se segue algum
Artigo : Day-o, Dey-o, Foy-o, Fuy-o,
Callay-o, Dizey-o, &c
.

Finalmente em muitos outros Nomes,
e Verbos de differentes terminações.
Alfayate, Alvayade, Payol,
88Mayor, Mayores, Cayado, Cayar,
Rayar, Comboyar, Desmayar
.

Algumas vezes uza tambem o Padre
Vieira de Y no comparativo Peyor,
Peyores
; supposto que em outras occasiões
escreve Peór, Peóres.

Varios Autores se servem tambem
de Y medio nas palavras Almeyda,
Ferreyra, Parreyra, Roseyra, Craveyro,
Primeyro, Terceyro, Feyçaõ,
Eleyçaõ, Gayta, Rayva, Heytor,
Eleytor : Fleyma, Peyta, Teyma,
Coyma, Noyva, Aypo, Rayvo, Saybo,
Geyto, Pleyto, Ceytil, &c
. Mas
o Padre Vieira usa nestas palavras de I
latino.

Mayor necessidade ha da Vogal Y
para estabelecer algumas regras em ordem
á Orthographia de varias palavras
em ea, e eo, a fim de saber quando
saõ Verbos, e quando saõ Nomes ; e
ainda para distinguir os tempos dos
mesmos Verbos, e evitar por este modo
89muitos equivocos na Lingua.

Em primeiro lugar parece preciso
o uso do Y Grego no meyo das palavras
em ea, ou sejaõ de duas syllabas,
como Cea, Mea, Pea, ou de
trez, como Area, para se conhecer
quando saõ Nomes, e quando saõ terceiras
pessoas dos Indicativos.

Em segundo lugar nas palavras em
eo, ou tambem sejaõ de duas syllabas,
como Creo, Leo, ou de trez,
como Passeo, Receo, para evitar differentes
equivocos,

Supposta a necessidade que ha de
usar da Vogal Y para o effeito que
dissemos, entra a grande difficuldade
de saber quando he que se deve
usar da dita Vogal, se na escrittura
dos Nomes, se na dos Verbos ; e esta
he tanto mayor, quanto he varia a
Orthographia de que se servem os nossos
Authores.

Havendo de dar alguma regra nesta
90materia, fora de parecer, que em
ambas as sobreditas terminações se puzesse
Y nos Verbos, e se supprimisse
nos Nomes ; e que nesta forma se escrevesse
Elle ceya, Elle peya, Elle
areya
; e pello contrario Huma cea,
Huma pea, Huma area
.

Da mesma sorte Eu creyo, Eu
leyo
, para differença dos Preteritos
Elle creo, Elle leo : como tambem
Eu galanteyo, Eu passeyo, Eu rodeyo,
para differença dos nomes Hum galanteo,
Hum passeo, Hum rodeo
.

Com esta Orthographia se poderaõ
distinguir facilmente os Verbos em
eo, naõ só dos Nomes acima apontados,
para evitar equivocos, mas de
outros Substantivos, que levaõ ditongo
de eo, com E fechado, como saõ
Borneo, Hebreo, Orpheo, Phariseo,
Theseo
; e daquelles em que o E se pronuncîa
aberto, como em Arpéo, Chapéo,
Mantéo, Pygméo
.91

Tambem se differençaráõ facilmente
dos preteritos Ardeo, Morreo,
Escureceo, Estendeo
; Supposto que os
ditos Preteritos se poderiaõ tambem
distinguir escrevendo-se com U no fim,
visto que o som da Vogal O he nelles
muy escuro : Ardeu, Morreu, Eseureceu,
Estendeu
.

As razões que me persuadem a seguir
o methodo proposto, saõ as que
aqui aponto.

A primeira para observar o mais
que he possivel a mesma ordem de Orthographia ;
porque se na terminaçaõ
em ea senaõ escrevem os nomes com
Y Grego ; ainda que levem algum I na
pronuncia, como Balea, Cadea, que
se lem Baleya, Cadeya : que razaõ póde
haver para que na terminaçaõ em
eo, que lhe he taõ semelhante, naõ
tenhaõ os nomes a mesma Orthographia?
Por este modo devem ser os nomes
Passeo, Rodeo, os que careçaõ
92de Y na escrittura, deixando-o para
os Verbos Eu passeyo, Eu rodeyo.

A segunda porque parece indispensavel
uzar-se de Y nos presentes
dos Verbos Eu creyo, Eu leyo ; para
differença dos Preteritos Elle creo,
Elle leo
, senaõ he que se escrevaõ
Creu, Leu. Da mesma sorte he preciso
no Preterito Veyo (como escreve o
Padre Vieira) para differença do Substantivo
Véo, Nestes termos para observar
a mesma Orthographia se devem
tambem escrever com Y os presentes
dos Verbos Eu passeyo, Eu rodeyo,
tirando-o dos Nomes Hum passeo,
Hum rodeo
.

A terceira particularmente em ordem
aos Nomes de duas syllabas em
ea ; porque com esta Orthographia
se assemelhaõ mais ao Latim de que se
derivaõ ; como v. g. Cea, Tea, Vea,
que ficaõ mais semelhantes a Cena,
Tela, Vena
, do que se tivessem Y
93no meyo : Ceya, Teya, Veya.

Porem assim como ha estes fundamentos
para se usar de Y nos Verbos,
tambem se offerecem razões
muy fortes em contrario.

Huma he que naõ só nas Linguas
Primitivas, como a Hebraica, e a
Grega, mas ainda nas Vulgares saõ os
Verbos de ordinario compostos de menos
syllabas do que os nomes, pois lhe
servem de raizes ; logo parece ser
contra esta regra taõ geral escreverem-se
os Verbos com mais letras do
que os nomes ; e assim se deverá supprimir
o Y nos Verbos.

Esta objecçaõ que he de muita
força, naõ deixa de ter reposta ; e he
que supposto que pello uso geral faõ
os Verbos mais simples do que os Nomes,
e por isso levaõ menos letras ;
com tudo por huma exceiçaõ de regra
succede algumas vezes o contrario,
como vemos nos nomes Desdem,
94Feiçaõ, Tom, Sabaõ
, os quaes tem
menos letras, e syllabas do que os
Verbos, Desdenhar, Afeiçoar, Entoar,
Ensaboar
. O mesmo póde tambem
succeder por particular exceiçaõ
de regra nos Nomes Passeo, Rodeo,
levando mais letras os Verbos
Eu passeyo, Eu rodeyo, ainda que naõ
tenhaõ mais syllabas.

A outra objecçaõ he, que escrevendo-se
os Nomes Passeo, Rodeo,
sem ypsilon, se confundem com a terminaçaõ
de outros Nomes, como Borneo,
Judeo
; mas a isto respondemos
que he muito mais necessario distinguir
os Nomes dos Verbos, do que
huns Nomes dos outros Nomes ; e assim
he melhor escrever Eu rodeyo,
do que Eu rodeo, porque se evita huma
mayor equivocaçaõ.

Desta regra geral se devem exceituar
os dous Nomes Meyo, e Meya,
os quaes pódem ser escrîtos com Y,
95visto que se derivaõ de Medium, e
Media, em que se encontra hum I,
ainda que Latino ; o qual conforme o
que acima dissemos, se muda em Y Grego
no meyo de outras Vogaes.

Tambem se póde exceituar o Nome
Correo pro Tabellarius, escrevendo-se
Correyo, para differença do Preterito
Correo Cucurrit, no caso que
senaõ escreva antes Correu.

Y Final, usa-se nos Monosyllabos
Pay, Mãy, Grey, Ley, Rey, Boy,
Muy, Tuy
. Do mesmo modo no Pronome
Sy, na Interjeiçaõ Ay, e nos
Pluraes dos nomes acima : Pays, Mãys,
Reys, &c
. Tambem serve nos Verbos
de huma só syllaba : Day, Vay, Dey,
Foy, Fuy
.

Deve-se usar do mesmo modo desta
Vogal em alguns Nomes de mais
syllabas, como Comboy : nos Preteritos
da primeira Conjugaçaõ: Amey,
Falley
: nos Futuros de todas as Conjugações :
96 Amarey, Lerey, Ouvirey,
Porey
; e em varios Imperativos, Amay,
Fallay, Dizey, Fazey
.

Capitulo III.
Da pronuncia das Consoantes.

Advirta-se em primeiro lugar, que
na pronuncia Portugueza senaõ
supprimem Consoantes simples, mas
lem-se os Nomes com todas as letras
com que se escrevem ; o que he muy
necessario aos Inglezes, e Francezes,
que apprendem o Portuguez.

Advirta-se em segundo lugar que
as Letras Dobradas senaõ pronunciaõ
com mais força do que as Singelas, excepto
97os dous cc, dous rr, e dous
ss, que requerem dobrada força,
como v. g. Accesso, Accessorio, Amarra,
Catarro, Assalto, Amasso
, que
senaõ devem pronunciar Aceso, Acesorio,
Amara, Cataro, Asalto, Amaso
.
Sendo porem geral esta regra para
os rr, e ss, dobrados, senaõ verifica
sempre nos cc, antes fora viciosa
affectaçaõ carregar nelles em varias palavras.

Advirta-se em terceiro lugar que
as letras Consoantes, em que comprehendemos
as Liquidas, tomadas separadamente,
tem quasi a mesma força,
que nas outras Linguas ; e assim neste
Capitulo só trataremos daquellas que
tem alguma differença essencial, e da
uniaõ de algumas Consoantes entre si.98

Ç

Esta letra tem força de dous ss, e
só se poem antes das Vogaes
A O U, tanto no principio, como no
meyo das palavras. Çafra, Çarça,
Moço, Poço, Çujo, Açulo
.

A grande difficuldade consiste em
saber quando devemos usar de ç ou de
dous ss, e ainda de hum só S, visto terem
estas letras muitas vezes a mesma
força. Nesta materia nos parece, que
devemos reccorrer ás régras seguintes,
considerando as palavras, ou como derivadas
do Latim, ou como Portuguezas
de natureza.

Se as palavras forem derivadas do
Latim, e ali tiverem dous ss, escreverse-haõ
tambem com dous ss no Portuguez,
e naõ com ç. Deste modo
99escrevemos Massa, e naõ Maça, porque
vem do Latim Massa : Passo, e naõ
Paço, porque vem do Latim Passus :
Posso, e naõ Poço, porque vem do
Latim Possum.

A mesma regra se terá para saber
quando se deve usar de S singelo, ou
de ç. Escreva-se Consul, e naõ Conçul ;
Satisfazer, e naõ Çatisfazer ; Verso,
e naõ Verço, porque vem do Latim
Consul, Satisfacio, e Versus.

Da mesma sorte se escreveráõ
com S as palavras Sabáõ, Saber, Sacerdocio,
Sacramento, Sacrificio, Salario,
Salto, Salvo, Sangrar, Santo,
Saude, Sermaõ, Serviço, Séita,
Singular, Simples, Somno, Sorte,
Suggestaõ, Supplicar
, e outras muitas,
visto que se derivaõ do Latim.

Quando as palavras se escrevem
em Latim com C, tambem conservaõ
C ou ç no Portuguez ; ou seja no principio,
ou no meyo das ditas palavras.100

Cebola de Cepa : Cegonha de Ciconia :
Cereja de Cerasus : Certeza de Certitudo :
Creço de Cresco : Cisne de Cignus :
Façanha de Facinus : Faço de
Facio : Lança de Lancea : Rançoso de
Ranciàus : Recebo de Recipio, &c.

Escrevendo-se em Latim com cp,
levaõ ç no Portuguez ; porem com
esta differença, que humas vezes perdem
o P como v. g. Conceyçaõ de Conceptio,
transformando-o em Y ; e outras
vezes o conservaõ, como em Adopçaõ
de Adoptio, e Percepçaõ de Perceptio.

Tendo em Latim ct, tomaõ ç no
Portuguez : Affeyçaõ de Affectio ; Confeyçaõ
de Confectio ; Exacçaõ de Exactio ;
Dicçaõ de Dictio ; Ficçaõ de Fictio ;
e Protecçaõ de Protectio.

Algumas vezes succede mudarse o
Q Latino em ç no Portuguez : Laço
de Laqueus : outras vezes em C : Cinco
de Quinque ; Licor de Liquor.101

Muy ordinariamente se converte
tambem o T Latino em ç no Portuguez.
Destroço de Destructus ; Graça
de Gratia ; Espaço de Spatium ; Março
de Martius ; Peço de Peto ; Poço de
Puteus ; Preço de Pretium ; Presença
de Praesentia ; Opposiçaõ de Oppositio ;
Preparaçaõ de Praeparatio ; Paço de
Palatium ; Soluçaõ de Solutio ; Traiçaõ
de Traditio.

Se as palavras forem originariamente
Portuguezas, ou ao menos estiver
remota a sua dirivaçaõ do Latim,
levaõ ç e naõ dous ss em varias terminações.

Nas em aça, eça, iça,
oça, uça
. Ameaça, Cabeça, Sediça,
Carroça, Carapuça
.

Nas em aço, eço, iço,
oço, uço
. Engaço, Tropeço, Carriço,
Pescoço, Rebuço
.

Nas em ança, ença, inça,
onça, unça
. Fiança, Avença,
102Desinça, Gerigonça, Junça
.

Nas em anço, enço, inço,
onço, unço
. Descanço,
Lenço, Painço, Esconço
.

Nas em arça, erça, irça,
orça, urça
. Farça, Verça, Corça,
Camurça
.

Finalmente nas em arço, e
orço. Cadarço, Camarço, Esforço,
Reforço
.

A difficuldade que ha na Orthographia
da letra ç nos obriga a por
aqui duas Listas, huma das palavras
mais commuas, que começaõ por ç,
e outra das que o tem no meyo.

Palavras com Ç inicial.

Çabujo | Çafar | Çafaro
Çafo | Çafra | Çanefa
Çapato | Çapo | Çarapatel
ÇarÇa | Çujar | Çujo
Çumagre | Çumarento | Çumo
103Çurra | Çurraõ | Çurriada.

Palavras com Ç medio, ou
Final.

Abafadiço | Abraçar | Aço
Acoçar | Açougue | Açoute
Açude | Açular | Adelgaço
Adereço | Adormeço | Alagadiço
Alçada | Alcançar | Almofaça
Alvoroço | Amanheço | Ameaço
Anouteço | Appareço | Apreço
Arrefeço | Atiço | Baço
Bagaço | Baraço | Boçal
Bolça. | Cabeça | Caça
Caçar | Camurça | Caniço
Careço | Caroço | Castiçal
Castiço | Chaça | Chouriço
Cobiça | Coça | Coçar
Condeça | Corço | Corrediça
Crença. | Derriçar | Disfarçar
Devaça. | Doença. | Eça
104Embaçar | Embaraçar | Emboçar
Embolçar | Embuçar | Encabeçar
Encareço | Engaço | Engonço
Enguiço | Escaço | Esconço
Esforço. | Fataça | Feitiço
Feneço | Ferçura | Força
Forçado. | Garça. | Inchaço.
Laçada | Lançado | Lançar
Louça. | Maçãa | Maço
Madraço | Meço | Moça
Moço. | Ouriço. | Painço,
Pareço | Passadiço, | Peça
Peçonha | Pedaço | Pescoço
Pigarça. | Poça | Praça.
Raça | Ranço | Roça
Roçar | Rebuço | Rechaçar
Reforço | Regaço. | Sédiço
Serviçal | Soçobrar | Sumiço.
Taça | Traçado | Tramoço
Traça | Teço | Terçaã
Troço | Tropeço. | Viçoso.

Accrescentaremos às listas precedentes
105outra (como exceiçaõ de Regra)
de varias palavras, as quaes por
naõ serem derivadas do Latim, ou por
estarem muy alteradas, parecia que
deviaõ levar Ç, com tudo o uso as
faz escrever com S.

Sacar | Sacada | Sair
Saida, | Sacudir | Sala
Salpicar | Salpico | Saloyo
Sapo | Saquear | Sarayva
Saudade | Savel | Saya
Sédiço | Sigano | Siza
Sizo | Soldado | Solho
Sombra | Sombrio | Sonda
Sondar | Sumilher, | &c.

G

Nesta letra ha alguma difficuldade
a respeito da syllaba ge, que
se equivóca com je formando o mesmo
som.106

A regra será reccorrer aos nomes
Latinos, ou Gregos, quando delles
se derivarem as palavras Portuguezas ;
e tendo G nas dittas linguas, o levaráõ
tambem na nossa.

Deste modo escrevemos com G
Confranger, Congelar, Constranger,
Degenerar, Engenho, Gemer, Gemido,
Genero, Genro, Gente, Géraçaõ
Gesto, Regelo, Tanger
, porque vem
de Confringo, Congelo, Constringo,
Degenero, Ingenium, Gemo, Gemitus,
Generalis, Gener, Gens, Generatio,
Gestus, Ριγυλός, e Tango.

Pello contrario levando as palavras
I ou J no Latim se escreveraõ
em Portuguez na mesma forma. Adjectivo,
Conjectura, Jejum, Jenella,
ou Janella, Interjeiçaõ, Projecçaõ,
Projecto, Rejeito
; porque vem de Adjectivus,
Conjectura, Jejunium, Janua,
Interjectio, Projectio, Projectus,
e Rejicio.107

Naõ deixa porém de haver algumas
palavras puramente Portuguezas,
que tambem se escrevem com ge,
como v. g. Engeitar, Geada, Geito,
Gema de Ovo, Gerigonça, Lagedo,
Lagem, Ligeiro, Ligeireza
. Nestes
termos o fim da regra acima naõ he regular
todas as palavras, que devem levar
ge, se naõ advertir, que aquellas,
que em Latim tiverem G, se haõ
de escrever tambem com elle no Portuguez.

Como tambem póde haver alguma
duvida sobre as syllabas gi, e ji,
ainda que mais facil de resolver, naõ
deixaremos de apontar a regra seguinte.

Todas as vezes que as Palavras tiverem
gi no Latim, se haõ de escrever
em Portuguez com as mesmas letras,
e naõ com ji. Agilidade, Agitaçaõ,
Fragil, Fugitivo, Legiaõ, Legitimo,
Logica, Magica, Pagina, Regiaõ,
108Tragico, Vigiar
; porque vem de
Agilitas, Agitatio, Fragilis, Fugitivus,
Legio, Legitimus, Logica, Magica,
Pagina, Regio, &c.

Da mesma sorte os Verbos, Cingir,
Fingir, Frigir, Tingir, Ungir
,
porque vem de Cingo, Fingo, Frigo,
Tingo, Ungo.

Finalmente o G he proprio da
terminaçaõ em ge puro, como v. G.
nos nomes Monge, Alfange, Orange ;
e nos Verbos Tange, Frege, Finge,
Vnge, Confrange, Constrange
.

Assim tambem das terminaçoens
em agem, igem, ugem. Bagagem,
Ferragem, Impigem, Vertigem,
Ferrugem, Penugem
.

Quanto ao encontro da letra G
com a vogal U, humas vezes fere a
ditta vogal, e outras se perde de todo.

Fére a Vogal U na syllaba gua,
soando estas vogaes ambas assim no
109principio, como no meyo das palavras
Gualde, Guarda, Guarnecer, Guarecer,
Agua, Aguada, Igual, Desigual
.

Nas syllabas gue, gui, guo
ordinariamente se perde o U, como
em Guerra, Guerreiro, Guia, Guindar,
Alguidar, Extinguir
. Exceituaõ-se
Pingue, Sanguinidade, Sanguinolento,
Contiguo
, e algumas outras.

H

O H na lingua Portugueza naõ he
Aspiraçaõ aspera, como em varias
linguas do Norte, e ainda na Franceza
nas palavras Hardes, Hardy, Hazard,
e outras ; antes sempre he suave,
naõ pondo força alguma na vogal,
que se lhe segue.

Deixando a Joaõ Franco Barreto a
gloria de copiar com cançada curiosidade
110tudo, o que Diomedes, Aulo Gellio,
Quintiliano, e Prisciano differaõ
do H, de que se naõ segue utilidade
alguma para a lingua Portugueza, assentamos
que o ditto H tem dous usos
nesta lingua ; pois humas vezes serve
de Simplez Aspiraçaõ, e outras de letra.

Serve o H de Aspiraçaõ branda
nos principios dos nomes Harpa, Herança,
Herdade, Historia, Hombro,
Homicidio, Honesto
: nos verbos Haver,
Honrar, Hospedar
; nos adverbios
Hoje, Hontem ; e em muitas outras
palavras, tiradas do Grego, ou do
Latim. Nellas se deve usar da tal Aspiraçaõ,
ainda que seja contra o parecer
de Joaõ Franco Barreto, que nos
prohibe escrever Homem, Humilde,
Humor, senaõ Omem, Umilde, Umor
.
O mesmo se ha de guardar em Hum,
e Huma ; porque supposto que Unus
em Latim naõ tenha a dita aspiraçaõ ;
111com tudo o mesmo Vnus vem do Grego
ενος, que leva hum espirito aspero,
como se vè na tal palavra.

Usa-se tambem da Aspiraçaõ H
no meyo de muitas palavras, como
Deshonra, Deshonesto, Exhalar, Exhibir,
Inhibir, Prohibir, Comprehender,
Reprehender, Vehemente,
Vehiculo
.

Confirma-se esta Orthographia
com os exemplos de muitos Manuscrittos
Originaes antigos, e dos livros
de mais antiga impressaõ, como
v. g. varios Regimentos delRey Dom
Manoel, impressos em Lisboa no anno
de 1514. As nosfas Ordenaçoens impressas
no anno de 1521. As Constituiçoens
de Lisboa do Cardeal Dom
Affonso, impressas em 1537. A informaçaõ
das terras do Preste Joaõ por
Francisco Alvares em Lisboa no anno
de 1540. Os Commentarios de Affonso
de Albuquerque em 1576. Finalmente
112esta mesma Orthographia seguiraõ
Joaõ de Barros nas suas Decadas :
Fr. Bernardo de Brito nas suas Monarquias,
e o P. Antonio Vieira em todas
as suas obras.

Álem disto serve o H de Aspiracaõ
nos nomes, que levaõ ch,
ph, rh
, e th ; como v. g. Christo,
Chronica, Archanjo, Phrase, Phrenesì,
Physica, Philosophia, Orthographia,
Rhetorica, Rheumatismo,
Rhodes, Theatro, Thema, Thesouro,
Theologia, Mathematica, &c
. Os
quaes nomes saõ originariamente Gregos ;
e nelles sustenta o H naõ a força
das letras Χ ch, φ ph, Ρ rh,
Θ th, mas a differença da Escrittura
por letras simples. He bem verdade,
que entre os nomes, que levaõ ch ha
muitos, em que o H naõ he Aspiraçaõ,
senaõ letra, como logo veremos.

A força da derivaçaõ pede, que todos
estes nomes se escrevaõ com letras
113aspiradas ; naõ deixa porém de haver
exemplos de bons Autores, que
saõ de parecer differente.

O mais que pude observar nas
obras do Padre Antonio Vieira he, que
elle pella mayor parte usa de letras
com aspiraçaõ, e se serve do H.

No tocante a ch escreve Archanjo,
Cherubim, Chimera, Chorographia,
Christo, Chronica, Machina,
Monarchia, Sepulchro
; e ainda
Anchora, como se vè na 3. Parte dos
seus Sermoens, pag. 14.

Quanto a ph naõ usa tanto de
Aspiraçaõ ; e muitas vezes escreve :
Anfiteatro, Blasfemia, Filippe, Filosofo,
Proféta, Triunfo
.

A respeito de rh, e th usa
muito da Aspiraçaõ, e assim escreve
Rhetorica, Rhodes, Authoridade, Bartholomeu,
Catherina, Matheos, Mathias,
Thomàs, Thomè, Theologia,
Thesouro, Throno
.114

A alguns parece, que se deve usar
da Aspiraçaõ H no meyo de certos
tempos de varios Verbos, para mostrar
que alli se forma alguma syllaba à
parte, como v. g. em Cahia, Cahiria,
Dohia, Dohiria, Concluhia, Concluhiria,
Mohia, Mohiria
; porque
achando-se tres Vogaes juntas, póde
haver algum equivoco, principalmente
em Caia ignorando-se se he o
Imperfeito do Indicativo Cadebat,
se a terceira pessoa do Imperativo Cadat.

Porém o verdadeiro mode de prevenir
este inconveniente seria usar de
dous pontos sobre a Vogal, que deve
fazer syllaba à parte, como costumaõ
os Francezes nas palavras, em que se
evîta o Ditongo, v. g. em Paisant,
que fica de tres syllabas, e em Paisage,
que fica de quatro. Por este modo
se devem escrever Caîa, Doîa, fazendo
estes Imperfeitos de tres syllabas
115por meio dos dous pontos sobre a
Vogal I. Esta Orthographia nos parece
melhor, do que usar de algum
Accento, como se acha em alguns
Authores, que escrevem Caía, Doía,
pro Cadebat, Dolebat.

Tem o H força de letra na composiçaõ,
quando se junta com alguma
Consoante, ou Liquida, como succede
nas syllabas ch, lh, e nh.

CH

Requere tanta força na lingua
Portugueza, como na lngleza v. g. em
Cheeks faces, e Church Igreja ; e muita
mes que em Francez. Nesta forma
erraráõ os Francezes, que pronunciarem
Chapeo em Portuguez taõ brandamente,
como elles dizem Chapeau.

Com esta força se faz soar o ch
no principio das palavras Chave, Chefe,
China, Choque, Chuva
: no meyo
116em Machado, Rochedo, Machinho,
Cachorro, Machuco
: no fim em Penacho,
Esmícho, Esguicho, Garrocha,
Capucho
. Finalmente o ch se
deve differençar muito da letra X,
dandose-lhe dobrada força.

Tiraõ-se desta regra alguns nomes
pella mayor parte derivados do Grego,
nos quaes o ch substituhe a letra
X, e se pronuncîa com Q, ou
C, v. g. Chiromancia, Chorographia,
Christo, Christandade, Chronica, Chronologia,
Cherubim, Archanjo, Gerarchia,
Monarchia
; como se fora
Quiromancia, Quorographia, Querubim,
Arcanjo, Gerarquia, Monarquia
.

LH

Tem a mesma força, que os dous
ll dos Castelhanos, que ill dos
Francezes, e gli dos Italianos. A
palavra Castelhano se pronuncia da
117mesma maneira, que Castellano em
Hespanhol, que Castillan em Francez,
e que Castigliano em Italiano.

Da mesma sorte as mais palavras,
em que concorrem as duas letras lh.
Malha, Velha, Milha, Folha, Bulha,
Baralho, Espelho, Sarilho, Escolho,
Debulho
.

NH

Val o mesmo que o gn dos Italianos,
e dos Francezes ; e que o ñ
dos Castelhanos. Senhor como Signor
em Italiano, Seigneur em Francez, e
Señor em Castelhano.

Da mesma sorte em varias outras
palavras : Banha, Lenha, Linha, Fronha,
Cunha, Estranho, Engenho,
Caminho, Medonho, Rascunho
.118

J

Esta letra he consoante no principio
de muitas palavras, ou legitimamente
Portuguezas, ou tiradas de outras
linguas. Jâ, Jáz, Jardim, Jarro,
Jaspe, Jogo, Jugo, Jazigo,
Jejuar, Jornada, Justiça
.

Da mesma sorte no meyo de muitas
palavras em varias terminaçoens.
Tejo, Rijo, Tojo, çujo, Enveja,
Laranja, Esponja, Despejo, Despojo
.

A syllaba je serve de substituir o
hie dos Latinos nas palavras, que elles
tomáraõ do Grego, ou do Hebraico.
Jericò, Jerusalem, Jerosolymitano,
Jerapolis
em lugar de Hiericus,
Hierusalem, &c.

Quanto à differença entre as syllabas
ge, e je veja-se o que temos
119apontado sobre a letra G.

Finalmente quanto ao uso dos
Verbos podemos dizer em geral, que
os tempos em A e O se escrevem
com ja, jo ; e os tempos em E com
ge. Haja, Cinja, Frija, Tinja, Unja,
Cinjo, Frijo, Tinjo, Vnjo, Cinge,
Frege, Tange, Tinge, Unge
.

Q

Esta letra substitue muitas vezes
o C dos Latinos, e o K dos Gregos.

Na syllaba qua fere a vogal U,
e se faz soar juntamente com o A,
da mesma sorte que nas mais linguas.
Qual, Quaõ, Quadro Quando, Quatro,
&c
. como se fora Cuando, Cuatro,
pronunciando-se porém todas as
letras juntas.

Naõ fere porém o U nas syllabas
120que, qui, quo, antes supprimindose
de todo, fica a letra Q com a
força de C, ou de K.

Em 1. lugar no principio das palavras
Quebrar, Quéda, Questaõ,
Quintal, Quotidiano
, que se lèm como
se estivesse escritto : Kebrar, Kéda,
Cotidiano
.

Em 2. lugar no meyo de varios
nomes, e verbos. Aquentar, Esquecer,
Esquerdo, Esquivo, Mosquete,
Pasquim, Sequidaõ, &c
.

Exceituaõ-se desta ultima regra as
palavras tiradas proximamente do Latim,
nas quaes fere o U como em
qua, v. g. Extorquir, Frequente,
Frequencia, Frequentar, Propinquo,
Propinquidade, Tranquillo, Tranquillidade,
Sequestrar, Tequestro, Quinquagenario,
Quinquagesima
.

Esta exceiçaõ porém naõ deixa
ainda de ter outra ; pois entre os nomes
derivados proximamente do Latim
121se encontraõ alguns, em que o
U naõ fere, como nos nomes acima ;
e assim tornaõ a ficar sogeitos à regra
geral. Estes saõ entre outros Extinguir
de Extinguere, Inquieto
de Inquietus,
Quinze de Quindecimo, e
Requerer de Requiro.

R

Esta letra no principio das palavras
requere tanta força, como
se fora dobrada, e nisto differe muito
a nossa pronuncia da Franceza. Deve-se
pois carregar muito em Raya,
Regra, Rima, Rosa, Ruma, Razo,
Rego, Riso, Rogo, Ruço
; e assim, nas
palavras de mais syllabas, ou sejaõ
Verbos, ou Nomes.

No meyo das palavras, naõ sendo
o R dobrado, pronuncia-se muy
suavemente. Cara, Pera, Mira, Nora,
122Pura, Caro, Pero, Giro, Lóro,
Duro
; e nas palavras de mais syllabas.
Tiára, Espéra, Hegyra, Espóra, Ventura.

Da mesma sorte em varios tempos
de Verbos : Amára, Fizéra, Ouvira,
Amaría, Faria, Ouviria, Amará,
Fará, Ouvirá
.

Exceituaõ- se desta regra as palavras,
que levaõ L ou N na syllaba precedente
v. g. Bilro, Melro, Chalrar,
Chilrar, Palrar, Abalroar, Escalracho,
Genro, Tenro, Honra, Deshonra,
Enramar, Enredar, Enriquecer,
Enrolar, Enroupar, Enroccar,
Enramado, Enredado, &c
. Nestas palavras
tem o R aspereza de dobrado,
ainda que seja singelo.

R dobrado pronuncia-se com dobrada
força. Barro, Ferro, Cirro,
Corro, Murro, Amarra, Desterra,
Espirra, Arroba, Arruda, Catarro,
Enterro, Arrimo, Arroto, Empurro
.123

S

Esta consoante no principio das
palavras pronuncia-se com tanta
força, como se fora ç ou dous ss.
Só, Sal, Saõ, Sim, Salvo, Servo,
Sino, Somno, Susto
.

No meyo das palavras entre duas
Vogaes pronuncia-se taõ suavemente,
como se fora Z. Desastre, Desejo,
Desigual, Desordem, Confuso
.

Exceituaõ- se os Verbos, a que se
segue a particula se, porque nelles
se pronuncîa o S com aspereza, ou
seja no Indicativo Ama-se, Perde-se,
Ouve-se, Póde-se
; ou seja no Imperativo
Ame-se, Diga-se, Ouça-se, Ponha-se ;
ou nos Gerundios, Amando-se,
Lendo-se, Ouvindo-se, Pondo-se
.

Deve-se por grande cuidado na
Orthographia dos Indicativos acima,
124escrevendo-os com hum só S, ainda
que o tal S se pronuncie com força
de dobrado : Ama-se, Perde-se, Ouve:se,
Póde-se
, para que a syllaba Media
seja breve, a fim de se differençarem
dos Conjunctivos, que a tem
longa, por se escreverem com dous
ss. Amasse, Perdesse, Houvesse, Podesse.

Naõ estando o S entre duas Vogaes
no meyo das palavras, e havendo
alguma das letras L N R na
syllaba precedente, pronuncia-se o
ditto S com muita força. Balsamo,
Conseguir, Conselho, Consentir, Consultar
Denso, Ensino, Malsim, Malsinar,
Manso, Penso, Perseguir,
Perseverar, Persistir, Sensivel, Versaõ,
Verso
.

S dobrado requere tambem dobrada
força. Passa, Cessa, Missa, Nossa,
Tusso, Assalto, Espesso, Remisso,
Colosso, &c
.125

Ha muita difficuldade em averiguar,
quando se deve escrever S, ou
Z entre duas Vogaes, pois que a pronuncia
he a mesma.

A regra mais certa, que póde haver
nesta materia, he escrever com
S as palavras, que se derivarem do
Latim e tiverem S na ditta lingua,
como entre outras as seguintes.

Aceso | Base | Caso
Causa | Conclusaõ | Concluso
Confusaõ | Confuso | Contusaõ
Decisaõ | Defesa | Defensa
Desejo | Desejar | Diffusaõ
Diffuso | Divisaõ | Effusaõ
Escuso | Esposo | Fermoso
Fuso | Leproso | Léso
Miseria | Musa | Occasiaõ
Occaso | Opposiçaõ | Parafuso,
Pausa | Raso | Recuso
Reserva | Resina | Riso
Rosa | Rosal | Tefo
126Thesouro | Viçoso | Uso.

Naõ sendo as palavras derivadas
do Latim, se escreveráõ com Z, principalmente
nas terminaçoens aza,
eza, iza, oza, uza, azo,
ezo, izo, ozo, uzo
, por serem
muy proprias da lingua Portugueza ;
e em outras occasiões como
se vè da lista seguinte.

Abrazo | Agudeza | Alfazema
Aprazo | Avizo | Braza
Camiza | Catorze | Caza
Cazar | Couza | Cruzado
Desprezo | Destreza | Divizar
Empreza | Estranheza, | Forçozo
Franzido | Fraqueza, | Fuzilar
Gazear | Gazeta | Gazûa
Gozar | Gozo | Grandeza
Largueza, | Leveza | Limpeza
Manhozo | Matizar | Pezar
Pezo | Pouzada | Prazo
127Prezar | Prezo | Pureza
Rapoza | Réza | Rezar
Sizo | Sizudo | Sutileza
Teimozo | Trazer | Vaidozo.

Quando digo que naõ sendo as
palavras derivadas do Latim, se escreveraõ
com Z, fallo das que naõ
saõ derivadas immediatamente, como
he Thesouro de Thesaurus, ou que naõ
tem S no Latim, como succede em
Agudeza de Acutus, em Catorze de
Quatuordecim ; e outras semelhantes.

Desta regra se devem exceituar
as palavras, e principalmente os Verbos
compostos da particula des, em
que se ha de conservar a mesma particula ;
pois facilmente se conhece que
saõ palavras compostas. Entre outras
se offerecem as seguintes.

Desabafar | Desabitar
128Desabituar | Desabrigar
Desabrir | Desacompanhar
Desacostumar | Desadorar
Desaffeiçoar | Desafiar
Desafogar | Desaforar
Desaguar | Desarmar
Desamuar | Desancorar
Desandar | Desassombrar
Desatacar | Desatar
Desatinar | Desembaraçar
Desembargar | Desembrulhar
Desamparar | Desempedir
Desencalmar | Desencaminhar
Desencantar | Desencarregar
Desenfadar | Desencostar
Desenganar | Desenrolar
Desentoar | Desherdar
Deshonrar | Desesperar
Desinçar | Desinchar
Desobedecer | Desobrigar
Desoccupar | Desordenar
Desorelhar | Desusar, &c.129

Todos os verbos precedentes se
devem escrever com S, e naõ com
Z, por serem compostos da particula
des, ainda que alguns delles sejaõ
originariamente Portuguezes. O
mesmo se deve tambem praticar com
os nomes, em que se acha a sobredita
particula, como Desafio, Desamor,
Desatino, Desembaraço, Desembargo,
Desengano, Deshonra, Desigual,
Desordem
.

Para se saber quando devemos
usar de dous ss, ou de Ç, veja-se a
letra Ç.

X

Esta letra tem a mesma pronuncia,
que o ch dos Francezes, tanto
no principio, como no meyo das palavras ;
e assim pronunciamos Xadrez,
Xarópe, Deixar, Paixaõ
, do mesmo modo
130que os Francezes pronuncîaõ Chapeau,
Cheval, Achever, Acheter
.

Com esta occasiaõ naõ podemos
deixar de condenar a falsa reflexaõ,
com que Joaõ Franco Barreto assenta
na sua Orthographia pag. 173. que os
Francezes carecem da letra X no seu
Alphabeto ; porque se o Autor falla
da figura desta letra, naõ he necessario
mais que lançar os olhos sobre
huma pagina de qualquer livro Francez,
para ficar convencido, de que
o X he muy commum naquella lingua :
Se falla da sua força, basta tambem
ouvir dizer a hum Francez Chapeau,
Cheval
, para ver que a sua
pronuncia do ch he a mesma, que a
do X Portuguez.

Tornando ao uso desta letra, tem
lugar no meyo das palavras legitimamente
Portuguezas, como Bruxa,
Cartuxa, Froxo, Lixo, Peixe, Roxo,
Rouxinol, Afroxar, Debuxar,
131Deixar, Queixar
. Conto por palavras
legitimamente Portuguezas naõ só aquellas,
que se naõ derivaõ de outras
linguas, mas tambem outras, cuja derivaçaõ
he já muy afastada em razaõ
da alteraçaõ, que nellas ha de letras,
ou de syllabas. Neste ultimo numero
ponho a palavra Deixar, porque ainda
que a sua etymologia possa ser de
Linquo, de que ao principio se fez
Leixar, e depois deixar, como os Italianos
fizeraõ Lasciare, os Francezes
Laisser, e os Castelhanos Dexar ; com
tudo está já nella muy afastada a sobredita
derivaçaõ.

Da mesma sorte tem lugar o X
nas palavras derivadas do Latim, em
que se encontra a mesma letra, como
em Buxo, Connexaõ, Convexo,
Flexivel, Perplexo, Reflexo, Seixo,
que vem de Buxum, Connexio, Convexus,
Perplexus, Flexibilis, Reflexus,
Saxum
.132

Ha porèm alguma differença na
pronuncia destas palavras ; porque nas
de duas syllabas, como Buxo, Seixo
se pronuncia o X como se fora ch
Francez em Boucher, Sécher ; e nas
outras quasi como CSS : Connecssaõ,
Convecsso, Flecssivel, Perplecsso, escrevendo-se
Connexaõ, Convexo, &c
.

Z

Esta consoante leva sempre Accento
no fim das palavras, ou seja
Grave, ou Circumflexo, ou Agudo.
Páz, Capáz, Mèz, Convéz, Gìz,
Matîz, Vóz, Algôz, Crùz, Capûz
.

Do mesmo modo em varios Verbos,
e nos nomes Nacionaes Inglêz,
Hollandêz, Portuguêz, Andalûz
.

Exceituaõ- se da regra acima os
nomes Patronimicos, que naõ levaõ
133Accento no fim, como Alvarez, Antunez,
Bernardez, Fernandez, Nunez,
Perez, Tellez, &c
. Porêm
Garcêz, ainda que venha de Garcia,
leva no fim o seu Accento.

Quanto à differença entre Z e S,
veja-se o que temos dito na letra S.

Capitulo IV.
Dos ditongos.

Ditongo, ou Diphtongo, conforme
os Gregos, he o som de duas Vogaes
unidas em huma só syllaba.

Podemos dizer em geral, que os
Ditongos Portuguezes differem dos
mais das outras Naçoens, em que ellas
de tal modo altéraõ a natureza das
134Vogaes, que muitas vezes pronuncîaõ
os seus Ditongos com letras, que
nelles se naõ achaõ. Deste modo pronunciaõ
os Francezes Otél, e Méson
escrevendo Autel e Maison : os Inglezes
Blid e Piple escrevendo Bleed e
People ; e os Hollandezes Gut, Sut, escrevendo
Goet, Soet.

Porêm nos Ditongos Portuguezes
quasi sempre retem as Vogaes a sua
força, e só servem de fazer pronunciar
com velocidade as ditas Vogaes
unidas, excepto o Ditongo Aõ, em
que se altéra mais a natureza das Vogaes,
de que he composto.

Podemse dividir os Ditongos em
Proprios e Improprios. Os Proprios
saõ 23. a saber : ae ai ao au ay ea
ei eo eu ey ia ie io oa oe oi ou
oy ua ue ui uo uy.

Os Ditongos Improprios, que chamamos
assim, porque senaõ formaõ
como os Proprios, saõ aquelles que
135levaõ o sinal ~ chamado til sobre as Vogaes,
e se contaõ até nove. ãa ãe ão
ãy ẽe ĩj õe õo ũu. No ditto numero
de Ditongos variaõ muito os nossos
Grammaticos.

Ditongos Proprios.

AE

Acha-se nos Verbos Cae, Sae, e
nos seus pluraes Caem, Saem, como
tambem nos Compostos dos ditos
Verbos Descae, Recae, Sobresae. Da
mesma sorte nos pluraes dos nomes
em al : Quaes, Taes, Animaes, Hospitaes,
Mortaes, Naturaes, Principaes
.

Neste Ditongo se pronunciaõ ambas
as Vogaes, como em quasi todos
os outros, com muita velocidade, e
a Vogal A tem hum tom Aberto.136

AI

Usa-se em muitas palavras, como
v. g. Baixo, Saibo, Raiva, Taipa, Cairel,
Painel, Airoso, Raivoso, Saraiva,
Vaivem, &c
.

Nos presentes dos Verbos da primeira
Conjugaçaõ : Amais, Buscais,
Estimais
; e em outros tempos da segunda
Conjugaçaõ : Digais, Façais ;
e na 3. e 4. Ouçais, Ponhais.

Esta he a Orthographia, que se observa
nas Obras do Padre Antonio
Vieira, assim, a respeito do presente Ditongo
de ai, como do Ditongo de
ae ; supposto que commummente se
confundaõ os Ditongos em Naturaes,
Estimais
, escrevendo-se Naturais,
Estimaes, O mesmo Autor escreve sempre
Mais com I Latino, e naõ Mays
com Y Grego ; e muito menos Maes
com E, pois se naõ funda em regra
137alguma. Neste Ditongo se pronuncîa
tambem a Vogal A muito aberta.

AO

Este Ditongo se acha em Gráo,
Máo, Náo por Navio, Páo, Váo
, e
em nomes de mais syllabas : Calháo, Degráo,
Saráo
; e nos pluraes de todos
estes nomes : Gráos, Náos, Degráos,
Saráos
.

Nelles se pronuncîa a Vogal A taõ
aberta, como se levára Accento Agudo ;
antes os Monosyllabos necessitaõ
do tal accento, para se evitar melhor
a equivocaçaõ de Gráo gradus com
Graõ grandis: de Máo malus com
Mão manus: de Náo Navis com Não
non : de Páo lignum com Pão Panis :
finalmense de Váo vadum com Vão
vanus.138

AU

Com este Ditongo se escrevem os
nomes Causa, Frauta, Pausa, Ausencia,
Audiencia, Author, Ausentar,
Centauro, Defraudo
.

Os nomes Alaude, Ataude, Saude,
e outros semelhantes deveraõ ter
dous pontos sobre a vogal Ü : Alaüde,
Ataûde, Saüde
, para mostrar que
nelles naõ ha Ditongo, e que cada
Vogal faz syllaba à parte, da maneira
que usaõ os Francezes nas palavras v.
g. Batüe, Rompüe, Réüssir, Reünir.

Note-se que o Ditongo au dos
Latinos se muda ordinariamente no
Ditongo Portuguez de ou ; e assim de
Aurum, Laurus, Taurus se faz Ouro,
Louro, Touro
.139

AY

Tem lugar nos Monosyllabos Ay,
Pay
, e no Indicativo Vay. Da mesma
sorte nos Imperativos da primeira
Conjugaçao Amay, Anday, Estimay.

Muitos Authores escrevem com
este Ditongo Bayxo, Saybo, Rayva,
Taypa, Cayxaõ, Payxaõ
; porèm o
Padre Antonio Vieira usa nelles pela
maior parte de I latino. Neste Ditongo
se fazem soar ambas as vogaes,
e o A he muito aberto.

EA

Concorre nas palavras Chicorea,
Cerulea, Cesarea, Herculea, Femea,
Gavea, Lendea, Semea
, e póde-se
dizer que só he Poetico.

As palavras Cea, Tea, Vea, Area,
Balea, Cadea, Serea
taõ longe estaõ
de terem Ditongo, que antes nellas se
140pronuncîa a vogal E como se fora ey,
em prova de que faz syllaba à parte :
Ceya, Teya, Veya, Areya, Baleya,
Cadeya, Sereya
.

O mesmo succede ainda quando
a Vogal E he aberta, e leva Accento
Agudo : Idéa, Judéa, Medéa, que
se lem Idéya, Judéya, Medéya.

EI

Encontra-se nos nomes Feira,
Geira, Peita, Beiço, Geito, Peito,
Confeiçaõ, Eleiçaõ, Parreira, Roseira,
Primeiro, Terceiro
. Muitos Authores
escrevem estes nomes com Y ;
mas tem contra si a Authoridade do
Padre Antonio Vieira, que pela mayor
parte usa nelles de I latino.

Usa-se tambem nos Pluraes dos
nomes em el, Coronéis, Borquéis,
Papéis, Pincéis
, e nelles se pronuncîa
E aberto.141

Serve do mesmo modo no Verbo
Substantivo Ereis : nos presentes
dos Indicativos da segunda Conjugaçaõ :
Dizeis, Fazeis, Escreveis. Em
todos as Futuros das 4. Conjugações
Amareis, Lereis, Ouvireis, Poreis,
e em todos estes Verbos se pronuncîa
o E fechado.

EO

Neste Ditongo se fazem tambem
sentir as duas Vogaes, como nos outros,
porem com esta differença, que
em Céo, Réo, Véo, Arpéo, Chapéo,
Mantéo, Pignéo
a Vogal E he taõ
aberta, que parece que leva accento
Agudo.

Pelo contrario nos Nomes Borneo,
Hebreo, Phariseo, Orpheo, Teseo

a Vogal E se pronuncîa muy fechada.

O mesmo succede nos Preteritos
142da segunda Conjugaçaõ : Cometeo, Estendeo,
Fendeo, Mereceo, Rendeo
; e
nos mais Monosyllabos Deo, Leo, se
he que se naõ devem escrever antes
com U : Deu, Leu, de que trataremos
abaixo.

Ha outros nomes, em que o E naõ
só se pronuncîa fechado, mas breve ;
como Ceruleo, Cesareo, Herculeo.

Nos nomes Correo, Enleo, Galanteo,
Receo, Rodeo
naõ póde o E
formar Ditongo, pois se pronuncia
como ey. Correyo, Enleyo, Galanteyo,
Receyo, Rodeyo
. Da mesma sorte
nos presentes de alguns Verbos,
como Mareo, Semeo, Rodeo, que antes
se deveraõ escrever Mareyo, Semeyo,
Rodeyo
.

Aqui seria o lugar de estabelecer
a Orthographia dos Pronomes Meo,
Seo, Teo
, e dos Preteritos, de que acima
fallamos, Creo, Deo, Leo, Cometeo,
Estendeo, Rendeo
, que muitos
143escrevem com o Ditongo de eu Meu
Seu Teu, Creu, Deu, Leu, &c
.

Esta materia he muy difficil de assentar,
pois que entre os nossos Authores
reina huma grande variedade
de Orthographia ; e por cada parte se
offerecem razoens de muita força.

Para que estes Verbos se escrevaõ
com o Ditongo eu, póde haver a razaõ
de querer evitar equivocos ; porque
assim se distinguem melhor os Preteritos
Creu, Leu, dos presentes Creo,
Leo
; como tambem os Preteritos, Cometeu,
Escondeu, Rendeu
dos presentes
do Indicativo, a que se segue o Relativo
O : Comette-o, Esconde-o, Rende-o.

E para que nos pronomes se use do
mesmo Ditongo, se póde allegar, com
que ficaõ mais semelhantes ao Latim ;
como na verdade se parecem mais
Meu, Seu, Teu com Meus, Suus,
Tuus, do que Meo, Seo, Teo
.144

Por outra parte parece, que os ditos
Preteritos se devem antes escrever
com o Ditongo eo. porque esta he a
Orthographia, de que usáraõ os nossos
primeiros Authores, como consta dos
Manuscritos primitivos, e dos livros
da mais antiga impressaõ ; e della usa
tambem commumente o Padre Antonio
Vieira, ainda que naõ duvido, se
possaõ achar alguns exemplos em contrario.

Querendo tomar algum partido nesta
materia, me inclinára antes a usar
do Ditongo eo nos sobreditos Preteritos.

Esta Orthographia, alem de ser authorizada
com o uso dos primeiros Manuscriptos,
e livros Portuguezes, he
muy propria da nossa lingua, como se
vè nos Nomes Borneo, Hebreo, Orpheo,
Phariseo, Theseo
; e assim parece
se naõ deve desterrar na terminaçaõ
dos Verbos. A mesma Escrittura
145se observa nos nomes Arpéo, Chapéo,
Mantéo, Pigméo
; supposto levarem
Accento Agudo, por terem a Vogal
E muito aberta.

Quanto a dizerse, que o uso do Ditongo
eu nestes preteritos tira haver
equivocos, póde-se responder, que bastantemente
se evitaõ os ditos Equivocos
escrevendo os Presentes dos Verbos
Credo, Lego, com Y : Eu creyo,
Eu leyo
, conforme o que temos assentado
fallando do Y Medio ; porque
assim ninguem os tomará pelos Preteritos
Elle creo, Elle leo. Da mesma
sorte para differençar os Preteritos
Cometeo, Escondeo, Rendeo dos Presentes,
que levaõ o Relativo O, basta
escrever os ditos Presentes com huma
separaçaõ entre o Verbo, e o Relativo,
como v. g. Comete-o, Esconde-o,
Rende-o
, como faz o Padre Antonio
Vieira em casos semelhantes ; e particularmente
no XIV. volume pag. 118.
146onde escreve Ouvi-a Audite illam, para
differença de Ouvia Audiebat.

Sobre os Pronomes Meu, Seu, Teu,
veja-se o que dizemos no Ditongo abaixo.

EU

Os Pronomes Meus, Tuus, Suus
se deviaõ escrever em Portuguez com
eo Meo, Seo, Teo para seguir a mesma
Orthographia dos outros nomes, e
dos Verbos, de que trattamos no Ditongo
precedente ; porem o uso commum
lhes dá o Ditongo eu ; e assim
até o mesmo Padre Antonio Vieira escreve
ordinariamente Meu, Seu, Teu ;
e da mesma sorte os Pluraes, Meus,
Seus, Teus
.

Note-se porem que escrevendo
o Padre Vieira os ditos pronomes com
U, sempre usa de O no nome deos,
o que devemos chamar exceiçaõ de
regra ; pois, derivando-se Deos e Meu
147igualmente do Latim Deus, Meus, parece
que em Portuguez deviaõ levar
ambos as mesmas letras.

Acha-se tambem este Ditongo no
pronome Eu, e em varios nomes, v.
g. Breu, Cacheu, Eunuco, Feudo,
Rheumatismo, &c
. onde se pronunciaõ
ambas as Vogaes em hum mesmo
tempo.

Nos nomes Ceume, Meudo, Conteudo,
se naõ forma Ditongo, pois
que a Vogal U faz syllaba à parte ; e
devia levar dous pontos em cima.
Ceûme, Meûdo, Conteûdo, como tambem
he necessario algumas vezes no
Ditongo de au.

EY

Forma-se este Ditongo nos Monosyllabos
Grey, Ley, Rey, e nos
seus Pluraes : Greys, Leys, Reys.

Usa-se tambem delle no Preterito
148 Dey, e no Presente Sey. Da mesma
sorte nos Preteritos da primeira Conjugaçaõ :
Amey, Estimey : nos Imperativos
da segunda Conjugaçaõ : Dizey,
Fazey, Metey, Recebey
; e em
todos os Futuros : Amarey, Lerey,
Ouvirey, Porey
.

O Padre Antonio Vieira usa deste
Ditongo em Reyno, Reynar, Reynado,
talvez porque se compoem do nome
Rey.

Outros Authores escrevem Geyto,
Peyto, &c
. Veja-se o que dizemos sobre
o Ditongo de ei.

IA

Este Ditongo he poetico ; e achase
nas palavras Asia, Gloria, Grecia,
Essencia, Paciencia, Babylonia, Prosodia
;
e assim se forma huma só syllaba
das letras Cia Dia Nia Ria Sîa.149

IE

Acha-se em poucas palavras, como
v. g. em Clicie, Effigie, Especie,
onde estas Vogaes se pronuncîaõ velozmente.
Nas palavras Sciencia, Paciencia,
e outras semelhantes se faz
mayor separaçaõ destas letras.

IO

Este Ditongo se encontra em Artificio,
Beneficio, Contrario, Imperio,
Remedio, Prodigio, Principio
,
e em muitos outros nomes, onde se
pronuncîaõ ambas as Vogaes com velocidade.

Acha-se tambem nos preteritos da
terceira Conjugaçaõ Abrio, Ferio, Ouvio,
Persuadio
; supposto que algumas
pessoas escrevem Abriu, Feriu, Ouviu,
Persuadiu
, o que parece summamente
150duro na nossa pronuncia.

OA

Encontra-se nos nomes Frágoa,
Lêgoa, Mágoa, Nódoa, Táboa, Trégoa
,
em que a Vogal O he breve.

Nos nomes Corôa, Lagôa, Podôa,
Pessôa
, em que a Vogal O he longa,
mas fechada.

Da mesma sorte nos Verbos, Coa,
Doa, Roa, Soa, Toa, Voa
, e nos
de mais syllabas, como Abalrôa, Abençôa,
Atrôa, Entôa, Magôa, Perdôa
;
nas quaes tambem a Vogal O he
longa, e fechada.

OE

Tem lugar no nome Leucotohoe,
ainda que Camoens faz algume vez
tho-e de 2. syllabas.

Nos presentes dos Verbos Dóe,
151 Móe, Róe, Sóe, Constróe, Destróe,
Esmóe, Remóe
, que levaõ O aberto.
Nos presentes dos Verbos Poem, Com poem,
Dispoem
, e mais compostos,
em que a Vogal O tem som fechado.
Nos Imperativos Soe do Verbo soar ;
Abençôe, Amontôe, Arresôe, Atrôe,
Magôe, Perdôe
, em que tambem a
Vogal O he fechada e longa.

Nos pluraes dos Nomes em ol :
Róes, Sóes, Anzóes, Caracóes, Rouxinóes,
Espanhóes
, que levaõ O aberto.

OI

Acha-se em Pois, Depois, conforme
a Orthographia do Padre Antonio
Vieira ; e no Verbo substantivo
Sois. O mesmo Author se serve deste
Ditongo em Foice, Noite, Tresnoitar,
Anoitecer, &c
.152

OU

Tem lugar em muitas palavras,
como v. g. Ouro, Mouro, Thesouro,
Cousa, Pousada, &c
. Este Ditongo
se equivóca com o de oi no discurso
familiar, em que alguns dizem Dois,
Oiro, Moiro
; ainda que se escreva,
e se deva pronunciar Dous, Ouro,
Mouro
.

Acha-se tambem nos Presentes dos
Verbos Dou, Estou, Sou, Vou : nas
terceiras pessoas dos Preteritos da primeira
Conjugaçaõ Amou, Estimou,
&c
.

Nelle se pronuncîaõ ambas as Vogaes
velozmente, e sem formar hum
som diverso, como fazem os Francezes,
que convertem ou em U, e de
Boulet, Soulier pronuncîaõ Bulet, Sulier,
segundo o nosso Alphabeto ; nem
como os Inglezes, que transformaõ ou
153em au, e de Eybrous sobrancelhas,
e Mouth Boca, lem Eibraus, e Mauth ;
o que tambem fazem os Hollandezes
escrevendo Hout lenha, Sout sal, e
pronunciando Haut e Saut.

OY

Acha-se nos nomes Boy com O fechado,
Comboy com O aberto, e no
Verbo substantivo Foy. Alguns Authores
escrevem Foyce, Noyte, mas o P.
Antonio Vieira he de opiniaõ differente.

UA

Encontraõ-se estas Vogaes nos nomes,
Agua, Lingua, Mingua, e seus
compostos Aguada, Aguar, Linguado,
Linguagem, Minguante, Minguar
,
e em Igual. Desigual.

Da mesma sorte nas syllabas gua,
e qua nos principios das palavras :
154 Gualde, Guarda, Guardar, Guarniçaõ,
Guarecer ; Quadro, Quatro,
Qual, Qualidade, Quantidade, Quantia,
&c
.

Alguns Authores escrevem Agoa,
Lingoa
, e pello contrario Legua, Magua ;
mas tem contra si a Orthographia
do Padre Antonio Vieira.

UE

Concorrem estas letras nos nomes
Cruel, Crueza, Crueldade, Samuel,
onde duvidaõ alguns que formem Ditongo.

Tambem se achaõ varias vezes nas
syllabas gue, que, nas quaes, ou
fere a Vogal U, como em Pingue, Sequestro,
ou se perde de todo, como
em Guerra, Questaõ.155

UI

Nota-se este Ditongo em Muito,
Ruivo, Cuidado, Cuidar, Descuido,
Descuidar
, onde se pronuncîaõ juntas
as Vogaes.

UO

Forma-se nos nomes Assiduo, Contiguo,
Mellifluo, Residuo, Ociduo,
Triduo
.

UY

Usa o P. Antonio Vieira deste Ditongo
na palavra Muy, ainda que
naõ escreva Muyto, senaõ Muito.
Tambem se acha no Verbo substantivo
Fuy, e em Tuy nome de Cidade.156

Ditongos Improprios.

ÃA

Usa-se deste Ditongo nos Monosyllabos
Grãa, Lãa, Rãa, Sãa,
Vãa
, e nos nomes Alemãa, Christãa,
Irmãa, Maçãa ; Manhãa, Terçãa
.

Esta he a Orthographia de Duarte
Nunes de Leão, authorizada com mil
exemplos do Padre Antonio Vieira, a
quem antes se deve seguir, do que a
Joaõ Franco Barreto, que com hum
capricho mal fundado quer que se esereva
Lan, San, Van, Maçan, Manhan,
Terçan
.

Quanto aos pluraes destes nomes,
huns escrevem Lãas, Vãas, Maçãas,
seguindo a Orthographia do singular ;
e outros Lans, Vans, Maçans.157

ÃE

Poem-se este Ditongo em alguns
Pluraes dos nomes em ão, como
Alemães, Capitães, Cães, Pães, em
lugar de Alemaens, Capitaens, Caens,
Paens
.

ÃY

Acha-se sómente na palavra Mãy,
e no seu plural Mãys.

ÃO

Este Ditongo he muy difficultoso
para os Estrangeiros, e naõ se póde dar
regra certa para a sua pronuncia. Encontra-se
em grande numero de palavras,
ou sejaõ Monosyllabos, como
v. g. Caõ, Grão, Mão, Não, Pão,
São, Tão, Vão
; ou nomes de muitas
158syllabas, como Acção, Feição,
Occasiaõ, Uniaõ
.

Quanto aos Pluraes dos nomes em
ão, humas vezes levaõ o Ditongo
ãos, como v. g. Grãos, Mãos, Sãos,
Christãos, Cidadãos, Pagãos
.

Outras vezes se formaõ com o Ditongo
ões, ou oens, Açcões, Feições,
Occasiões, ou Acçoens, Feiçoens,
Occasioens
.

O mesmo Ditongo ão se acha em
varios tempos de Verbos, como Dão,
São, Amão, Amavão, Amáraõ, Amarão,
Amarião
; e assim das mais Conjugaçoens.
Advirta-se porèm, que os
Verbos naõ levaõ accento no fim, salvo
os futuros de todas as Conjugações
Amaráõ, Leráõ, Ouviráõ, Poráõ,
para se differencarem dos Preteritos
Amáraõ, Léraõ, Ouvíraõ, que tem
accento na Penultima.

Grande difficuldade ha entre os
nossos Authores sobre assentar quando
159he, que estes nomes se devem escrever
com o Ditongo ão, ou com
a syllaba am ; porque até o P. Antonio
Vieira na mesma pagina escreve
humas vezes Salamaõ, Sansaõ, Sermaõ,
e outras Salamam, Sansam, Sermam.

Naõ obstante a variedade de exemplos,
que ha por huma, e outra parte,
fora de parecer que antes se usasse
geralmente do Ditongo ão, do
que da syllaba am ; e isto por duas
razoens.

A primeira, porque o Ditongo ão
he mais conforme à nossa pronuncia,
em que fazemos soar de algum modo
a Vogal O ; e assim devemos escrever
as letras mais conformes ao som, que
queremos dar às syllabas.

A segunda, porque assim o pede a
primeira Orthographia, e pronuncia
destas palavras ; pois como confessa
Bento Pereira in Arte Grammaticae
160pag. 316. o til ~ que se poem sobre o Ditongo
ão, tem lugar de M ; e antigamente
se escrevia Razaom em lugar
de Razão ; e no Reynado delRey
D. Diniz se punha ainda Razom : como
se vê na Monarc. Lusit. t. 5. pag. 332
logo mais se conforma o Ditongo ão
com a Escrittura antiga ; pois conserva
a Vogal O, que he a mais dominante
na syllaba ; e assim se deve antes escrever
Occasião, do que Occasiam. Finalmente
he tanto mais natural a escrittura
do Ditongo ão, que os mesmos
Estrangeiros dezejando imitalo, escrevem
antes Razaon do que Razan.

Nem obsta o dizer o mesmo Bento
Pereira no lugar citado, que a escrittura
dos Nomes em am he mais chegada
ao Latim, como se vè nos accusativos
Musam, Palmam, e nos Verbos
Legebam, Audiebam ; porque se
o uso teve bastante poder para alterar
naõ só as letras, mas as syllabas,
161porque o naõ terá tambem para lhe
mudar a terminaçaõ ?
Alem de que no tocante aos nomes,
se lhes quizermos buscar esta semelhança,
mais se parecem na escrittura
Occasiaõ com Occasio, do que
Occasiam, pois conserva a vogal O,
que ha na palavra Latina. Do mesmo
modo mais se parece Naõ com Non do
que Nam ; pois em Naõ só se altera huma
letra, que he o A ; e em Nam duas,
que saõ A e M.

No que toca aos Verbos parece
analogia muy perluxa o dizer Rogavam,
porque os Latinos diziaõ Rogabant ;
deste modo melhor seria deixarlhe
o N, e dizer Rogavan, como
os Castelhanos ; e muito melhor ainda
o conservarlhe o B, e dizer Rogaban,
como os Galegos em lugar de Rogavaõ,
no que certamente naõ convirá
algum Autor.

Nas linguas, que se derivaõ humas
162das outras naõ se observaõ taõ miudamente
as analogias ; antes as terminaçoens
differentes foraõ sempre, as que
fizeraõ a diversidade dos Dialectos.

Deste modo nem Herodoto se atreveria
a dizer λόγοιο no Dialecto Jonico,
nem Pindaro λόγω no Dorico,
porque o Genitivo da terceira Declinaçaõ
simples na lingua commua era
λόγου . Da mesma sorte naõ haveria taõ
dîversas contracçoens nos verbos Circumflexos,
e particularmente naõ diriaõ
os Eolicos τύψεια em lugar de
τύψαμι ; nem os Atticos γελώμυ
em lugar de γελάοιμι, ou γελώμι
nos Verbos τύψω e γελάω.

Nem obsta em segundo lugar dizer
o mesmo Autor que o Ditongo ão
será causa de se naõ distinguîrem os
Preteritos, e os Futuros dos Verbos,
naõ se fazendo differença de Amárão
Amaverunt, e de Amarão Amabunt
o que elle pretende fazer por meyo da
163terminaçaõ em Am, dizendo no Preterito
Amáraõ, e no futuro Amarâõ ; porque
esta mesma differença se póde fazer
com o Ditongo de ão, pondo o mesmo
Accento Agudo na penultima do
Preterito Amáraõ, e mudando-o para a
ultima no Futuro Amaráõ. Com effeito
assim o observa o Padre Antonio Vieira
muitas vezes, e particularmente na Settima
Parte dos seus Sermoens pag. 244.
onde escreve com Accento Agudo os
Futuros Diráõ, Cuidaráõ, e pag. 373.
Seráõ, e Arderáõ. E na Terceira Parte
pag. 427. Pediráõ, Estaráõ.

Finalmente naõ digaõ os de opiniaõ
contraria, que esta Orthographia
he impropria, porque se naõ podem
por 2. accentos na mesma syllaba ; porque
o til naõ he Accento, que abra,
ou feche a Vogal, senaõ hum substituto
da Consoante M.

Supposto que o Ditongo ão seja
de sua natureza longo, como os maes
164Ditongos das outras linguas ; com tudo
em algumas occasioens faz syllaba
breve, seguindose-lhe qualguer das
particulas ma me mo, ta te to, lha
lhe lho, na no, mas mos, nas nos, tas
tos lhas lhes lhos, e se. Trágaõ-ma,
Digaõ-me, Fáçaõ-mo, Ponhaõ-se, &c
.

Falta-nos ainda satisfazer a dous
defeitos, que os Estrangeiros pretendem
achar no Ditongo ão, ou na syllaba
am, visto fazer o mesmo som.

O primeiro defeito, que allegaõ
contra este Ditongo he, que fórma hum
som aspero ao ouvido ; pois ninguem
póde duvidar, de que Terminaçaõ
Castelhana em Ocasion seja mais suave,
do que a Portugueza em Occasiaõ. Porem
nesta mesma reprovada dureza
se enserra huma grande ventagem,
qual he ser o ão huma terminaçaõ,
que distingue o Portuguez totalmente
das mais linguas ; e em todas ellas se deve
estimar particularmente aquillo,
165que as differença melhor humas das outras.
Esta singularidade naõ logra a terminaçaõ
Castelhana em ion, ainda
que seja mais suave do que a Portugueza
em ão ; pois que os Francezes
tem tambem muitas palavras na mesma
terminaçaõ, como Aspiration,
Prétention
, ainda que no som do N
haja alguma differença.

O II. defeito, que se allega contra
este Ditongo, he o ser muy difficil
de aprender aos Estrangeiros ; mas injustamente
se chama imperfeiçaõ em
huma lingua aquillo, que nella he difficultozo
de alcançar ás outras naçoens.
Deste modo se diria, que a pronuncia
Ingleza nas palavras Lord, Mylord he
hum defeito na lingua, pois naõ ha Estrangeiro,
que possa vencer aquella difficuldade,
e que chegue a imitar o som
entre O e A, que alli formaõ os Inglezes.
Da mesma sorte se attribuhiria a
imperfeiçaõ a pronuncia do U Francez,
166que tambem naõ conseguem facilmente
as outras naçoens : Se pois naõ
he defeito para as mais linguas o terem
pronuncias difficultozas, ou impossiveis
de imitar aos Estrangeiros ; tambem
o naõ serà a pronuncia do Ditongo
ão a respeito da lingua Portugueza.

EẼ

Parece que este Ditongo devia
ter lugar nos pluraes dos Agudos da
terminaçaõ em, como Bẽes, Desdẽes,
Ninguẽs, Vintẽes
; e tambem nos pluraes
dos nomes em agem, igem,
ugem
, como Ventagẽes, Vertigẽes,
Penugẽs
; mas o P. Antonio Vieira costuma
escrever Bens, Desdens, Ventagens,
Penugens
.

No que toca ao singular destes nomes
sempre o mesmo Author escreve
Bem, Ninguem, e naõ Bẽ, Ninguẽ,
167como quer Joaõ Franco Barreto ; e do
mesmo modo os Verbos Dem, Tem,
Vem, Contem, Detem, Retem
, a que
muitas vezes poem Accento.

ĨJ

Duarte Nunes de Leaõ quer, que
se use deste Ditongo nos Pluraes dos
nomes em im, como v. g. Jasmĩjs Malsĩjs ;
porem o P. Antonio Vieira escreve
Jasmins, Malsins.

OẼ

Tem seu lugar em muitos dos
Pluraes dos nomes em ão, Acçoẽs
Coraçoẽs, Occasioẽs
; mas o P. Antonio
Vieira ordinariamente Acçoens,
Coraçoens &c
.168

Tambem Duarte Nunes de Leaõ usa
deste Ditongo nos pluraes dos nomes
em om : Boõs, Doõs, Soõs, porèm
o Padre Antonio Vieira se serve de N
escrevendo : Bons, Dons, Sons, Tons.

O mesmo Duarte Nunes usa do presente
Ditongo nos pluraes dos nomes
em um, como Huũs, Alguũs, Nenhuũs,
os quaes o P. Antonio Vieira escreve
com N Huns, Alguns, Nenhuns.169

Capitulo V.
Dos tritongos.

Tritongo he o som de tres vogaes
pronunciadas juntamente,
como se estivessem em huma mesma
syllaba. Nas linguas vulgares saõ muy
frequentes os Tritongos : na Ingleza
entre outros se encontraõ os de Yeard
Vara, Youth mocidade, Wound chada :
na Franceza os de Vaisseau navio, Saouler
fartar, Yeux olhos : na Hollandeza
os de Kraay, gralha, Leevu Leaõ,
Moeite pena. Alguns delles formaõ
som totalmente differente das Vogaes
de que se compoem, como v. g.
Vaisseau, Vessó ; outros tomaõ o som
dos Ditongos : Saouler Souler. Apontamos
estes Tritongos nas outras linguas,
naõ para affectar noticia dellas ;
mas a fim de mostrar os que se podem
formar na nossa.170

Á vista destes exemplos podemos
dizer que no Portuguez naõ ha Tritongos
que formem som diverso das
Vogaes de que saõ compostos : só se
encontraõ alguns que participaõ do
som de alguma das suas Vogaes ; e as
mais das vezes se pronunciaõ estas separadamente.
Com tudo naõ deixaremos
de apontar os casos, em que de
algum modo se fórma Tritongo.

AIA, ou AYA.

Alfaya, Atalaya, Azagaya, Alfayate,
Alvayade, Cayar, Rayar,
Desmayar, Cayado, Rayado, Desmayado
.

AIO, ou AYO

Ayo, Mayo, Payo, Rayo, Balayo,
Payol, Mayor, Mayores, Gayola
.171

EIA, ou EYA.

Meya, Alheya, Enleya, Passeya,
Rodeya, Galanteya
.

EIO, ou EYO.

Meyo, Arreyo, Enleyo, Passeyo,
Redeyo, Galanteyo
.

IEI, ou IEY.

Amieiro, Cirieiro, Vimieyro.

OIA, ou OYA.

Boya, Troya, Saloya, Tramoya,
Boyaõ, Boyada, Apoyar, Comboyar
.

OEI, ou OEY.

Limoeyro, Padroeyro, Tanoeyro,
Poeira, Aroeira
.172

OIO, ou OYO.

Moyo, Apoyo, Saloyo.

UIA, ou UYA.

Tapuya.

Capitulo VI.
Dos accentos.

Accento na lingua Portugueza he
o sinal que se poem sobre alguma
syllaba, para carregar na Vogal della,
abrindo-a, ou fechando-a, conforme
a sua natureza, ou situaçaõ.

Commumente se dividem os Accentos
em Agudo ´, Grave `̀, e circumflexo
^ . O Accento Agudo geralmente
173fallando faz soar mais a Vogal,
sobre que está. O Accento Grave
abaixa a Vogal, sobre que se poem. O
Accento Circumflexo assim como participa
na figura dos Accentos Agudo,
e Grave, assim no effeito participa
tambem do som dos taes Accentos.

Fora facil o determinar o lugar de
cada hum destes accentos, se na nossa
lingua concorressem as mesmas circunstancias
que na Latina, e Grega ; porèm
sendo a differença taõ grande, naõ
podemos seguir as mesmas regras. Ainda
assim procuraremos conformarnos
o mais que for possivel com a natureza
de cada Accento em particular.

Note-se primeiro que tudo, que o
uso dos accentos na nossa lingua he
principalmente nas palavras equivocas,
a quem a differença, ou falta de
accento faz mudar de significaçaõ, como
v. g. em Amára Amaverat, e Amará
Amabit em Gósto Gaudeo, e Gosto
Gaudium.174

Muitas vezes se poem tambem Accento
só para saber se a Vogal he Aberta,
ou Fechada, como v. g. em Vióla,
para mostrar, que a Vogal O se abre
no meyo desta palavra, ao contrario
de Cebola, onde se fecha.

Tambem se usa delle sobre Vogaes
que se naõ podem abrir ou fechar,
como saõ I e U, a fim de carregar na
ditta syllaba, de que se segue secundariamente
saberse se he longa, cono
faz o Padre Antonio Vieira nos Verbos
Excíta, Particípa. O mesmo Author
poem Accento nos Adjectivos
Abstraído, Arguído, Concluído, e Promovído,
e nos tres primeiros ha ainda
mayor necessidade de Accento, para
mostrar que nelles naõ ha Ditongo.

Accento Agudo póde ter tres lugares,
Antepenultima, Penultima, e
Ultima. O fim principal deste Accento
na Antepenultima he abrir muito a Vogal
175sobre que se poem, e fazer que fique
como Dominante entre as mais
syllabas, sem attender à Quantidade
de Breve, ou Longa na syllaba em que
està. Isto observáraõ os Latinos ; porque
o mesmo Accento Agudo se attribue
à Antepenultima de Maximus com
a primeira longa, do que a Homines
que tem a primeira Breve. Os Gregos
guardáraõ tambem a ditta regra escrevendo
com o mesmo Accento Δεύτερον
Deúteron, que Θάνατος Thánatos, naõ
obstante que o primeiro nome tem a
primeira syllaba longa, e o segundo a
tem breve.

Alem do fim principal do Accento
Agudo na Antepenultima, que he abrir
a Vogal, sobre que se poem, como
se vè nos nomes Dádiva, Máquina,
Pállido, Rápido
, onde o A da primeira
syllaba he muito Aberto : Serve tambem
para carregar na Vogal da mesma
syllaba Antepenultima, para fazer
176a Penultima Breve, ainda que muitas
vezes naõ possa dar à dita Vogal hum
som claro, como tem os nomes acima,
ou porque ella o naõ receba de sua
mesma natureza, como succede nas
Vogaes I e U, v. g. em Mínimo, Vício,
Júbilo, Público
; ou porque se
lhe segue alguma consoante nesta syllaba,
que impede o som claro da Vogal,
como em Áncora, Góndola, Cómputo,
Sándalo
.

Estes saõ os dous fins do Accento
Agudo na Antepenultima : o primeiro
abrir a Vogal sobre que se poem, e o
segundo carregar nella para fazer a Penultima
Breve.

Porèm ainda se offerece huma reflexaõ,
que póde servir de exceiçaõ
de regra ; e he que muitas vezes succede
porse Accento Agudo na Antepenultima,
sobre Vogaes capazes de
som aberto ; que com tudo ficaõ com
som escuro, como se vè em Ámago,
177Ánimo, Cámara, Támara
; onde o
A da ditta Antepenultima podéra soar
claramente, pois he Vogal capaz de
abrirse de sua natureza, e naõ tem o
embaraço de consóante, que se lhe sega
na mesma syllaba. Neste caso só
serve o ditto Accento Agudo de fazer
breve a Penultima.

Do Accento Agudo na Antepenultima
naõ fallaõ os nossos Grammatîcos ;
porém observa-se muitas vezes
nas Obras do P. Antonio Vieira ; e particularmente
na Terceira Parte dos seus
Sermoens pag. 338. e 342. onde diz :
Sómente, Póde-se.

á vista destes exemplos se devia
tambem usar de Accento Agudo nas
Antepenultimas de outras palavras,
como em Frécheiro, Mézinha, Sédico,
Séteira
; pois tem a mesma necessidade
de Accento, para nellas se abrirem
as Vogaes das primeiras syllabas.

Sobre tudo he necessario o ditto
178Accento nas palavras, que pela sua falta
ficaõ equivocas. Estas se pòdem reduzir
a duas classes, huma de palavras,
em que o Equivoco só respeita o abrir
ou fechar da Vogal, deixando a Penultima,
ou syllaba Media com a mesma
quantidade, como succede nas seguintes.

Pégada | Pegada
Pésame | Pesame.
Prégado | Pregado.

A outra classe he de palavras em
que o Equivoco altéra a quantidade
da syllaba Media, ou Penultima, e a
faz ser breve, ou longa, como se vè
da lista presente.

Abóbora | Abobóra
Adúltera | Adultéra.
Ágoa | Agôa,
Alívio | Alivîo
179Áncora | Ancóra
Ánimo | Anímo
Artículo | Articúlo
Árvore | Arvóre
Beatífico | Beatifíco
Annúncio | Annuncîo
Cándea | Candêa
Circunstáncia | Circunstãcîa
Cómputo | Compûto
Contínuo | Continûo
Contrário | Contrarîo
Depósito | Deposîto
Dísimo | Disîmo
Dúvida | Duvîda
Equívoco | Equivóco
Específico | Espicifîco
Exército | Exercîto
Gázeo, | Gazêo
Glória | Glorîa
Hábito | Habîto
Idólatra | Idolátra
Injúria | Injurîa
Íntimo | Intîmo
180Júbilo | Jubîlo
Lástima | Lastîma
Legítimo | Legitîmo
Máquina | Maquîna
Malícia | Malicîa
Mágoa | Magôa
Officío | Officîo
Pánico | Panîco
Páteo | Patêo
Prática | Pratîca
Princípio | Principîo
Pronóstico | Pronostîco
Pronúncia | Pronuncîa
Próspero | Prospéro
Provido | Provîdo
Público | Publîco
Régulo | Regûlo
Renúncia | Renuncîa
Sábia | Sabîa
Séria | Serîa
Témpera | Tempéra
Vária | Varîa
Válido | Valîdo
181Vómito | Vomîto.

Em todas estas palavras he necessario
Accento Agudo na Antepenultima
(fallando das da primeira columna)
humas vezes para abrir a Vogal sobre
que vay posto ; o outras para que carregando
nella fique Breve a Penultima.

Note-se que os nomes postos na primeira
columna, saõ sempre os que tem
a Penultima Breve ao contrario dos
Verbos da segunda columna, em que
sempre he Longa.

Accento Agudo na Penultima tem
lugar em varias palavras a fim de abrir
a Vogal sobre que se puzer, como Móta,
Séta
para differença de Greta Sepa :
Amóra, Espóra para differença
de Senhora, Gritadora.

A principal necessidade deste Accento
he a respeito das palavras que
sem elle ficariaõ equivocas. Primeiramente
182levaõ Accento Agudo varios
tempos dos Verbos, v. g. os Preteritos
da primeira Conjugaçaõ Amámos,
Fallámos, Levámos
, para differença
dos presentes Amamos, Fallamos, Levamos.
Da mesma sorte os Preteritos
Plusquam perfeitos Amára, Fallára,
Levára
para differença dos Futuros,
que tem no fim Accento Agudo : Amará,
Fallará, Levará
.

Igual necessidade ha tambem para
differençar varios Verbos dos nomes,
e alguns nomes entre si, de que daremos
duas listas, huma das palavras de
duas syllabas, e outras das de 3. e mais
syllabas.

Bésta | Besta.
Bólo v. | Bolo n.
Bórra v. | Borra. n.
Cérco v. | Cerco n.
Chóro v. | Choro n.
Cóbro v. | Cobro n.
183Córte | Corte
Cóva | Cova
Désse | Desse
Érro v. | Erro n.
Fóra | Fora
Fórça v. | Força n.
Fórma v. | Forma n.
Gósto v. | Gosto n.
Gózo v. | Gozo n.
Jògo v. | Jogo n.
Móça | Moça
Mólho v. | Molho n.
Ólho v. | Olho n.
Péga v. | Pega n.
Pézo v. | Pezo n.
Póde pres. | Pode pret.
Prégar | Pregar
Régo v. | Rego n.
Ródo v. | Rodo n.
Rógo v. | Rogo v.
Sóbre v. | Sobre prep.
Sóldo v. | Soldo n.
Tópo v. | Topo n.
184Tórno v. | Torno n.
Vérga v. | Verga n.
Zélo v. | Zelo. n.

Abórto v. | Aborto n. &c.
Accórdo v. | Accordo
Acérto v. | Acerto
Apérto v. | Aperto
Apóyo v. | Apoyo
Aprésto v. | Apresto
Arreméço v. | Arremeço
Arrócho v. | Arrocho
Arrójo v. | Arrojo
Arróto v. | Arroto n. &c.
Azédo | Azedo
Boféte | Bofete
Concérto | Concerto
Confórto | Conforto
Desafógo | Desafogo
Desafóro | Desaforo
Desapégo | Desapego
Desembólço | Desembolço
Despójo | Despojo
185Desprézo | Desprezo
Destempéro | Destempero
Emprégo | Emprego
Engódo | Engodo
Entérro | Enterro
Entójo | Entojo
Enxérto v. | Enxerto n. &c.
Equivóco | Equivoco
Escóva | Escova
Esfórço | Esforço
Espóso | Esposo
Govérno | Governo
Refórço | Reforço
Socégo | Socego
Tempéro | Tempero
Tropéço | Tropeço

Alvoróço | Alvoroço
Aderéço | Adereço
Apréço | Apreço
Arremédo | Arremedo
Desgósto | Desgosto
Encósto | Encosto
186Espéto | Espeto
Enrédo | Enredo
Estórvo | Estorvo.

Álem da necessidade, que ha de
Accento Agudo nas penultimas das palavras
das listas precedentes, parece
indispensavel o ditto Accento em muitas
outras occasioens.

Em primeiro lugar nos Adjectivos
em osa oso, ou oza ozo, para
distinguir nelles a vogal O fechada da
Vogal O aberta ; he bem verdade que
nesta materia se póde dar huma regra
geral, a saber, que a Terminaçaõ Feminina
sempre leva O aberto, e a Masculina
fechado, como se vè na lista
seguinte.

Airóza | Airozo
Aleivóza | Aleivozo
Ditóza | Ditozo
Engenhóza | Engenhozo
187Façanhósa | Façanhoso
Fermósa | Fermoso
Forçóza | Forçoso
Furiósa | Furioso
Golósa | Goloso
Gostóza | Gostozo
Grandiósa | Grandioso
Leprósa | Leproso
Maliciósa | Malicioso
Manhóza | Manhozo
Mavióza | Maviozo
Medróza | Medrozo
Pasmóza | Pasmozo
Queixóza | Queixozo
Ruidóza | Ruidozo
Saboróza | Saborozo
Teimóza | Teimozo
Vaidóza | Vaidozo
Viçóza | Viçozo
Vistóza | Vistozo
Victorióza | Victoriozo
Zelóza | Zeloso.188

Esta mesma regra póde tambem
servir para os Adjectivos em osta
osto
, em que os Femininos se pronuncîaõ
com O aberto. Compósta,
Expósta, Repósta, Suppósta
, ao contrario
dos Masculinos, que levaõ O fechado :
Composto, Exposto, Reposto,
Supposto
.

Em segundo lugar nos Adjectivos
de duas syllabas em varias terminaçoens,
onde os Femininos tem O aberto,
como Mórna, Mórta, Nóva,
Tórta
, para differença dos Masculinos,
que o tem fechado. Morno, Morto,
Novo, Torto
.

Esta regra porèm naõ deixa de estar
sogeita a varias exceiçoens ; porque
muitas vezes levaõ O fechado assim
os Masculinos, como os Femininos
v. g. Forra, Forro, Gorda Gordo,
Moça Moço, Nona Nono, Preza
Prezo, Solta Solto, Teza Tezo, Toda
Todo, Tola Tolo, Roxa Roxo,
Vesga Vesgo
.189

Outras vezes tem todos O aberto,
como v. g. Lérda Lérdo, Lésa Lézo,
Méra mêro, Cérta Cérto, Féra
Féro, Nóssa Nósso, Vóssa Vósso
.

Semelhante variedade se experimenta
nos Adjectivos de tres syllabas ;
porque Devóto Devóta, Sevéra Sevéro
tem sempre a Vogal Media aberta ;
e pello contrario he fechada em
Amena Ameno, Azeda Azedo, Esquerda
Esquerdo
.

Em terceiro lugar nos substantivos
de duas e tres syllabas, compostos
das mesmas letras, mas differentes no
Genero, dos quaes os Femininos tem
o E aberto, e os Masculinos fechado.

Bóla | Bolo
Fólga | Folgo
Fórra | Forro
Méda | Medo
Mófa | Mofo
Pórca | Porco
190Pórta | Porto
Pósta | Posto
Róda | Rodo
Sólda | Soldo
Tólda | Toldo
Canéla | Canelo
Capélla | Capello
Ouréla | Ourelo.

Exceituaõ-se desta regra alguns
substantivos, em que ambos os Generos
levaõ a Penultima aberta, como
Cópa Cópo, Móda Módo, Pérra Pérro,
Sérva Sérvo
.

Tambem se exceituaõ outros, que
sempre a tem fechada. Goma Gomo,
Loba Lobo, Pera Pero, Sorva, Sorvo,
Carreta Carreto, Esposa Esposo,
Rapoza Rapozo, Saloya Saloyo
.

Em quarto lugar he necessario Accento
Agudo na penultima para mostrar,
que varios nomes levaõ O aberto
no plural, tendo-o fechado no singular,
191como se vé na lista seguinte.

Coro | Córos
Corpo | Córpos
Corvo | Córvos
Forno | Fórnos
Olho | ólhos
Osso | óssos
Ovo | óvos
Poço | Póços
Porco | Pórcos
Rogo | Rógos
Tojo | Tójos
Tordo | Tórdos
Torno | Tórnos
Troço | Tróços

Abrolho | Abrólhos
Caroço | Caróços
Despojo | Despójos
Gafanhoto | Gafanhótos
Minhoto | Minhótos
Miolo | Miólos
192Perdigoto | Perdigótos
Pescoço | Pescóços
Tramoço | Tramóço

Exceituaõ-se desta regra varios
Pluraes, que levaõ a Penultima fechada
do mesmo modo que os singulares.

Bobo | Bobos
Bolo | Bolos
Gomo | Gomos
Lobo | Lobos
Lodo | Lodos
Moço | Moços
Nojo | Nojos
Sorvo | Sorvos
Tolo | Tolos
Troco | Trocos

Engodo | Engodos
Esposo | Esposos
Ferrolho | Ferrolhos
Rapozo | Rapozos
193Refolho | Refolhos
Rebolo | Rebolos
Repolho | Repolhos
Tijolo | Tijolos.

Quanto aos Substantivos, que se
terminaõ em A basta dizer, que conservaõ
geralmente na penultima dos
pluraes a Vogal aberta, ou fechada que
tinhaõ no singular. Assim se pronuncîa
O aberto em ambos os numeros dos
substantivos seguintes :

Bóla | Bólas
Cóva | Cóvas
Pósta | Póstas
Róda | Ródas.

Pello contrario se pronuncîa O fechado
em :

Caca | Cocas
Folha | Folhas
194Goma | Gomas
Rolha | Rolhas
Voda | Vodas.

Semelhante regra geral se póde dar
para os nomes de 2. syllabas, que tem
E na Antepenultima, a saber que retem
nas pluraes a mesma Vogal aberta,
ou fechada do singular. Nesta fórma
levaõ E Aberto.

Férro | Férros
Mélro | Mélros
Prégo | Prégos
Prélo | Prélos
Sérvo | Sérvos
Térno | Térnos.

Béca | Bécas
Féra | Féras
Frécha | Fréchas
Mécha | Méchas
Méta | Métas
195Térra | Térras
Vélha | Vélhas.

Pello contrario se pronuncîa E fechado
em :

Dedo | Dedos
Feno | Fenos
Rego | Regos
Remo | Remos
Trevo | Trevos
Zelo | Zelos
Greta | Gretas
Letra | Letras
Pena | Penas
Penha | Penhas
Resma | Resmas
Telha | Telhas.

Finalmente he necessario Accento
Agudo nas penultimas dos Presentes
dos Verbos, que se seguem, para os
differençar dos nomes.196

Verbos. | Nomes.
Bàixaõ | Baixàõ
Bástaõ | Bastàõ
Bórdaõ | Bordàõ
Bórraõ | Borràõ
Bótaõ | Botàõ
Cálçaõ | Calçàõ
Cánçaõ | Cançàõ
Cátaõ | Catàõ
Chóraõ | Choràõ
Chóutaõ | Choutàõ
Çúrraõ | Çurràõ
Dóbraõ | Dobràõ
Férraõ | Ferràõ
Fórmaõ | Formàõ
Fúndaõ | Fundàõ
Guíaõ | Guiàõ
Límaõ | Limàõ
Málhaõ | Malhàõ
Móntaõ | Montàõ
197Pícaõ | Picàõ
Pízaõ | Pizàõ
Pénsaõ | Pensàõ
Pódaõ | Podàõ
Rásgaõ | Rasgàõ
Rézaõ | Rezàõ
Sérraõ | Serràõ
Tórraõ | Torràõ
Tóstaõ | Tostàõ
Trávaõ | Travàõ
Tróvaõ | Trovàõ
Alégraõ | Alegràõ
Arreméçaõ | Arremeçàõ
Empúrraõ | Empurràõ
Reméndaõ | Remendàõ

Accento Agudo na Vltima syllaba
tem lugar nos Monosyllabos, que se fórmaõ
com Vogal pura aberta, como
Já Lá Pá Fé Pé Sé Dó Nó Pó Só
.

Da mesma sorte nos que levaõ alguma
consoante com a mesma Vogal
aberta, como os Verbos Dáz Fáz
198Tráz, Váz
nos Pronomes Nós Vós ;
e em outras palavras, como Ar, Páz,
Más, Déz, Féz, Pés, Cór, Pós,
Fóz, Vóz
.

Sobre tudo he necessario muitas
vezes para evitar equivocos, como
entre Cór memoria, e Cor color : entre
Féz Reyno e Fez fecit : entre
Más de Malus, e Mas adverbio : Entre
Gráo gradus, e Graõ Granum : entre
Máo Malus, e Mão Manus : entre Náo
Navis, e Naõ non : entre Páo lignum,
e Paõ Panis : entre Váo vadum, e
Vaõ vanus.

Tambem se poem Accento Agudo
no fim de nomes de muitas syllabas,
ou acabem por Vogal, ou por consoante.
Manná, Tafetá, Galé, Maré,
Teiró, Guardapó, Finál, Morál,
Primáz, Culhér, Mulhér, Convéz,
Revéz, Faról, Lançól, Mayór, Menór,
Peór, Suór, Feróz, Retròz
.

Finalmente nos futuros dos Verbos
199de todas as Conjugaçoens : Será
Dará, Lerá, Rirá, Porá
, e nos de
mais syllabas, para os differençar dos
Preteritos Plusquam perfeitos.

Até aqui se consorma a lingua Portugueza
com outras linguas no uso do
Accento agudo ; mas ainda tem duas
singularidades, que merecem particular
reflexaõ.

A pimeira he admittir Accento
Agudo na primeira syllaba de alguns
nomes, e Verbos, que tem quatro,
ou mais syllabas ; se nelles se houver
de pronunciar a ditta primeira syllaba
com Vogal aberta. Esta singularidade
he contra as regras do Accento Agudo,
que tanto no Grego, como no
Latim naõ póde preceder a Antepenultima.
Quando digo que he contra
as regras da lingua Grega, fallo do
Grego Primitivo ; porque no vulgar de
hoje tem introduzido a barbaridade
recuar o Accento Agudo mais que à
200Antepenultima, e polo na primeira
syllaba de nomes, que às vezes tem
quatro e cinco.

Com effeito usa o Padre Antonio
Vieira de Accento Agudo na primeira
syllaba de Prégadores, e isto repetidas
vezes no Sermaõ do Espirito Santo na
sua terceira parte. Assim tambem se deve
usar em Prócuraçaõ, e Prócuradores,
mas naõ no verbo Procuro,
Procurar
, que alguns pronuncîaõ impropriamente
com O aberto, como
fazem em certas Provincias. Dessa sorte
porque se diz Sérvo com E aberto,
queereráõ tambem dizer Sérvidor, e
Sérvir, que o levaõ fechado ; e de Árvore,
Mártir, Bóla, Róda
, em que
se abrem as Vogaes A e O, diraõ Árvoredo,
Mártirio, Bólar
, e Ródar,
em que se fechaõ.

A mesma Accentuaçaõ pratîca este
Autor nos Verbos, que vaõ unidos
com alguns Pronomes, ou Particulas,
201como v. g. Fizérao-volo, Mostráraõse-nos,
Tiráraõ-sevos, Puzéraõ-sete,
Acabáraõ seme
; e este ultimo exemplo
he da terceira Parte pag. 343. Isto
deve tambem ter lugar nos singulares :
Fizéra-volo, Mostrára-senos, Tirára-sevos,
Puzéra-sete, Acabára-seme
.

Igual necessidade concorre na palavra
Mésinheiro, e algumas outras,
pois sem accento Agudo se naõ leria
aberta a Vogal E da primeira syllaba.

A segunda singularidade he admittir
2. accentos Agudos na mesma palavra,
o que tambem he tanto contra as
regras geraes da Lingua Grega, como
da Latina ; porque o Accento Agudo se
deve pôr sobre a Vogal dominante ; e
esta naõ costuma ser nas dittas linguas
mais que huma em cada nome.

Esta Accentuaçaõ porèm he necessaria
nos Preteritos Brádáraõ, Córáraõ,
Géráraõ, Prégáraõ, Pádejáraõ
;
Vózeáraõ, naõ só para os differençar
202dos Futuros, mas para tirar Equivocos.
Se o Preterito Prégáraõ naõ levar Accento
Agudo na syllaba , equivocarseha
com o futuro Prégaraõ. Se
naõ tiver outro Accento Agudo na syllaba
Pré, quando significa Praedicaverunt,
naõ se distinguirâ de Prégáraõ
clavo confixerunt.

Do mesmo modo he necessario dobrado
Accento Agudo nos Participios
Brádádo, Córádo, Gérádo, Entrévádo,
Enfézádo, &c
. nos Infinitivos
Pádejár, Vózeár ; e nos substantivos
Cálçádo, Mórgádo, Cálçáda, Pégáda,
Báchá, Cázamáta, Espálhafáto, Álfayáte,
Áljabébe, &c
.

O ser esta Orthographia contra o
uso do Accento Agudo se salva com
dizer, que o fim principal do ditto
Accento na nossa lingua he abrir muito
as Vogaes : logo se no mesmo nome
concorrerem muitas Vogaes abertas,
muitos devem tambem ser os Accentos
Agudos.203

Na mesma lingua Grega temos de
algum modo, com que desculpar esta
irregularidade ; porque supposto que
cada nome naõ possa ter mais que
hum Accento Agudo ; comtudo a uniaõ
das Encliticas altéra esta regra geral,
e faz que muitos nomes, que já tinhaõ
hum Accento Agudo, recebaõ outro
por causa da tal Enclitica, como se
encontra muitas vezes, e particularmente
duas no mesmo verso 157. do
primeiro livro da Iliada de Homero
’Ούρεάτε σχιόεντα θάλασσάτε
ήχηέσσα
E os montes sombrios, e o
már sonoro
.

Accento grave naõ deve ter lugar
senaõ na ultima syllaba, como só teve
entre os Gregos ; e na tal syllaba faz
pronunciar a Vogal com hum som fechado,
e escuro. He taõ proprio o
Accento Grave da ultima syllaba, que
quando na Lingua Grega se ajuntaõ as
Encliticas a nomes, que levaõ o tal Accento,
204no qual caso se pronuncîa o
nome, e a Enclitica tudo seguido ; muda-se
entaõ o Accento Grave em Agudo,
visto que jà o nome naõ acaba como
antes. Assim se vè v. g. em αδελφοςμοῦ
e em πατροςσοῦ que por causa das
Encliticas se escrevem, e lèm com
Accentos mudados : αδελφόςμου
πατρόςσου
como se fosse tudo huma
só palavra.

Mal se póde distinguir no nosso
Portuguez o Accento Grave do Circumflexo
a respeito da ultima syllaba ;
porque naõ milita a mesma razaõ, que
na lingua Grega, onde para tudo ha
principios certos, ainda que sojeitos
a muitas exceiçoens.

A querer dar alguma regra nesta
materia fòra de parecer, que se usasse
de Accento Grave nos Monosyllabos,
que levaõ Vogal fechada, como v. G.
Sè tu, Crè tu, Vè tu, Dè elle ; e
nos presentes do Indicativo : Elle crè,
Elle vè
.205

Da mesma sorte nos Monosyllabos,
que acabarem em consoante, se nelles
tiver tambem a Vogal hum som
escuro : como v. g. nos Verbos : Dès
Crès Fèz Vès Dèm Tèm Vèm Fòr
Pòr Pòz
: nas palavras Bèm Nèm Sèm
Rèz Vèz Dòm Sòm, Tòm Còr
de
Color, Dòr Flòr.

Tambem naõ duvidára usar de
Accento Grave nos Futuros em :
Amaràõ Leràõ, Ouviràõ, Poràõ,
para differença dos Preteritos ; visto
que este Ditongo fórma hum som fechado,
e escuro. Bem vejo porèm que
o Padre Antonio Vieira se serve de
Accento Agudo nos sobredittos futuros,
como fica ditto, quando trattámos
do Ditongo ; mas como nos
taes futuros cesse o fim principal do
Accento Agudo, que he abrir a Vogal ;
e por outra parte o Accento Grave
he proprio da ultima syllaba, por
isso usára antes nelles de Accento
206 Grave, do que de Accento Agudo.

Conforme esta regra haõ tambem
de levar Accento Grave as terminações
dos nomes em , que sem elle ficariaõ
equivocos, como v. g. Botàõ,
Dobràõ, Formàõ
, e Podàõ, com os
mais que juntámos em huma lista tratando
do Accento Agudo. Sobretudo
he necessario Accento Grave no substantivo
Foràõ, para se distinguir do
Preterito Foraõ, visto que naõ póde
levar Accento Agudo no principio,
pois se naõ abre alli a Vogal. He bem
verdade que o ditto Preterito Foraõ
póde tambem ter Accento Circumflexo
na penultima, Fôraõ.

Mayor difficuldade ha ainda em
averiguar se se déve pòr Accento Grave,
ou Circumflexo no fim das palavras,
que se terminaõ em er, es ou
ez, or, os ou oz, com E e O fechado,
para as differençar de outras
207nas mesmas terminaçoens, que levaõ as
dittas Vogaes Abertas com Accento
Agudo : v. g. para fazer differença de
Prazer a Culhèr, de Arnez a Revèz,
de Bolor a Mayór, de Arroz, a Retróz.

Porèm como o nosso parecer he,
que se deve usar de Accento Circumflexo
nas referidas terminaçoens, guardamos
trattar esta materia, para quando
fallarmos do ditto Accento.

Accento circumflexo póde estar
na Penultima, e na Ultima ; e o seu
fim he fazer hum tom tambem fechado,
e escuro.

Na Penultima levaõ Accento Circumflexo
varias palavras de duas, e
mais syllabas em differentes terminaçoens,
em que se pronuncîa a Vogal
fechada ; como v. g. Câma, Sêpa, Gôma,
Escâma, Comêta, Redôma, Gâmo, Rêmo,
Pôvo, Tyrâno, Espêlho, Miôlo
.
He bem verdade que em todas estas
208palavras naõ he taõ necessario o Accento
circumflexo, porque ainda que
lhes falte, naõ formaõ algum Equivoco.

Por esta razaõ se faz preciso nas
palavras abaixo, porque ficariaõ equivocas
com a falta do ditto Acceto. V.
g. nos nomes Chôro, Fôrro, Jôgo, Rôgo,
para os differençar dos Verbos
Chóro, Fórro, Jógo, Rógo. E da mesma
sorte nos nomes de mais syllabas ;
Acêrto, Confôrto, Despôjo, para se
distinguirem dos Verbos : Acérto, Confórto,
Despójo
.

Serve tambem o Accento Circumflexo
para differençar os nomes, assim
substantivos como Adjectivos, que
mudando do Genero mudaõ de Accento,
v. g. Côrvo, Córva, Dôno Dóna,
Nôvo Nóva, Pôrco Pôrca, Tôrto Tórta
.

E para distinguir alguns singulares
dos Pluraes, como v. g. Côro, Fôrno,
209Pôvo, Rôgo
, que nos pluraes levaõ
Accento Agudo com Vogal aberta :
Córos, Fórnos, Póvos, Rógos ; e da
mesma sorte nos de mais syllabas.

Os mais lugares do Accento Circumflexo
na Penultima se pódem ver
nas listas, que fizemos tratando do Accento
Agudo.

Na ultima se déve pòr Accento circumflexo
no fim das palavras, que se
terminaõ em er, es ou ez, or,
os
, ou oz com E e O fechado, para
as distinguir de outras nas mesmas
terminaçoens, que levaõ as dittas Vogaes
abertas com Accento agudo V. g.
para fazer differença de Prazêr a Mulhér,
de Torquêz a Convéz, de Horrôr
a Menór, de Algôz a Cadóz.

O fundamento porque usamos de
Accento Circumflexo nestas palavras
he, porque o ditto Accento de sua natureza
participa do Agudo, e do Grave :
logo parece que se déve usar delle
210naquellas palavras, que se terminaõ
em Agudo, como saõ Prazer Ardor,
nas quaes o mesmo Accento Agudo
naõ póde ter lugar, por se naõ pronunciarem
com vogal aberta, como
succede em Culhér, e Mayór.

Bem sey que esta razaõ serve
tambem para provar, que se déve pòr
Accento circumflexo nos Monosyllabos
Ver Rez Dor Poz, em que nós usámos
de Accento Grave ; pois da mesma
sorte se terminaõ em Vogal fechada,
ainda que aguda : E nòs reconhecendo
a força desta razaõ naõ duvidáramos
usar de Accento circumflexo
nos dittos Monosyllabos, se naõ fora
o querermos reservar algum lugar para
o Accento Grave.

Em conformidade do que acima
dizemos se déve tambem suppor Accento
circumflexo nos tempos dos Verbos,
que acabaõ em semelhantes terminaçoens,
como saõ os Preteritos Desfêz
211Refêz, Compôz Repôz
: Os Infinitivos
da segunda, e quarta Conjugaçaõ
Querêr, Temêr, Compôr, Repôr.

Sobre tudo he neccssario Accento
circumflexo no Infinitivo Podêr Posse,
para o distinguir do Futuro Podér Potuero,
que leva E aberto.

Quanto às palavras na terminaçaõ
em tambem dévem levar Accento circumflexo,
ainda que nunca se poderiaõ
pronunciar com Vogal aberta, pois
sempre se lhe suppoem quasi hum I
no meyo, que obriga a fechar a Vogal,
como succede em Alguêm, Desdêm,
Ninguêm, Parabêm
, que se pronuncîaõ
como se estivesse escritto : Algueim,
Desdeim, Ningueim, Parabeim
.
Da mesma sorte nos Adverbios
Porêm, Tambêm. Nem obsta o dizerse
que os Adverbios Latinos levaõ Accento
Grave, e que assim o devem ter
os Portuguezes ; porque naõ ha mayor
212razaõ para que os Latinos naõ guardem
as regras dos Accentos da lingua
Grega, e nós hajamos de guardar as
dos Accentos da Latina.

A respeito das palavras Equivocas
Contem, e Porem se deve praticar
esta Accentuaçaõ. Quando Contêm vem
do Verbo Continere, e Porêm he Adverbio,
haõ de ter Accento Circumflexo
na ultima. Quando Côntem vem
de Numerare, e Pôrem de Ponere, devem
levar Accento Circumflexo na
Penultima, onde teriaõ Accento Agudo,
se se pudesse abrir a Vogal.

Finalmente se ha de suppor Accento
circumflexo nas terminaçoens em
il ir iz ul um uz, supposto que
estas vogaes se naõ possao abrir de sua
propria natureza, como Burîl Ceytîl
Ferîr Pedîr Matrîz Azûl Paûl Algûm
Nenhûm Capûz Ormûz
; e assim
nos preteritos da 4. Conjugaçaõ Compûz,
Suppûz
; a que se pódem tambem
213accrescentar as palavras em im v. gr.
Jasmîm, Motîm, Espadîm.

Isto he tudo o que pudémos observar
sobre os Accentos da Lingua
Portugueza ; mas quanto mayor cuidado
puzemos em lhe estabelecer algumas
regras ; tanto mayor occasiaõ
teremos talvez dado a que se critique
o nosso trabalho. Nesta forma naõ duvido,
que algumas pessoas, principalmente
as que ignoraõ a Accentuaçaõ
Grega, e Hebraica, nos accusem de
que queremos sogeitar as palavras da
nossa lingua a huma taõ dura escravidaõ,
como a dos Accentos : mas a isto
respondemos, que o nosso intento naõ
he persuadir a ninguem, que use delles
em todo o seu rigor ; se naõ mostrar
que os taes Accentos pódem ter lugar
na nossa lingua ; assim como o tiveraõ
na Grega, e muito mais na Hebraica,
o que lhe seria de huma summa perfeiçaõ
Ao menos ninguem me negará, que
214por meyo destas regras se evitaõ infinitos
Equivocos ; pois ha humas palavras,
em que he preciso Accento
Agudo, e outras em que se necessita
do Grave, ou do Circumflexo, para
pronunciar as Vogaes jà Abertas, jà
Fechadas, já Breves, e já Longas, em
forma que se possa perceber logo o
sentido da Oraçaõ. Accrescenta-se a
isto, que supposto que os que saõ Portuguezes,
facilmente determinem pello
sentido a significaçaõ das palavras, e
a quantidade das Syllabas ; com tudo
naõ succede assim aos Estrangeiros, para
os quaes he indifferente pronunciar
Póde Potest com O Aberto, e Pôde
Potuit com O Fechado ; e damesma
sorte fazer breve o substantivo Mágoa,
e longo o Verbo Magôa, ou pronunciar
estas palavras de outra maneira,
mudandolhes o som, e a quantidade,
com que se confunda a sua verdadeira
significaçaõ. Finalmente para evitar
215que se critique com justa razaõ o zelo,
com que procuramos a perfeiçoar a
Orthographia da lingua Portugueza,
nos contentamos com dizer que só
saõ precisos os Accentos nas palavras
equivocas ; e que nas outras se deve
suppor que os ha, para dar alguma razaõ
da pronuncia das taes palavras.

Capitulo VII.
Das Letras dobradas.

As letras, como bem advirtio Alvaro
Ferreira de Vera na sua Orthographia,
a quem copiou Joaõ Franco
Barreto, ou se dobraõ pella natureza
das palavras, como Callo Fallo,
de que se naõ póde dar regra alguma:
216ou por Derivaçaõ como Cavalleiro de
Cavallo, Ferreiro de Ferro : ou por
significaçaõ, como succede nos Diminutivos
Verdette, Pequenette de Verde,
e Pequeno ; do mesmo modo que os
Latinos disseraõ Libellus de Liber, e
Tantillus de Tantus : ou por Corrupçaõ,
convertendo huma letra em outra,
como nos nomes que se derivaõ
do Latim, v. g. Pessoa de Persona,
e Dicçaõ de Dictio : ou por Variaçaõ,
principalmẽte de conjugaçaõ, para mostrar
Tempos ou Modos differentes, como
Amase, Ensina-se, que differem de Amasse,
Ensinasse
; pois os primeiros saõ linguagem
do Indicativo ; e os 2. do Conjunctivo.
Finalmente dobraõ se as letras por
Composiçaõ, como Afforar de Foro, Arruinar
de Ruina, Assinalar de Sinal, Emmudecer
de Mudo, Ennobrecer de Nobre.

Alem destas regras fundamentaes
de dobrar as letras se devem observar
as seguintes.217

Em i. lugar as letras, que mais necessitaõ
de se dobrarem, saõ mnrs,
e ainda a letra C no principio de algumas
palavras. Estas se dobraõ quasi
sem mais regra, que a boa consonancia
que fazem no ouvido ; porque naõ
ha, quem naõ estranhe ouvir Arruinar
em lugar de Aruinar, Asinalar em lugar
de Assinalar, Acesso em lugar de
Accesso. Sem mais regra pois que a
harmonia do Ouvido escreveremos
com letras dobradas os nomes, e verbos
que se seguem entre outros muitos.

Arrancar | Arranhar
Arrazar | Arrebatar
Arrebentar | Arrecadar
Arredar | Arrefecer
Arrimo | Arriscar
Arrobe | Arrombar
Assentar | Assinalar
Assombrar | Assustar
Emmagrecer | Emmendar
218Emmudecer | Ennobrecer
Ennovelar | Immediato
Immenso | Immodesto
Innocencia | Innocente
Innovar | Innumeravel.

Quando digo que estas letras se
dobraõ quasi sem mais regra, que a boa
harmonia do ouvido, naõ pertendo
negar, que muitas dellas sejaõ dobradas
por Composiçaõ ; mas o meu intento
he dar a entender, que basta a dita harmonia
para dobrar algumas vezes as letras.

Em 2. lugar se podem tambem dobrar
no Portuguez as letras B C D F
G L P T, ainda que naõ se dobrarem
naõ cause estranheza no ouvido,
como se vé na lista que se segue.

Abbade | Abbreviar
Sabbado | Accento
Accessor | Accidental
219Accidente | Successo
Successor | Accomodar
Occorrer | Accumular
Addicionar | Affagar
Affear | Affecto
Affeiçaõ | Affirmar
Affligir | Affrontar
Affroxar | Differir
Difficil | Diffuso
Effeito | Efficaz
Effeminado | Aggravo
Aggrado | Aggressor
Allegar | Illicito
Alludir | Appellar
Appellidar | Appellido
Elle | Aquelle
Cavallo | Libello
Parallelo | Collateral
Collegio | Collocar
Apparato | Apparelho
Apparencia | Applacar
Applauso | Appetite
Appropriar | Approvar
220Oppor | Oppilaçaõ
Opposiçaõ | Opportuno
Oppressaõ | Opprimir
Opprobrio | Supplica
Snpplicar | Suppor
Supportar | Attribuir
Attributo | Attriçaõ
Escritto | Sobrescritto
Manuscritto | &c.

A regra de dobrar as letras acima,
quando as palavras se naõ poderem reduzir
aos principios, que já temos dado,
he buscarlhes a sua origem ; e tendo ellas
letras dobradas no latim, se lhe pódem
pôr tambem no Portuguez. Bem sey
que parece demaziada affectaçaõ dobrar
letras, que se naõ pronunciaõ,
só porque no latim se dobraõ ; mas
o contrario seria sogeitar-se á Critica
de alguns Grammaticos, os quaes vendo
que se naõ dobraõ certas letras, attribuem
esta omissaõ a ignorancia, sendo
221ella talvez huma naõ pequena perfeiçaõ
na nossa lingua.

Ao menos devem-se dobrar as letras
M N R S pella razaõ que jà dissemos,
e ainda a letra C nas palavras :
Accesso Accessorio Accidente Accidental,
Occidente, Occidental
.

Quem seguir a opiniaõ de dobrar
as letras, tem em seu favor o uso das
linguas Franceza, e Italiana, que ordinariamente
as dobraõ nas palavras
que no latim tem dobradas. Os Francezes
v. g. escrevem.

Abbè | de | Abbas
Accepter | de | Accipio
Affecter | de | Affecto
Affliction | de | Afflictio
Aggreger | de | Aggrego
Alleguer | de | Allego
Commode | de | Commodus
Communiquer | de | Communico.
Connexion | de | Connexio.
222Annoncer | de | Annuntio
Appetit | de | Appeto
Applaudir | de | Applaudo.

Da mesma sorte os Italianos.

Abbreviare | de | Abbrevio
Accommodare | de | Accomodo
Affermare do Affirmo
Aggravare | de | Aggravo
Allegare | de | Allego
Commettere | de | Committo
Commutare | de | Commuto
Annumerare | de | Annumero
Apparente | de | Apparens.

Algumas palavras ha tambem, que
nos parecem Portuguezas de orgem,
sendo tiradas immediatamente do Grego,
nas quaes se dobraõ as Consoantes,
como v. g. Amasso que vem do
Grego Amasso Αμάσσω, ou Anamasso
Αναμάσσω ; Cólla, que tambem
223vem do Grego Kólla Κόλλα,
idest, gluten.

E para que se naõ estranhe dizermos,
que no Portuguez se achaõ palavras
tiradas immediatamente do Grego,
sem fallar nos termos de Artes, e
Sciencias, apontaremos algumas na lista
seguinte, advirtindo que essas nem
saõ latinizadas, nem naturalizadas em
outra lingua vulgar.

Asco | Ἄσχυ | Fastidium
Atar | Ἄθλω | Necto.
Borborinho | Βορβορύζω | Strepitũ edo.
Córto | Κόπλω | Caedo
Cara | Κάρα | Facies, caput.
Caneca | Χοινιχω | Mens. genus.
Calar abaixo | Αχάλλω | Dimitto.
Esteira | στορέω | Sterno
Latir | Υλαχτέω | Latro, as.
Lizo | λίσσος | Laevis.
Mófa | μομφη | Querela.
Peitar | πείθω | Suadeo
224Regelo | ῥίγυλο | Frigore corr
Rasgar | ῥύσσω | Rumpo.
Tremoço | Θέρμο | Lupinum.
Tufaõ | Τυφον | Ventus, &c.

Supplemento I.
Sobre o uso particular de algumas
Letras.

B

Antes de B M P nunca se escreve
N senaõ M : pello contrario
antes de todas as outra
letras sempre se poem N e naõ M.
Assim se escreve Embargo, Immenso,
Empenho
, e naõ Enbargo, Inmenso,
Enpenho
.

Exceituaõ-se desta segunda regra
alguns nomes compostos das proposiçoens
225cum, circum, e do Adverbio
bem. Comsigo, Comtigo, Comnosco,
Comvosco, Comtudo, Circumflexo,
Circumspecto, Circumferencia,
Circumcisaõ, Circumlocuçaõ, Bemquisto,
Bemvisto, Bemfeito, Bemfeitoria,
Bemfeitor, &c
.

Tambem se exceituaõ os nomes tirados
do Latim, ou do Grego, como
v. g. Calumnia, Calumniar, omnipotencia,
Omnipotente, Solemne, Solemnidade,
Hymno
, e outros, em que
se escreve M sem ser antes de B M
P ; e disto ha varios exemplos nas Obras
do Padre Antonio Vieira.

H

Esta Aspiraçaõ se conserva sempre
em todos os modos, e tempos do Verbo
Haver. Hey Has Ha Havia Houve
Houvera Haverà Haja Haveria
226Houvesse Haver Havido Havendo
.

Tambem tem lugar nos futuros de
todas os Conjugaçoens : Amar se-há
Dir se-ha, Ouvir se-ha, Por se-ha
, e
nos seus pluraes conforme a Orthographia
do Padre Antonio Vieira.

O mesmo Author usa ordinariamente
de H em muitos tempos do Verbo
ir ou hir ; e em Sair, Sobresair,
Cair, Descair Recair, Attribuir,
Abstrair, Contribuir, Distribuir, Destituir,
Destruir, Construir, Restituir,
Restribuir, Substituir
. Assim escreve
nos Imperfeitos do indicativo : Hia,
Sahia, Cahia, Descahia, Attribuhia,
&c
. Nos Futuros Sahirey, Cahirey,
Contribuirey
: nos subjunctivos Cahira,
Cahisse, Cahiria, Sahira, Sahisse,
Sahiria
: e nos Participios : Cahido,
Sahido, Restituhido, Substituhido
.

A terceira pessoa do singular do
presente do Indicativo Sum se escreve
227he est, para fazer differença da
Conjunçaõ E.

SC

Tem a lingua Portugueza varios
nomes derivados do Latim, e ainda
do Gredo, onde se escrevem com sc
ou σχ . Estes se reduzem a dus classes :
huns levaõ depois do sc alguma
das Vogaes A O U, ou alguma consoante,
como succede em Scandalum,
Scorpio, Scutum, Scriptor, Scribo
.
Outros tem depois do sc alguma das
Vogaes E I, como Sceptrum, Scientia,
Scipio
. Para acertar a Orthographia
destas palavras, se devem observar
as regras seguintes.

Os nomes, que depois de sc tiverem
A O U, ou alguma consoante,
tomaõ no Portuguez E antes do sc ;
e assim se esereve Escandalo, Escorpiaõ,
228Escudo, Escrittor, Escrevo
.

Os nomes, que tiverem E, ou I
depois do sc, naõ tomaõ outra Vogal
no principio, mas conservaõ o mesmo
sc, escrevendo-se Sceptro, Sciencia,
Scipiaõ
. Esta he a Orthographia
mais usada do Padre Antonio Vieira,
ou do Corrector das suás impressoens ;
comtudo no seu primeiro Volume, cuja
correcçaõ dizem correo por sua
conta, tira muitas vezes este Author,
o S inicial destas palavras, e escreve
Ceptro, Ciencia, Cipiaõ.

Alem destes nomes, que começaõ
por sc, ha outros derivados do Latim,
que tem no meyo estas duas letras :
taes saõ as palavras Crescer, Descer,
Nascer, Pascer
, que vem de
Cresco, Descendo, Nascor, e Pasco.
O Padre Antonio Vieira conserva a letra
S nestas palavras, ainda que outros
Authores escrevaõ : Crecer, Decer,
Nacer, Pacer
.229

Do mesmo modo o conserva tambem
nos seus derivados, ou sejaõ Verbos,
ou Nomes. Accrescer, Accrescentar,
Deccrescer, Recrescer, Descender,
Renascer, Accrescentamento,
Descendimento, Descendente, Descendencia,
Nascimento, Apascentar,
&c
, Tambem escreve Nescio conforme
a ethimologia Latina.

SCH

As palavras, em que concorrem estas
letras, saõ Gregas de origem. Se
a ellas se seguir a Vogual I, lança-se
fóra o S, e pronunciase o ch como
simplez C. Schisma, Schismatico, lease
como se fora Cisma, Cismatico.

Sendo as letras sch seguidas de
O, como succede em Schola, Scholium,
accrescentase-lhe em Portuguez
hum E, e a syllaba cho pronuncia-se
230como co. Escola, Escolio.

Supplemento I.
Sobre a Letra.

Z

A Perseguiçaõ, que vemos levantada
contra esta letra, nos obriga a fazer
este 2. Supplemento à nossa Orthographia,
em que defendamos a justiça
da sua causa, e acudamos ao reparo de
alguns criticos modernos, de que sem
embargo de elles a haverem desnaturalizado,
lhe conservamos ainda lugar
no Alphabeto.

Primeiramente està a favor da letra
Z a posse, que logra de tempo immemorial
na nossa lingua ; pois se naõ
acharà Original algum dos de mayor
veneraçaõ, em que naõ occupe hum
231lugar decente. Nesta posse a conserváraõ
os nossos antigos Grammaticos ;
de que he escusado allegar grande copia
de exemplos, baste por todos o testemunho
de Fernaõ de Oliveira na sua
Grammatica da lingua Portugueza impressa
em Lisboa ha duzentos annos,
isto he no anno de 1536. em que diz
expressamente, que he nossa propria a
dita letra
.

O terse recebido o Z na nossa lingua,
naõ procedeo de capricho particular
de alguns Authores, mas de hum
exemplo fixo, e permanente de quasi
todas as naçoens do Mundo. Dos Chaldeos,
Hebreos, Samaritanos, e Syriacos
passou esta letra aos Gregos, e
delles a tomáraõ os Romanos para exprimir
com hum unico tom a força de
duas Consoantes juntas pella qual razaõ
he contada entre as letras dobradas.

Chegado o Z às Provincias de Europa
232se espalhar geralmente ainda en
tre aquellas Naçoens ; cujas linguas se
naõ derivaõ da Latina, como saõ as
linguas do Norte, e nellas se tem conservado
atè o tempo presente, sem
que viesse ao pensamento a algum
Grammatico o excluila do seu Alphabeto.

Esta geral aceitaçao da letra Z he
fundada na grande utilidade, que
lhe dá sua força ; e como esta senaõ
ache em alguma das outras Consoantes,
naõ se póde negar que por este
principio se faz precisa. Dirme-haõ,
que a sua falta se substitue facilmente
pela letra S ; mas a isto respondo, que
me parece diligencia muito escusada
tirar huma letra do Alphabeto, para lhe
substituir a força com outra letra.

Tres saõ os lugares, que póde occupar
a letra Z na composiçaõ das palavras.
Póde estar na primeira syllaba,
na Media, e na ultima ; e em qualquer
233destes lugares se acha com huma posse
muy legitima.

Na primeira syllaba tem lugar esta
letra nas palavras Zagal, Zangaõ, Zarco,
Zelo, Zezere, Zombar, Zunir,
&c
. e se nellas se usar de S em lugar
de Z, poderá haver quem lea as dittas
palavras com S aspero, do modo
que lé Sabio, Sala, Segredo, Solar,
dizendo Sagal, Sangaõ, Sarco, Selo,
Sesere, Sombar, Sunir, &c
. com
notavel deformidade da nossa lingua.

Seguirse-ha ainda outra equivocaçaõ
peor, se se der ao S a força do
Z nos principios das palavras, porque
se naõ conhecerà quando o S tem toda
a sua força ; e assim se poderia dizer
Zaõ, Zello, e Zino, em lugar de
Saõ, Sello, e Sino.

No meyo das palavras tem a letra
Z o seu lugar com igual utilidade que
no principio ; porque tirando-se o Z
234das Palavras Alteza, Empreza, Treze,
Quatorze, Trazer
, e substituindo-lhe
a letra S, haverà quem de
a esta letra toda a sua força, e lea
com hum som aspero Altesa Empresa
trese
, assim como lè Ama-se, Diga-se,
Ouve-se, Póde-se
; com igual
deformidade na pronuncia.

Naõ faltarà tambem quem vendo
escritto Altesa, e Empresa com S, e
que com tudo se pronuncîaõ com Z,
queira tambem dar esta pronuncia a
Ama-se, Diga-se, como se estivera
escritto Ama-ze, Diga-ze.

No fim das palavras tem lugar
a letra Z em varios nomes Monosyllabos,
ou levem Vogal fechada, como
em Mez, Pez, Rez, fallando
de gado, Vez, Giz, Triz, Cruz,
Luz
: ou a levem aberta, como em
Páz, Ráz, Féz Cidade, Cóz, Fóz,
Póz, Vóz
, e outros varios.

Da mesma sorte tem lugar em nomes
235de mais syllabas, ou com Vogal
fechada, ou aberta : Capáz, Cartáz,
Rapáz, Cabáz, Arganáz, Linguaráz
;
Arnez, Valdez, Francez,
Inglez, Maltez, Hamburguez, Milanez,
Convéx, Revéz ; Matiz, Matriz,
Verniz, Juiz, Perdiz, Codorniz,
Chafariz : Algoz, Arroz,
Atróz, Feróz, Cadóz, Retróz,
Badajóz, Albernóz : Capuz, Andaluz,
Arcabuz
.

Assim tambem nos tempos de alguns
Verbos, como em Faz, Desfaz,
Prefáz, Refáz, Dáz, Jáz,
Tráz, Váz, Fez, Desfez, Prefez,
Refez, Fiz, Desfiz, Prefiz, Repoz,
Poz, Compoz, Dispoz, Repoz
;
Puz, Dispuz, Compuz, Repuz,
Suppuz
.

Em todos estes lugares se acha introduzida
a letra Z, e naõ com alguma
posse violenta, senaõ com hum
publico, e preciso consentimento
236dos nossos primeiros Mestres, como
testemunhaõ os Manuscriptos mais bem
conservados, e os livros das mais antigas
ediçoens.

fim.237